Amstel Gold Race (1.WT) - Antevisão


Depois do pavé, chegam as Ardenas e a primeira das três clássicas famosas, que fazem parte das Clássicas das Ardenas é a Amstel Gold Race. Deve o seu nome ao patrocinador, que é a famosa cervejaria Amstel.
Esta clássica é a maior prova que decorre em solo holandês, corre-se desde 1966 no sul da,  província de Limburg e faz parte de um dos conjuntos de clássicas que mais apaixonam os fãs do ciclismo, as já referidas, Clássicas das Ardenas.
O percurso tem vários ao longo dos anos, assim como o final, porém, o final mais habitual teve como palco o famoso Cauberg.
Em 1966 a partida foi em Breda, de 1967 a 1970 a partida era da cidade de Helmond, 1971 a 1997 iniciava em Heereln e desde 1998 até aos dias de hoje a partida é dada em Maastricht.
De 1966 até 1990 a chegada foi em Meerssen (exceptuando o ano de 1968, que foi em Elsloo). De 1991 a 2002 a chegada foi em Maastricht, de 2003 até 2012 a meta estava no topo do Cauberg e desde de 2013 encontra-se 1800 metros mais à frente.

O número de subidas curtas e explosivas fazem com que seja uma prova bastante exigente e espectacular. Um corredor da casa, é o recordista de vitórias, o holandês Jan Raas, conquistou a prova por cinco vezes.
Mas um nome destaca-se nos últimos anos, é o de Philippe Gilbert, três vitórias, o segundo mais vitorioso, que tem feito do Cauberg o local onde 'desfaz' os adversários com os seus ataques explosivos, local onde também conquistou o campeonatos do mundo de 2012.



História:
1966 Jean Stablinski (FRA) Ford-Hutchinson
1967 Arie den Hartog (NED) Bic-Hutchinson
1968 Harry Steevens (NED) Willem II-Gazelle
1969 Guido Reybrouck (BEL) Faema
1970 Georges Pintens (BEL) Dr. Mann-Grundig
1971 Frans Verbeeck (BEL) Watney-Avia
1972 Walter Planckaert (BEL) Watney-Avia
1973 Eddy Merckx (BEL) Molteni
1974 Gerrie Knetemann (NED) Gan-Mercier-Hutchinson
1975 Eddy Merckx (BEL) Molteni
1976 Freddy Maertens (BEL) Flandria-Velda
1977 Jan Raas (NED) Frisol-Gazelle-Thirion
1978 Jan Raas (NED) TI-Raleigh
1979 Jan Raas (NED) TI-Raleigh-McGregor
1980 Jan Raas (NED) TI-Raleigh-Creda
1981 Bernard Hinault (FRA) Renault-Elf-Gitane
1982 Jan Raas (NED) TI-Raleigh-Campagnolo
1983 Phil Anderson (AUS) Peugeot-Shell-Michelin
1984 Jacques Hanegraaf (NED) Kwantum-Decosol-Yoko
1985 Gerrie Knetemann (NED) Skil-Sem-Kas-Miko
1986 Steven Rooks (NED) PDM-Gin MG-Ultima-Concorde
1987 Joop Zoetemelk (NED) Superconfex-Kwantum-Yoko-Colnago
1988 Jelle Nijdam (NED) Superconfex-Yoko-Opel-Colnago
1989 Eric van Lancker (BEL) Panasonic-Isostar-Colnago-Agu
1990 Adri van der Poel (NED) Weinmann-SMM Uster-Merckx
1991 Frans Maassen (NED) Buckler-Colnago-Decca
1992 Olaf Ludwig (GER) Panasonic-Sportlife
1993 Rolf Järmann (SUI) Ariostea
1994 Johan Museeuw (BEL) GB-MG Maglificio-Bianchi
1995 Mauro Gianetti (SUI) Polti-Vaporetto
1996 Stefano Zanini (ITA) Gewiss Playbus
1997 Bjarne Riis (DEN) Team Telekom
1998 Rolf Järmann (SUI) Casino-Ag2r
1999 Michael Boogerd (NED) Rabobank
2000 Erik Zabel (GER) Team Telekom
2001 Erik Dekker (NED) Rabobank
2002 Michele Bartoli (ITA) Fassa Bortolo
2003 Alexandre Vinokourov (KAZ) Team Telekom
2004 Davide Rebellin (ITA) Gerolsteiner
2005 Danilo Di Luca (ITA) Liquigas-Bianchi
2006 Fränk Schleck (LUX) Team CSC
2007 Stefan Schumacher (GER) Gerolsteiner
2008 Damiano Cunego (ITA) Lampre
2009 Serguei Ivanov (RUS) Team Katusha
2010 Philippe Gilbert (BEL) Omega Pharma-Lotto
2011 Philippe Gilbert (BEL) Omega Pharma-Lotto
2012 Enrico Gasparotto (ITA) Astana
2013 Roman Kreuziger (CZE) Saxo-Tinkoff
2014 Philippe Gilbert (BEL) BMC Racing Team

Percurso:
Maastricht - Berg en Terblijt (258 Km)


O perfil é duro, serão 34 'muros' durante o percurso, mas os últimos 50-60 quilómetros as coisas colocam-se bem mais complicadas, não só pela dificuldade em si, mas também pelo o desgaste do constante sobe e desce.
Do perfil destaca, obviamente a última subida, aquela que por norma decide a corrida, o Cauberg, 1,5 quilómetros a 4,7%, não é que seja muito dura, o problema está sensivelmente a meio da mesma, onde a pendente sobe e muito, acima dos 10%, é ai onde a corrida se tem decidido e onde Phillipe Gilbert tem feito a diferença.
A meta encontra-se 1800 metros depois de se passar no topo do Cauberg.


cauberg
Altimetria do Cauberg (Fonte:Climbybike)
Aqui ficam as 34 subidas ao longo do percurso:
1. Slingerberg - Geulle
2. Adsteen - Beek
3. Lange Raarberg - Raar
4. Bergseweg - Kunrade
5. Sibbergrubbe - Valkenburg
6. Cauberg - Valkenburg
7. Geulhemmerberg - Berg en terblijt
8. Wolfsberg - Noorbeek
9. Lorberg - Slenaken
10. Schweibergerweg
11. Camerig - Camerig
12. Drielandenpunt - Vaals
13. Gemmenich - Gemmenich (BE)
14. Vijlenerbos - Gemmenich (BE)
15. Eperheide - Eper
16. Gulpenerberg - Partij
17. Plettenberg - Wittem
18. Eyserweg - Eys - after 140,7 km
19. St. Remigiusstraat : Huls - Simpelveld
20. Vrakelberg - Ubachsberg
21. Sibbergrubbe - Valkenburg
22. Cauberg - Valkenburg
23. Geulhemmerberg - Berg en Terblijt
24. Bemelerberg - Bemelen
25. Loorberg - Slenaken
26. Gulpenerberg - Partij
27. Kruisberg - Wahlwiller
28. Eyserbosweg - Eys
29. Fromberg - Elkenrade
30. Keutenberg - Schin op Geul
31. Cauberg - Valkenburg
32. Geulhemmerberg - Vilt
33. Bemelerberg - Bemelen
34. Cauberg - Valkenburg

Mapa do percurso



Perfil com as características dos 'muros' (Fonte: http://www.tinkoffsaxo.com/news/climbs-amstel-gold-race/)


Startlist:
Aqui

Favoritos:
***** Philippe Gilbert, Alejandro Valverde
**** Joaquim Rodriguez, Michal Kwiatkowski
*** Dan Martin, Michael Matthews, Sergio Henao
** Tom Dumoulin, Tony Gallopin, Greg Van Avermaet
* Roman Kreuziger, Rui Costa, Jelle Vanendert, Fabio Felline

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário