Gran Premio Città di Lugano (1.HC) - Antevisão


Com as atenções viradas para a Bélgica, provas como esta e a La Drome, ficam um pouco esquecidas. Esta será a 33ª edição da prova que decorre em Lugano, na Suiça, uma das poucas clássicas helvéticas, sendo esta a mais importante.
Curiosamente, Lugano é um local muito apreciado pelos ciclistas do pelotão internacional, muito deles fazem desta cidade a sua base, vivendo na mesma durante uma boa parte do ano.
Até 1981, a prova era um contra-relógio, desde desse ano passou a ser uma clássica, corrida em circuito.

História
últimos 10 vencedores
2005 Rik Verbrugghe (BEL) Quick Step-Innergetic
2006 Paolo Bettini (ITA) Quick Step-Innergetic
2007 Luca Mazzanti (ITA) Ceramica Panaria-Navigare
2008 Rinaldo Nocentini (ITA) Ag2r-La Mondiale
2009 Rémi Pauriol (FRA) Cofidis
2010 Roberto Ferrari (ITA) De Rosa-Stac Plastic
2011 Ivan Basso (ITA) Liquigas-Cannondale
2012 Eros Capecchi (ITA) Liquigas-Cannondale
2013 Não se realizou (neve)
2014 Mauro Finetto (ITA) Yellow Fluo
2015 Niccolo Bonifazio (ITA) Lampre-Merida

Percurso
Lugano > Lugano (184,9 Kms)
Prova corrida num circuito de 34 quilómetros, que será percorrido por cinco vezes. Antes de fazerem o circuito completo, os corredores fazem os últimos 14,9 quilómetros. Essa também é a parte mais complicado do percurso, com duas subidas que podem fazer diferenças.
A descida até ao final também podem fazer diferenças.

Mapa da prova
Perfil do circuito
Perfil dos últimos 14,9 Kms do circuito

Startlist

Favoritos
***** Sonny Colbrelli, Grega Bole, Diego Ulissi
**** Francesco Gavazzi,  Kristian Sbaragli
***  Jarlinson Pantano, Damiano Cunego, Kristjian Durasek
** Davide Vigano, David Tanner, Rasmus Guldhammer, Mauro Finetto
* Andrea Pasqualon, Omar Fraile, Natnael Berhane, Daniele Ratto, Daniele Colli, Linus Gerdemann, Franco Pellizotti, Mathias Frank, Edoardo Zardini, Sergey Firsanov

A nossa aposta: Grega Bole
Surpresa: Davide Vigano

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário