Campeonato do mundo CRI-Elites masc. - Antevisão


Um dos momentos mais importantes dos campeonatos do mundo de ciclismo é a prova de contrarrelógio individual masculino. Hierarquicamente é a segunda mais importante do programa apenas atrás da prova de fundo masculina.
Foi introduzida no programa dos campeonatos apenas em 1994, mas já tem uma lista de vencedores muito ilustre. Fabian Cancellara e Tony Martin que com 4 títulos são os recordistas. Segue-se Michael Rodgers que foi campeão do mundo por 3 ocasiões. Mas outros nomes míticos do ciclismo foram campeões do mundo nesta especialidade, o maior nome da lista é o incontornável Miguel Indurain, que venceu a segunda edição em 1995.

História



Percurso

Northallerthon – Harrogate, 54 Km



Contrarrelógio longo, típico de mundial, com 54 Km de extensão e para especialistas como não podia deixar de ser. Primeiros 15 Km são totalmente planos, o restante do percurso é com sobe e desce moderado. As principais colinas são:
- Km 25.5 - 1.1 Km a 4.9% 
- Km 37.5  - 700m a 7%

São 560 metros de subida acumulada em 54 Km, onde as condições meteorológicas serão um factor decisivo.

Startlist

Aqui

Condições meteorológicas

Mais um dia de chuva em Yorkshire, mas menos intensa em relação ao dia anterior.
Vento fraco.
Temperatura a rondar os 16º durante a tarde.

Favoritos

Primoz Roglic
Regressa ao mundial de contrarrelógio depois de ter sido 2º em Bergen 2017. A grande dúvida será se a fadiga o poderá afetar aqui.
Em termos de prestações na especialidade este ano, o esloveno em 6 venceu 4. 

Victor Campenaerts
3º em 2018, atual recordista da hora, porém não compete a sério desde junho, nos nacionais. Depois do record da hora Campenaerts não esteve tão forte na especialidade, foi batido diversas vezes.
Chega a este mundial sem a fadiga de outros, resta saber se a longa ausência poderá ser um problema.

Rohan Dennis
Campeão mundial que passou o ano de 2019 com diversos problemas. Deixou o Tour de uma forma pouco simpática e tem-se queixado constantemente do equipamento da sua equipa. Por esta última razão irá utilizar uma bicicleta BMC neste contrarrelógio.
Resta saber se Dennis regressa ao seu melhor, dado o nível que apresentou este ano, chegar ao pódio já será um bom resultado. 

Remco Evenepoel
Com 19 anos já é um dos grandes especialistas. No entanto a extensão causa algumas dúvidas, o jovem belga foi campeão europeu num percurso com menos de metade que este.
Se conseguir manter um ritmo constante ao longo dos 54 Km, então é um sério candidato a ganhar.

Kasper Asgreen
Uma das grandes revelações da Deceuninck-QuickStep em 2019. Ciclista capaz de andar bem em diversos terrenos e no contarrelógio já está entre os melhores.
A Dinamarca é neste momento um dos viveiros da especialidade, há diversos ciclistas com um nível elevado no contrarrelógio, Asgreen é o melhor, ou não fosse o atual campeão dinamarquês.

Nélson Oliveira
4º em Bergen e 5º em Insbruck, são as 2 últimas participações do português nos mundiais. O objetivo é voltar a lutar pelos primeiros lugares, se possível conseguir a tão sonhada medalha. Parece uma missão complicada, mas não é impossível. 

Outsiders
Tony Martin já não é o que era, no entanto não será de espantar se estiver no top-10 final. 
Patrick Bevin tem-se destacado na especialidade, no entanto a extensão ainda é um problema para ele. No entanto deve terminar no top-10, bem perto do top-5. 
Jonathan Castroviejo baixou muito o nivel este ano. Foi campeão espanhol, mas mostrou pouco mais na especialidade. Em outros anos era candidato a lutar pelo pódio (conseguiu em 2016), este ano um top-10 é o máximo que o vemos alcançar.

⭐⭐⭐⭐⭐ Primoz Roglic
⭐⭐⭐⭐ Remco Evenepoel, Victor Campenaerts
⭐⭐⭐ Rohan Dennis, Nélson Oliveira, Kasper Asgreen
⭐⭐ Patrick Bevin, Jonathan Castroviejo, Tony Martin
⭐ Edoardo Affini, Yves Lampaert, Stefan Kung

A nossa aposta: Primoz Roglic
Joker: Remco Evenepoel

Seguir em directo: @Yorkshire2019, #Yorkshire2019


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário