PostNord Danmark Rundt (2.HC) - Antevisão


A principal prova da Dinamarca começa hoje, será a 29ª edição. São 727 quilómetros divididos por 5 etapas, uma delas é um contrarrelógio individual.
A prova consegue atrair um pelotão de boa qualidade, destaque para nós portugueses, a presença da W52-FC Porto este ano. O país da casa domina no número de vitórias, com 12.

História

últimos 10 vencedores
2009 Jakob Fuglsang (DEN), Team Saxo Bank    
2010 Jakob Fuglsang (DEN), Team Saxo Bank
2011 Simon Gerrans (AUS), Team Sky    
2012 Lieuwe Westra (NED), Vacansoleil–DCM    
2013 Wilco Kelderman (NED), Belkin Pro Cycling    
2014 Michael Valgren (DEN), Tinkoff–Saxo    
2015 Christopher Juul-Jensen (DEN), Tinkoff–Saxo
2016 Michael Valgren (DEN), Tinkoff    
2017 Mads Pedersen (DEN), Trek–Segafredo    
2018 Wout van Aert (BEL), Vérandas Willems–Crelan

Edição 2018 (Top-10)
1 Wout Van Aert (Bel) Veranda's Willems Crelan 18:08:25   
2 Rasmus Christian Quaade (Den) BHS-Almeborg Bornholm 0:00:32   
3 Lasse Norman Hansen (Den) Aqua Blue Sport 0:00:36   
4 Andrey Grivko (Ukr) Astana Pro Team 0:00:50   
5 Julius Johansen (Den) Team Coloquick 0:00:56   
6 Emil Nygaard Vinjebo (Den) Team Coloquick 0:00:58   
7 Christopher Juul Jensen (Den) Team Postnord Danmark 0:01:06   
8 Hugo Houle (Can) Astana Pro Team 0:01:11   
9 Robin Carpenter (USA) Rally Cycling 0:01:18   
10 Jonas Rickaert (Bel) Sport Vlaanderen-Baloise 0:01:23   

Percurso


21/8 Etapa 1 - Silkeborg › Silkeborg (169.7 Km)
22/8 Etapa 2 (CRI) - Grindsted › Grindsted (17 Km)
23/8 Etapa 3 - Holstebro › Vejle (199.7 Km)
24/8 Etapa 4 - Korsør › Asnæs Indelukke (175.2 Km)
25/8 Etapa 5 - Roskilde › Frederiksberg (165.6 Km)  
Total: 727 Km

Percurso onde o contrarrelógio individual tem um peso muito grandes. A primeira e última etapas são para os velocistas, não devem fazer diferenças importantes.
A 3ª e 4ª etapas são as mais difíceis e ideais para marcar diferenças, com perfis ondulados e rompe-pernas. Mas mesmo nesses dias, as diferenças não serão grandes.
O contrarrelógio será o dia que irá fazer a seleção de quem irá discutir a geral e dos que ficarão irremediavelmente afastados dessa luta. São 17 Km completamente planos, ideais para os especialistas.

Perfis

21/8 Etapa 1 - Silkeborg › Silkeborg (169.7 Km)

22/8 Etapa 2 (CRI) - Grindsted › Grindsted (17 Km)


23/8 Etapa 3 - Holstebro › Vejle (199.7 Km)


24/8 Etapa 4 - Korsør › Asnæs Indelukke (175.2 Km)


25/8 Etapa 5 - Roskilde › Frederiksberg (165.6 Km) 

Startlist

Aqui

Favoritos

⭐⭐⭐⭐⭐ Tiesj Benoot, Koen Bouwman
⭐⭐⭐⭐ Mads Würtz Schmidt, Rasmus Quaade
⭐⭐⭐ Lasse Norman Hansen, Krists Neilands, Mikkel Bjerg
⭐⭐ João Rodrigues, Alexander Kamp, Markus Hoelgaard
⭐ Brent Van Moer, Gustavo Veloso, Bryan Coquard, Julius Johansen

A nossa aposta: Tiesj Benoot
O belga é o maior nome presente este ano. Tem um grande problema, que é o contrarrelógio, no entanto se conseguir limitar as perdas nesse dia, nos dois dias seguintes pode marcar diferenças.
A Lotto-Soudal tem uma boa equipa para o apoiar.

Joker: Rasmus Quaade
Foi 2º na edição do ano passado, apenas batido por um super Wout Van Aert. O percurso adapta-se perfeitamente às suas características, muito mais que às do colega Alexander Kamp.
Deverá ser dos melhores no contrarrelógio e defende-se bem em etapas como as 3ª e 4ª.

O que se pode esperar da W52-FC Porto?
A equipa portuguesa faz a primeira incursão pelo norte da Europa. A prova não é a mais favorável às características dos seus corredores, com pouca montanha.
João Rodrigues está ainda a ressacar da Volta, no entanto na semi-clássica na Dinamarca que se disputou o fim de semana passado até esteve bem. Em condições normais até podia lutar pelos primeiros lugares, mas não acreditamos muito nisso.
Gustavo Veloso com uns 3 anos a menos discutia a vitória, agora não deverá fazer muito. António Carvalho, Ricardo Mestre e Edgar Pinto dificilmente brilharão, o terreno é demasiado plano, porém, podem ser importantes no trabalho. Samuel Caldeira pode fazer lugares interessantes nas chegadas rápidas.

Seguir em directo: @postnorddkrundt, #pndkr19



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário