Vuelta a España 2019 - Antevisão 8ª etapa

Etapa de transição, não é plana, mas também não tem muita montanha. O pelotão chega à Catalunha, mais concretamente a uma cidade que é conhecida pela sua tradição no hóquei em patins, Igualada.

Mapa
Perfil
Quase 170 Km de extensão num terreno que não fosse a subida de 2ª categoria, Puerto de Monserrat, seria para sprinters. Os primeiros 132 Km são relativamente acessíveis e não devem causar problemas. A ascensão situa-se a cerca de 27 Km da meta, são 7.7 Km a 6.7%, deverá selecionar o pelotão e eliminar a maioria dos sprinters.
O final em Igualada é plano e sem grandes dificuldades.

Sprint intermédio:
Km 112,1 - Sant Joan de Vilatorrada

Subidas categorizadas:
Km 139,3 - Puerto de Monserrat (2ª Cat., 7.7 Km a 6.7%)

Local de partida: Valls

Vista sobre a cidade
Valls é uma cidade e município espanhol pertencente à província de Tarragona (Catalunha), capital da região de Alto Campo.
É de grande interesse a igreja românica de "Sant Joan", que remonta ao século XVI e a "Capella del Roser", com um mosaico de azulejos na batalha de Lepanto no século XVII.
Atualmente, o Museu Casteller da Catalunha está a ser construído em Valls, para mostrar a todos o património, que faz parte da lista da UNESCO desde 2010.

Local de chegada: Igualada
Els castellers de Igualada
Igualada é um município da Espanha na província de Barcelona, comunidade autónoma da Catalunha. Capital da comarca de Anoia, a sua principal actividade é a indústria (têxtil, papel, peles).
Considerada a capital europeia do couro, Igualada conseguiu salvaguardar a sua herança em relação a esta indústria, através do museu exclusivo do couro. O  Museo de la Piel exibe a diversidade de usos e aplicações deste material, bem como a evolução da sua técnica de fabricação. Uma tradição de qualidade e excelência.

Condições meteorológicas

Existe probabilidade de chuva para o final da etapa, embora seja baixa. As temperaturas ao longo da tirada rondarão os 30ºC e vento vai soprar fraco.

Favoritos

Fuga?
Cenário ideal para uma fuga ter sucesso. A Astana não deverá colocar entraves e tanto a Jumbo-Visma como a Movistar também não.
A subida ao Puerto de Montserrat deverá seleccionar o grupo de fugitivos e por essa razão, o vencedor será um ciclista que seja competente a subir. Há muitos nomes que podem estar na fuga, há muita escolha e variedade.

⭐⭐⭐ Thomas De Gendt, Ben King, Lawson Craddock, Felix Großschartner, Valerio Conti, Tao Hart, Wout Poels, Gianluca Brambilla, Mark Padun, Wout Poels, Alex Aranburu, Omar Fraile, Patrick Bevin, Zdenek Stybar, Nélson Oliveira
⭐⭐ Sam Bennett
⭐ Fernando Gaviria, Jon Aberasturi, Luka Mezgec

A nossa aposta: Alex Aranburu
É muito complicado prever quem estará em fuga, já que a escolha é muito grande. Desta vez optamos por Alex Aranburu, um ciclista que safa-se em subidas deste tipo e tem uma excelente ponta de velocidade. A Caja-Rural este ano ainda não venceu etapas também e certamente vão querer molhar o bico.

Joker: Sam Bennett
O irlandês afirmou que esta semana contava com disputar mais uma etapa, referindo-se a esta. Isto pode querer dizer que a Bora-Hansgrohe está disposta a perseguir. A grande questão é se Bennett aguenta o Puerto de Montserrat.


Seguir em directo: #LV2019 #laVuelta #Vuelta2019 #laVuelta2019
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário