Lampre de Rui Costa não vem à Volta ao Algarve

A 42ª Volta ao Algarve, que sai à estrada na próxima semana, vai ter "muito provavelmente o melhor pelotão de sempre, com as melhores figuras do ciclismo mundial", frisou Delmino Pereira, presidente da Federação, entidade organizadora, em parceria com a associação regional. Um pelotão recheado de estrelas – Alberto Contador, Fabio Aru, Joaquin Rodriguez, Fabian Cancellara, Tom Boonen e Geraint Thomas são apenas algumas – onde não consta Rui Costa. 
"Sei que ele tinha muito gosto em vir. Convidámos a Lampre, mas a sua estratégia passa por não vir. Pode ser que venha no futuro", esclareceu o dirigente durante a apresentação da prova. A equipa italiana é uma das duas do World Tour que não manifestou interesse em correr no Algarve. A outra é a BMC. "Só podemos ter a presença de 12 do pelotão mundial, mas havia interesse de 16."
O pelotão será composto então por 24 formações, de 12 países. Às do World Tour acrescentam-se seis do escalão Profissional (2.ª Divisão) e outras tantas Continentais (3.ª Divisão), estas últimas todas portuguesas. "Tivemos o cuidado de escolher equipas de vários países, para que a Volta ao Algarve tenha uma projeção no maior número de países possível", sublinhou Delmino. 
Para o líder federativo, para além do clima, boas estradas e boa organização, o percurso delineado para este ano também cativou as estrelas para se deslocarem ao Algarve. "Temos etapas para todo o tipo de ciclistas. Duas para sprinters, duas para trepadores e uma para contrarrelogistas." A principal novidade é a segunda tirada, com a chegada ao alto da Fóia, que estava ausente do traçado há 14 anos. Depois, para manter o suspense quanto ao vencedor até ao fim, a organização decidiu colocar o alto do Malhão no último dia.
Ainda não será este ano, pese embora o pelotão de estrelas, que a Volta ao Algarve terá transmissão em direto. "Temos uma difícil questão para resolver, que é o facto de se considerar que o orçamento com a transmissão seja uma despesa e não um investimento", frisou Desidério Silva, presidente da Região de Turismo do Algarve, revelando que o orçamento para este fim ronda os 300 mil euros. "A Região de Turismo não consegue por si só fazer este investimento." Já Delmino Pereira revelou que, à partida, existirão todas as condições para que a prova tenha transmissão em direto em 2017. "Até agora o nosso objetivo tem sido consolidar este projeto."
  

Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário