Volta à Suiça (2.WT) - Antevisão


Volta à Suiça  foi criada em 1933 sendo uma das provas de etapas mais emblemáticas e importantes depois das grandes voltas. Desde o ano de 2005 pertence à categoria mais alta do ciclismo mundial.
O italiano Pasquale Fornara ostenta o recorde de triunfos na prova, com quatro, seguido dos suíços Hugo Koblet e Ferdi Kubler. O nosso Rui Costa detém três vitórias, sendo que são de forma consecutiva, e pelo menos não é este ano que pode igualar o recorde do italiano.

História:

1933  Max Bulla 1976  Hennie Kuiper
1934  Ludwig Geyer 1977  Michel Pollentier
1935  Gaspard Rinaldi 1978  Paul Wellens
1936  Henri Garnier 1979  Wilfried Wesemael
1937  Karl Litschi 1980  Mario Beccia
1938  Giovanni Valetti 1981  Beat Breu
1939  Robert Zimmermann 1982  Giuseppe Saronni
1941  Josef Wagner 1983  Sean Kelly
1942  Ferdi Kubler 1984  Urs Zimmermann
1946  Gino Bartali 1985  Phil Anderson
1947  Gino Bartali 1986  Andrew Hampsten
1948  Ferdi Kubler 1987  Andrew Hampsten
1949  Gottfried Weilenmann 1988  Helmut Wechselberger
1950  Hugo Koblet 1989  Beat Breu
1951  Ferdi Kubler 1990  Sean Kelly
1952  Pasquale Fornara 1991  Luc Roosen
1953  Hugo Koblet 1992  Giorgio Furlan
1954  Pasquale Fornara 1993  Marco Saligari
1955  Hugo Koblet 1994  Pascal Richard
1956  Rolf Graf 1995  Pável Tonkov
1957  Pasquale Fornara 1996  Peter Luttenberger
1958  Pasquale Fornara 1997  Christophe Agnolutto
1959  Hans Junkermann 1998  Stefano Garzelli
1960  Alfred Ruegg 1999  Francesco Casagrande
1961  Attilio Moresi 2000  Oscar Camenzind
1962  Hans Junkermann 2001 Sem vencedor4
1963  Giuseppe Fezzardi 2002  Alex Zülle
1964  Rolf Maurer 2003  Alexandre Vinokourov
1965  Franco Botossi 2004  Jan Ullrich
1966  Ambrogio Portalupi 2005  Aitor González
1967  Gianni Motta 2006  Koldo Gil3
1968  Louis Pfenninger 2007  Vladímir Karpets
1969  Vittorio Adorni 2008  Roman Kreuziger
1970  Roberto Poggiali 2009  Fabian Cancellara
1971  Georges Pintens 2010  Frank Schleck
1972  Louis Pfenninger 2011  Levi Leipheimer
1973  José Manuel Fuente 2012  Rui Costa
1974  Eddy Merckx 2013  Rui Costa
1975  Roger De Vlaeminck 2014  Rui Costa

Percurso:
13.061ªetapa - Risch-Rotkreuz, Prólogo5.10 Km 
14.062ª etapa - 14 Junho: Risch-Rotkreuz,161.10 Km 
15.063ª etapa Brunnen - Olivone,174.5 Km 
16.064ª etapa - Flims - Schwarzenbach SG193.20 Km 
17.065ª etapa -  Unterterzen - Sölden (Rettenbachgletscher)237.30 Km 
18.066ª etapa - Wil SG - Biel/Bienne, 193.10 Km 
19.067ª etapa - Biel/Bienne - Düdingen, 164.60 km 
20.068ª etapa - Bern, 152.5 Km 
21.06         9ª  Bern CRI,                                              
38.40Km 

Perfis e análise das etapas:

1ªetapa: Risch-Rotkreuz CRI, 5.10 km

A prova tem inicio com um prólogo, vai ser curto e com poucas dificuldades. Os homens que lutam pela geral e são "piores" neste tipo de prova agradecem. 

2ªetapa: Risch-Rotkreuz, 161.10 km

Logo ao segunda a prova vai presentear os ciclistas com bastantes dificuldades. Vão ser 161 quilómetros com bastantes dificuldades. Após a subida final ainda vai haver uma descida que talvez possa prejudicar um pouco os ciclistas que "têm medo" desse tipo de andanças. É um dia que certamente vai haver muita tensão no pelotão pois nenhum dos homens fortes do pelotão vai querer perder tempo. Esta etapa vai ser um "circuito".


3ªetapa: Brunnen - Olivone, 174.50 km

A terceira etapa é algo "estranha", os ciclistas começam a subir por volta da marca dos 50 quilómetros, uma subida muita longa que os vai levar acima dos 2000 metros, e depois enfrentam uma descida também ela muito longa, antes de enfrentarem as duas subidas finais. Estas duas subidas serão bem mais curtas que a anterior, mas sendo praticamente no final da etapa podem ser mais decisivas. 

4ªetapa: Flims - Schwarzenbach SG, 193.20 km

No quarto dia a prova vai ter um "muro" dentro dos 100 quilómetros iniciais, depois disso vão ser vários os sobe e desce, fazendo com que essa parte da etapa pareça uma "clássica".

5ªetapa: Sölden (Rettenbachgletscher), 237.30 km

O quinto dia vai ter a etapa mais longa da prova. A subida final promete ser muito complicada e este deve ser o dia mais decisivo da prova.

6ªetapa: Wil SG - Biel/Bienne, 193.10 km

Se o terceiro dia parece ter alguns contornos clássicos, o que dizer então da sexta etapa? Vai ser um dia de sobe e desce, uma etapa complicada, a colocação e a atenção dos ciclistas tem de estar em alta. Vai ser dos poucos dias que os sprinters que ultrapassarem as dificuldades anteriores podem aspirar a levar a vitória no final do dia.

7ªetapa : Biel/Bienne - Düdingen, 164.60 km

No final da primeira semana a prova vai chegar à linda cidade de Düdingen. Na teoria não parece ser dos dias mais complicados, mas pode haver lugar a surpresas. As subidas do dia são todas curtas pelo que também não é de descartar uma chegada ao sprint.

8ªetapa:Bern, 152.50 km

No oitavo dia os ciclistas vão percorrer um circuito na cidade de Berna. As dificuldades que os ciclistas vão enfrentar serão as mesmas ao longo dos quase 153 quilómetros da prova.


9ªetapa:Bern CRI, 38.40 km


No último dia da prova vai haver contrarelógio individual. Vão ser quase 40 quilómetros percorridos pela cidade Berna. É o dia final da prova, o dia em que o nosso Rui vai deixar de ser o vencedor em título da prova.


Starlist:
Aqui.

Favoritos:
***** Michael Kwiatkowski; Thibaut Pinot
**** Rafa Majka; Jakob Fuglsang; Simon Spilak
*** Domenico Pozzovivo; Jurgen Van Den Broeck; Tom Dumoulin; Sergio Henao;
** Julian Arredondo; Warren Barguil;
* Maxime Monfort; Fränk Schleck;
Geraint Thomas
 

Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário