Volta à França 2019 - Antevisão 3ª Etapa

A prova chega a França ao terceiro dia, mas os primeiros 12 Km da etapa ainda serão em território belga. É uma etapa com uma parte final interessante com a vinhas que dão origem ao Champanhe como pano de fundo.


Etapa que pode ser dividida em 2 partes. A primeira são 150 km completamente planos, onde o único ponto de interesse é o sprint intermédio aos 102 Km de prova.
A segunda parte são os últimos 50 Km, que contam com 4 subidas categorizadas, o Côte de Nateuil-La-Forêt é a primeira, segue-se a Côte d'Hautvillers, a Côte e Champillon e a Côte de Mutigny, esta última está colocada a 16 Km da meta. A 4 Km da meta ainda há uma subida não categorizada, a Côte du Mont Bernon com 1000 metros a 5,5%. Em Épernay os últimos 500 metros são a 8%.
É um dia para sprinters versáteis, tipo Sagan, Matthews ou Ewan e para puncheurs como Alaphilippe ou Schachmann.

Nota importante: Há bonificações no topo da Côte de Mutigny (8, 5 e 2 segundos)

Sprints intermédios:
- Dizy-Le-Gros (134 m, Km 102),

Subida categorizada:
- Côte de Nateuil-La-Forêt (4ª Cat., 1.1 Km a 6.8%, Km 173)
- Côte d'Hautvillers (3ª Cat., 0.9 Km a 10.5%, Km 185.5)
- Côte e Champillon (3ª Cat., 1.8 Km a 6.6%, Km 190)
- Côte de Mutigny (3ª Cat., 0,9 Km a 12.2%, Km 199)






Cidade de partida: Binche


Cidade de Binche
O carnaval de Binche é uma herança viva excepcional, um extraordinário evento social e cultural. Como tal, foi considerado pela UNESCO como Património Mundial em 2003. Este carnaval folclórico, nascido de uma longa tradição, consiste num ritual genuíno, que faz com que os participantes sintam que fazem parte de algo único.
A cidade vive de tal forma o carnaval que não é de estranhar terem um museu dedicado ao mesmo. Localizado no colégio dos Agostinianos do século XVIII, o Museu Internacional de Carnaval e Máscaras leva os visitantes a uma fascinante viagem pelas celebrações mundiais. Do carnaval de Binche a todas as celebrações de inverno da Europa, as cerimónias mascaradas dos esquimós e dos índios norte-americanos, sem mencionar a África, a Austrália e a Ásia, a universalidade das máscaras está em exibição. O museu abriga centenas de máscaras, disfarces e acessórios de todos os tipos, formas e materiais.

Cidade de chegada: Épernay


Épernay é conhecida como a capital do Champanhe e, por esse motivo, não é de estranhar que uma boa parte da vida da cidade seja dedicada a este néctar.
Pouco antes da véspera de Ano Novo, a cidade de Epernay, juntamente com o comité da Avenue de Champagne, apresenta Habits de Lumière (Roupas de Luz) três dias de celebrações em torno do modo de vida de Champagne.
Nas noites de sexta e sábado, a Avenue de Champagne transforma-se num lugar de festa gigantesco, com espetáculos de rua, bares de champanhe, música ao vivo e luzes de fogo criando uma atmosfera única. Ambas as noites iluminam a Avenue de Champagne e as grandes casas de champanhe que fizeram a sua reputação.
O sábado é dedicado à boa cozinha com a operação Habits de Saveurs. De manhã, chefs estrelados juntam forças com os produtores de vinho da Avenue de Champagne e com produtores locais para criar uma receita original durante uma sessão de degustação aberta a toda gente. Há ainda competições de pastelaria e workshops para as pessoas aprenderem a combinar pratos e vinhos.

Condições meteorológicas

Dia com algumas nuvens mas sem chuva durante a etapa.
Temperatura irá rondar os 23ºC.
O vento irá soprar moderado de nordeste, isso significa que os ciclistas terão vento de costas na maior parte da etapa.

Favoritos

⭐⭐⭐ Peter Sagan
⭐⭐ Julian Alaphilippe, Michael Matthews, Wout Van Aert
⭐ Mike Teunissen, Max Schachmann, Caleb Ewan, Greg Van Avermaet

A nossa aposta: Peter Sagan
Depois da desilusão da 1ª etapa, onde perdeu para Teunissen por uma unha negra, o eslovaco tem aqui a segunda oportunidade. A chegada é perfeita para ele, os 500 metros a 8% sem contar com os últimos 50 Km de sobe e desce, eliminam os sprinters puro como Groenewegen e Viviani.
Pode não estar na melhor forma, mas está bem e tem a equipa para controlar a etapa.

Joker: Greg van Avermaet
O belga revelou que esta é uma das etapas que apontou. O ideal será conseguir fazer a seleção e se possível eliminar Sagan, Ewan e Matthews.
Está em boa forma, a sua equipa realizou um contrarelógio interessante e todos os sinais são positivos para o lado de Van Avermaet.

A camisola amarela que o vencedor irá usar nesta etapa é uma homenagem ao 50º aniversário da primeira vitória do canibal no Tour.
Seguir em directo: #tdf2019, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 11:00)

(a partir das 13:10)

Horário Portugal continental




Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário