As 10 transferências mais 'sonantes' 2014-2015

Com o final de ano a chegar, iremos abordar agora as 5 transferências que mais 'barulho' fizeram neste inverno.


10- Robert Kiserlovski (Trek->Tinkoff Saxo)
É uma contratação de peso para a equipa de Alberto Contador. Um corredor com potencial para o Top-10 nas grandes voltas, prova são o 10º lugar no Giro em 2010 e 2014. 
O papel em 2015 deverá passar por ajudar os líderes na alta montanha e também por ajudar a equipa nas classificações colectivas.
Outro objectivo também deverá passar por estar em algumas clássicas.

9-Damiano Caruso (Cannondale->BMC)
Caruso é um corredor com potencial para provas de etapas, prova disso é o 9º lugar da geral na última Vuelta e o 2º posto na geral do Tour of Britain de 2012. 
Para o próximo ano, a BMC junta mais um excelente corredor ao seu plantel, quem sabe se não estamos perante o líder da BMC no próximo Giro.

8-Edvald Boasson Hagen (Sky->MTN Qhubeka)
Com 38 vitórias como profissional 3 delas em etapas de grandes voltas (2 no Tour e 1 no Giro), o Norueguês é um reforço de peso para a equipa Sul-Africana. A época de 2014 foi bastante fraca para o nível de Boasson Hagen.
Em 2015, Boasson Hagen deverá liderar a equipa nas clássicas e tentar fazer umas gracinhas nalgumas etapas das grandes volta.

7-Leopold Konig (Netapp-Endura->Sky)
O Checo de 27 anos, vai pela primeira vez estar numa equipa da principal divisão do ciclismo mundial, desde de 2011 que estava no segundo escalão, na Netapp.
Nas duas grandes voltas que participou, fez top-10, 9º na Vuelta de 2013 e 7º no Tour de 2014, será mais um elemento muito forte no comboio da Sky, na ajuda a Chris Froome.

6-Lars Boom (Belkin->Astana)
O grande momento da carreira de Boom, aconteceu na 5ª etapa do Tour de 2014, na infame etapa do 'pavé', onde o Holandês teve uma actuação verdadeiramente fantástica, batendo tudo e todos.
Essa actuação faz com que a sua mudança para a Astana esteja neste top. Será um ciclista importante para a Astana nas clássicas, principalmente nas de empedrado e também será uma carta importante na ajuda a Nibali no Tour, na etapa de...pavé.

5-Ivan Basso (Cannondale->Tinkoff Saxo)
Ivan Basso é um dos grandes nomes do pelotão, não pelo o que tem feito em anos mais recentes, mas sim pelo o que já fez no passado, com 2 vitórias no Giro e 2 pódios no Tour e vários top-3 nas 3 grandes voltas. Também não esquecer algumas boas actuações na Lombardia e na Liége-Bastogne-Liége.
Agora que se encontra na fase descendente da carreira, Basso já admitiu que o seu papel para 2015, passa por ajudar Contador. O seu regresso à Tinkoff marca o reencontro com Bjarne Riis, director desportivo com o qual teve os melhores momentos da carreira.

4-Nicolas Roche (Tinkoff Saxo->Sky)
Roche é um homem que pode fazer top-10 numa grande volta, já o provou por duas vezes na Vuelta (7º em 2010 e 5º em 2013). Era um homem importante no apoio a Contador na Tinkoff e agora será de Froome na Sky.
Será mais um elemento no comboio Britânico, mas Roche está em 5º nesta lista, principalmente porque saiu de onde saiu e vai para onde vai, deixa de servir Contador para ir servir um dos seus maiores rivais, senão mesmo o principal, Froome.

3-Bauke Mollema (Belkin->Trek)
A Trek, finalmente terá aqui o seu líder nas grandes voltas, que nos últimos anos tem faltado, muito por culpa das lesões que assolaram Andy Schleck.
É um reforço de peso, o Holandês já foi 6º e 10º classificado no Tour nos últimos dois anos e 4º  na Vuelta de 2011. Destaque também para o 2º e 3º lugar na Volta à Suiça dos últimos dois anos, prova ganha por Rui Costa.
Para 2015, Mollema deverá liderar a equipa Norte-Americana no Tour.

2-Nacer Bouhanni (FDJ.fr->Cofidis)
Bouhanni em 2014 venceu por 10 vezes, entre elas, estão 3 vitórias no Giro e 2 na Vuelta. No entanto a sua antiga equipa, decidiu apostar em Démare para o Tour.
A relação do corredor com a sua ex-equipa nem sempre foi pacifica e a sua saída não foi nada amigável.
Em 2015, Bouhanni, representará uma equipa Pro-Continental, porém, esta mudança que à primeira vista pode ser olhada como um retrocesso, mas também se pode olhar como uma oportunidade para Bouhanni ter uma equipa totalmente concentrada em si. A Cofidis deverá receber o convite para o Tour e será aí que Bouhanni tentará intrometer-se na luta de titãs, Cavendish vs Kittel.

1-Peter Sagan (Cannondale->Tinkoff Saxo)
Esta era muito fácil, a escolha de equipa de Sagan foi uma das 'novelas' da temporada. Quando se soube que iria para a mesma equipa de Alberto Contador, a pergunta que mais se ouviu e leu era se Sagan e Contador na mesma equipa, não seria demasiado ambicioso e se o Eslovaco teria o apoio necessário, numa equipa quase toda virada para o Espanhol.
A resposta a essa pergunta ainda terá de ser dada na estrada, no entanto, o dono da equipa, o polémico Oleg Tinkov, já fez saber que o seu grande objectivo é vencer em todos os terrenos, desde clássicas às grandes voltas. O Russo, já apelidou a sua equipa de 'super-equipa' e a liderá-la estão Contador e ...Peter Sagan.

Menções honrosas: 
Alessandro De Marchi (Cannondale->BMC), 
Tiago Machado (Netapp-Endura->Katusha), 
Jan Bakelants (OmegaPharma->Ag2R), 
Elia Viviani (Cannondale->Sky).

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário