Brian Cookson está determinado agir no 'caso Astana'

O assunto do momento no mundo do ciclismo, contínua a ser o 'caso Astana' e o 'dossier de Pádua'. O Presidente da UCI, recebeu diversas críticas pela forma como agiu no 'caso Astana', deixando a equipa Cazaque receber a licença World Tour.

Brian Cookson, presidente da UCI (na imagem)
"Não fui capaz de esconder o meu desapontamento no dia em que a licença da Astana foi confirmada. Para mim, foi muito frustrante, mas tínhamos de trabalhar com as ferramentas legas que tínhamos à disposição e tive de aceitar, mas o jogo não acabou. Continuo determinado a agir, profissionalmente e legalmente, já que o 'dossier de Pádua' foi recebido e apresentado à comissão de licenças", disse Brian Cookson à La Gazzetta dello Sport.

De qualquer forma, o presidente da UCI, protegeu o vencedor do Tour de 2014 e líder da Astana, Vincenzo Nibali.
"Não há razões para suspeitar dele. O problema é que na equipa dele, existem pessoas com histórias indesejadas e estou a pedir para todos assumirem as responsabilidades, directores desportivos, federações nacionais, corredores e fornecedores." finalizou.

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário