Subida à Glória 2014

Realizou-se no passado Sábado mais uma edição da Subida à Glória em Lisboa.

Cartaz da Subida à Glória
Esta é uma prova que remonta ao ano de 1910. Diz a história que nesse mesmo ano José Moura subiu a calçada em bicicleta com o tempo de 1,23 minutos. Na mesma década, Alfredo Piedade muito jovem terá feito 1,10 minutos. Em 1926 a corrida é noticiada por vários jornais e ilustrada com fotografias que mostram a multidão a assistir ao espectáculo da subida. Nesse ano, Alfredo Luís Piedade terá feito o tempo de 55 segundos.
Deixou-se de realizar a Subida à Glória, até que em 2013  organização da International Cycling History Conference propôs à União velocipédica portuguesa a realização da corrida de forma a darem a conhecer uma corrida que se realizava nas primeiras décadas do século XX. Assim sendo, a 17 de Maio de 2013 o ascensor da Glória parou e a rua encheu-se de pessoas para ver os ciclistas passar.

Este ano voltou a realizar-se, desta vez a 11 de Outubro. A calçada da Glória é uma rampa que liga a Praça dos Restaurados ao Bairro Alto. Tem cerca de 265 metros de comprimento e 17% de declive médio.

A prova podia ser feita, quer por profissionais quer por amadores, homens ou mulheres com mais de 17 anos.

O início da prova foi feito em contrarrelógio individual para se apurar os melhores tempos. As semifinais e final disputaram-se com dois concorrentes a correrem lado a lado.

O grande vencedor da final masculina de 2014 foi Ricardo Marinheiro, corredor de BTT, que já tinha vencido a edição de 2013. Ricardo conseguiu este ano melhorar o tempo em relação ao ano anterior com 36,686 segundos contra 39,777 segundos obtidos em 2013. Ricardo ganhou assim mais esta edição, em segundo lugar ficou Pedro Preto do clube de ciclismo da Bairrada.

Do lado das mulheres, a final foi travada por duas corredoras de BTT. Vanessa Fernandes e Ilda Pereira. Vanessa, campeã nacional de BTT levou a melhor e ganhou com o tempo de 01:01:366.

Decorreu assim mais uma edição da Subida à Glória. Com alguma chuva à mistura mas muita animação.

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário