Volta à França 2019 - Antevisão 1ª Etapa

A 106ª edição da Volta à França parte de Bruxelas, na Bélgica, onde Eddy Merckx foi homenageado na apresentação das equipas, pelos 50 anos da sua primeira vitória no Grand Boucle.
3,2,1... Que comece o espectáculo!

Mapa
Perfil

Últimos 5 Km

Este percurso fazia sentido se fosse feito ao contrário, com o Bosberg e o Kapelmuur a menos de 50 Km da meta. Desta forma as duas lendárias subidas flamengas são completamente desperdiçadas e não farão diferença.
Dia para uma  chegada ao sprint, embora o terreno tenha muito sobe e desce em estradas estreitas e com muitas viragens, ou seja, será um dia com um pelotão nervoso. O melhor está guardado para os últimos 500 metros, que são a 4% e pode influenciar o sprint, homens como Ewan e Sagan saem beneficiados neste tipo de chegada.

Sprints intermédios:
- Les Bons Villers (158 m, Km 125),

Subida categorizada:
- Muur Kapelmuur (3ª Cat. 106 m, 1.2 Km a 7.8%, Km 47,5) --pavé
- Bosberg (4ª Cat. 103 m, 1 Km a 6.7%, Km 43,5)--pavé

Cidade de partida e chegada: Bruxelas

Grand Place
Apelidada de Capital da Europa, Bruxelas é a segunda cidade mais cosmopolitana do mundo, com 179 nacionalidades diferentes e mais de 100 línguas faladas. É a única região bilíngue na Bélgica.
Um dos locais mais visitados da cidade é a Grand Place. Reconhecida pela sua riqueza ornamental, é ladeada pela Câmara Municipal e a Casa do Rei (Broodhuis em holandês). É considerada, especialmente por Victor Hugo, como uma das praças mais bonitas do mundo. Em Agosto de 1695, a maioria das casas foram destruída durante o bombardeio da cidade pelas tropas francesas do Marechal Villeroy. Apenas a fachada e a torre da Câmara Municipal, que serviam de alvo para os artilheiros, e algumas muralhas resistiram.
Frequentemente são realizados eventos festivos ou culturais na Grand Places, incluindo em meados do mês de Agosto, um enorme tapete de flores composto por mais de 500.000 begônias.

Condições meteorológicas

Dia com algumas nuvens mas sem chuva.
Temperatura será a ideal para pedalar, a rondar os 25ºC.
O vento irá soprar moderado de oeste na fase inicial e paulatinamente passa a soprar de noroeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Dylan Groenewegen
⭐⭐ Peter Sagan, Elia Viviani, Caleb Ewan
⭐ Alexander Kristoff,Sonny Colbrelli, Michael Matthews

A nossa aposta: Dylan Groenewegen
É o melhor sprinter da atualidade, em potência pura é muito difícil de ser batido. Apesar dos últimos 500 metros serem a 4% e não o beneficiar, o holandês vai querer deixar a mensagem aos adversários e a inclinação não é muito elevada.
À sua disposição tem um comboio de lançamento poderoso.

Joker: Peter Sagan
Apesar da deceção que tem sido esta temporada, o eslovaco raramente desilude no Tour. Na Suiça já mostrou que está preparado para brilhar em França.
A chegada agrada-lhe, os últimos 500 metros podem ser decisivos.

Curiosidade: Os organizadores, ASO e o fabricante LeCoqSportif, criou 20 camisolas amarelas especiais para a corrida deste ano, de forma a comemorar o centenário da instituição da camisola do líder. Em cada dia, o líder da corrida usará uma camisa com um desenho diferente, com alusão a subidas, edifícios e pessoas que marcaram a história da prova.



Seguir em directo: #tdf2019, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 12:15)

(a partir das 11:25)

Horário Portugal continental




Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário