Vuelta a España 2019 - Antevisão 10ª etapa

Depois do dia de descanso nada melhor que um contrarrelógio individual em França para iniciar a segunda semana de prova. Dia muito importante para os homens da geral, curiosamente Pau foi palco do contrarrelógio individual no Tour deste ano, ganho por Julian Alaphilippe.

Mapa
Perfil
São 36 Km, que estão longe de serem planos. O percurso conta com duas subidas, a primeira aparece pouco depois do inicio, são 2 Km a 7.3%, muito constante e que pode dar o mote para o restante contrarrelógio. A segunda está colocada aos 21 Km, são 1.7 Km a 5.9%, com uma rampa de 10%. Os levezinhos têm de aproveitar estas subida para recuperar tempo, no entanto devem também gerir bem os esforço, não adianta muito recuperar tempo se depois chegam à parte mais plana no vermelho.
Em termos técnicos, é um percurso que tem um pouco de tudo, com zonas com várias viragens, assim como tem partes rolantes, sem muitas curvas.

Local de partida: Jurançon
Vinhas de Jurançon
Jurançon é uma localidade francesa, do departamento de Pirenéus Atlânticos, na região da Nova Aquitânia.
A região foi ocupada muito cedo pelos romanos, como evidenciam os vestígios encontrados nas duas margens do rio Néez: na margem esquerda, um spa com motivos figurativos em mosaico, incluindo um Neptuno cercado por animais marinhos, na margem direita, uma construção que compreende um semicírculo de galeria com mosaicos policromados. Até aquilo pelo que a localidade é mais conhecida, o vinho, remonta àquela época.

Local de chegada: Pau
Ville de Pau
Pau é uma cidade francesa situada no departamento dos Pirenéus-Atlânticos, na região da Aquitânia-Limusino-Poitou-Charentes.
Situada no sopé dos Pirenéus, a localidade é conhecida pelos seus talentos emergentes, tanto em desportos de montanha, como no rugby. É já um habitué como cidade do Tour e agora faz parte da história da Vuelta. Conta com cerca de 87,500 habitantes.

Condições meteorológicas

Dia com céu limpo.
Temperatura a rondar os 26ºC.
O vento fraco.

Favoritos

Os holofotes estarão postos na luta pela camisola vermelha, onde Primoz Roglic se a lógica imperar irá ganhar tempo a Quintana, Valverde e Lopez. Mas quanto?
Para isso usamos os últimos 5 contrarrelógios individuais em que o esloveno esteve presente e os seus adversários também. Para o caso de Miguel Angel Lopez, apenas foram usados 4, porque não há mais para comparar.
Não tivemos em conta cronoescaladas.


Como se pode observar, Valverde é o que melhor se deve defender, no entanto é natural que perca cerca de 1 minuto. Já Quintana, deverá perder ao redor de 2 minutos.
Em relação a Miguel Angel Lopez, as contas são um pouco afetadas pelo contrarrelógio do Giro deste ano, onde o colombiano furou e perdeu 2 minutos e 45 (225 seg.) para Roglic. Em principio deverá perder um pouco mais do que Quintana, mas não será surpresa se conseguir andar ao nível do seu compatriota.

⭐⭐⭐ Roglic
⭐⭐ Nélson Oliveira, Thomas De Gendt
⭐Tadej Pogacar, Patrick Bevin, Tony Martin

A nossa aposta: Primoz Roglic
Andorra mostrou um Roglic muito forte e focado no objetivo, que é vencer a Vuelta. Apesar de cair, recuperou e só não foi buscar Quintana e Pogacar.
Aqui é o seu terreno, um contrarrelógio que não é plano, ainda o beneficia mais, já que estas subidas curtas são ao seu jeito. Deverá ganhar e colocar uma vantagem interessante sobre os principais adversários.

Joker: Thomas De Gendt
O belga esteve muito bem no contrarrelógio em Pau no Tour. Apenas batido por um meteórico Alaphilippe e por Geraint Thomas.
Tem estado desaparecido nesta Vuelta e esta é uma oportunidade de tentar a vitória de etapa.

Seguir em directo: #LV2019 #laVuelta #Vuelta2019 #laVuelta2019
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário