Vuelta a España 2019 - Antevisão 13ª etapa

Alguns dizem que 13 é o número do azar, nesta Vuelta significa a etapa em que os corredores irão terminar numa subida, que apenas uma vez esteve no percurso da prova, mas que deixou marcas profundas. É dia de Los Machucos e promete machucar muito boa gente.

Mapa
Perfil
Dia muito duro pelo País Basco e a Cantábria. São mais de 4100 metros de subida acumulada, com nada mais nada menos que 7 contagens de montanha, 4 de 3ª categoria, 2 de 2ª categoria e 1 de categoria especial, esta última coincide com a meta, o tão temível Los Machucos.
Os primeiros 30 Km, são em falso plano e serão bons para os ciclistas rodarem as pernas para o que vem. A primeira subida é o Alto de la Escrita, provavelmente a mais fácil de todo o dia, mas pode-se ser um ponto interessante para que uma fuga se forme. Segue-se Alto de Ubal, quase 8 Km a 6%, aqui as coisas já começam a ser sérias, isto ainda a mais de 100 Km da meta.
Depois da descida, já uma zona relativamente plana e por volta dos 73 Km, nova ascensão inicia-se, o Collado del Ason, uma subida com uma inclinação suave, mas longa, são 12 Km. Rápida descida e nova subida, Puerto de Alisas com 8.6 Km a 5.9%, com o topo a 60 Km da meta.
Depois da descida e de 20 Km planos, os ciclistas terão a sequência final de 30 Km, com 3 subidas: Puerto de Fuente las Varas,  Puerto de la Cruz de Usano e os Los Machucos. As duas primeiras são de 3ª categoria, com o desgaste acumulado, não será de estranhar que muita gente fique para trás. Mas a subida final, os Los Machucos é aquela que fará diferenças importantes. Extremamente irregular, com várias rampas acima dos 20%, uma delas com 26%, o piso é também muito rugoso, será um inferno para alguns.
Em 2017 Stefan Denifl ganhou a etapa, através da fuga, num dia que Froome passou muito mal.

Sprint intermédio:
Km 171.9 - Arredondo

Subidas categorizadas:
Km 39.4 - Alto de la Escrita (3ª Cat., 5.6 Km a 4.4%)
Km 55.6 - Alto de Ubal (3ª Cat., 7.9 Km a 6.1%)
Km 86 - Collado del Ason (2ª Cat., 12.9 Km a 3.8%)
Km 106.1 - Puerto de Alisas (2ª Cat., 8.6 Km a 5.9%)
Km 137.2 - Puerto de Fuente las Varas (3ª Cat., 8.4 Km a 3.9%)
                                                                                              @Laflammerouge
Km 147.1 - Puerto de la Cruz de Usano (3ª Cat., 334 m, 3.1 Km a 5.3%)
                                                                                   @Laflammerouge
Meta - Alto de los Machucos (HC, 6.8 Km a 8.6%)
                                                                                                  @gregariosdelujo
Local de partida: Bilbao
Museu Guggenheim de Bilbao
Bilbao é um município e cidade da comunidade autónoma do País Basco, Espanha, capital da província e território histórico da Biscaia. O município tem 41,3 km² de área e em 2013 tinha 349 356 habitantes (densidade: 8 459 hab./km²). A conurbação onde se insere, na área metropolitana de Bilbao, que se estende ao longo da ria de Bilbao e do rio Nervión, tinha 910 298 habitantes em 2009, ou seja, pouco menos que 80% de toda a população da Biscaia e quase metade do País Basco espanhol.
O principal núcleo urbano de Bilbao é rodeado por duas cadeias montanhosas cuja altitude média não ultrapassa os 400 m e que em parte marcam os limites naturais do município
Em 2010 Bilbao recebeu o prémio Lee Kuan Yew World City Prize (Prémio Mundial das Cidades), concedido pelo estado de Singapura, que premeia a qualidade do urbanismo.

Local de chegada: Los Machucos. Monumento vaca pasiega

Percentagens escandalosas, retas infinitas, curvas 'rompe pernas'... são algumas das características que definem a ascensão de Los Machucos, uma subida "brutal".
Um pedaço do inferno com 28% de rampas. Subida pertencente a Cantabria e mais conhecida como Collado de la Espina. No topo da montanha, as vistas sobre o Parque Natural dos Collados del Asón são extraordinárias.

Condições meteorológicas

Probabilidade elevada de chuva.
Temperatura a rondar os 15ºC no topo dos Los Machucos, um pouco mais nos vales.
Vento moderado de Norte/Nordeste.

Favoritos

Mais um dia de fuga?
Desta vez damos mais probabilidade a decisão ser entre os homens da geral. A Movistar e Astana têm de endurecer para quebrar Roglic e é natural que o ritmo no pelotão seja elevado durante a etapa.
Outra forma de atacar a corrida é enviar ciclistas para a fuga de forma a depois os líderes fazerem a ponte.
Tudo dependerá da vantagem que a fuga irá conseguir alcançar, no entanto, perante a dureza e também a necessidade de endurecer a corrida por parte de determinadas equipas, será natural que a etapa seja disputada entre os da geral.

⭐⭐⭐⭐ Nairo Quintana, Miguel Angel Lopez
⭐⭐⭐ Alejandro Valverde, Primoz Roglic
⭐⭐ Rafal Majka, Mikel Nieve, Tadej Pogacar
Fuga - Dylan Teuns, Ruben Guerreiro, Zdenek Stybar, Sergio Higuita, Esteban Chaves, Jesus Herrada, Jakob Fuglsang, Pierre Latour, Óscar Rodriguez

A nossa aposta: Nairo Quintana
As temperaturas não vão estar elevadas, antes pelo contrário e poderá haver chuva, o colombiano prefere este tipo de condições atmosféricas. Está a 3 minutos de Roglic, ou seja, tem alguma liberdade ao contrário de Valverde e de Miguel Angel Lopez, que estão mais perto.

Joker: Mikel Nieve
Tem liberdade e conhece bem este terreno, já que é praticamente o seu jardim. A Mitchelton-Scott procura ganhar etapas e Nieve parece ser a melhor hipótese.
Não será de estranhar se Nieve se intrometer na fuga e conseguir resistir, tem liberdade para isso.

Seguir em directo: #LV2019 #laVuelta #Vuelta2019 #laVuelta2019
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário