Vuelta a España 2018 - Antevisão 13ª etapa

Chega o primeiro dia de uma sequência de três seguidos nas montanhas do norte de Espanha. La Camperona será o palco da chegada da etapa de hoje.

Mapa da 13ª etapa

Perfil da 13ª etapa
Puerto de Tarna
Alto de la Camperona
A etapa começa na zona costeira asturiana e parte para o interior onde encontram bem cedo a primeira contagem de montanha, de 3ª categoria. Seguem cerca de 50 quilómetros de falso plano, em ligeira subida.
A segunda subida do dia impõe respeito e será um 'aquecimento' para a ascensão final. O Puerto de Tarna é uma contagem de 1ª categoria com 13 Km a 5.8% de inclinação média. Mais uma vez seguem-se 50 quilómetros sem grandes dificuldades e que levam os ciclistas a Sabero.
A subida final, La Camperona, é uma ascensão muito dura, mas o que impressiona são os últimos 2 quilómetros de subidas, com 15% de média e rampas de 20%. Este final esteve presente em 2014 e 2016 e curiosamente os melhores tempos na secção final são exatamente iguais:

La Camperona (2.55 km, 15.14 %, 386 m) 
2014 | 11:34 | Chris Froome 
2016 | 11:34 | Nairo Quintana
11:34 = 13.23 Kph, VAM 2002 m/h

dados retirados da conta de twitter de @ammattipyoraily https://twitter.com/ammattipyoraily/status/1037772679833636864

Sprint intermédio: 
Sabero (970 m, Km 166.5).

Subidas categorizadas:
- Alto de la Madera (3ª Cat., 340 m, 7 Km a 3.5%, Km 21),
- Puerto de Tarna (1ª Cat., 1490 m, 13 Km a 5.8%, Km 105),
- Alto de la Camperona (1ª Cat., 1600 m, 8.3 Km a 7.5%, Km 174.8).

Zona e abastecimento:
- Bezanes (660m, Km 88.3)

Local de partida: Candás. Carreño

Vista sobre Candás
Nas margens do Mar Cantábrico, a apenas 15 km de Gijón, fica a cidade de Candás, capital do Conselho de Carreño. A cidade oferece aos visitantes o fruto do trabalho de muitas gerações de pescadores, que ao longo dos séculos moldaram a personalidade profundamente marítima da localidade.
O Museu de Pintura ao Ar Livre e a exposição sobre a história da indústria de conservas de Candás lembram o caráter marítimo da cidade, assim como a sua gastronomia.
Este é também um destino magnífico para praticar a pesca desportiva e outras atividades náuticas.

Local de chegada: Valle de Sabero. La Camperona

Sabero e as suas montanhas
Sabero é um município e cidade espanhola, na província de Leão, comunidade autónoma de Castela e Leão.
O vale e a cidade de Sabero nem sempre se chamaram assim. Antigamente, em latim, chamava-se Villa Sancti Petri (San Pedro), nome do santo que tem sido desde os tempos antigos titular da paróquia desta bela cidade.
O Vale de Sabero, que antecede os Picos da Europa, une as suas fantásticas paisagens naturais a um património histórico riquíssimo que nos faz viajar até ao seu passado romano e medieval. 
Com uma variada oferta quer cultural, quer desportiva e uma rica gastronomia, é um bom local para visitar durante todo o ano.

Condições meteorológicas

Dia sem chuva, a temperatura rondará os 20ºC. Vento fraco a moderado de Sudeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Nairo Quintana, Miguel Angel López
⭐⭐ Simon Yates, Rigoberto Urán, Steven Kruijswijk, Geoger Bennett
⭐ Fuga

A nossa aposta: Nairo Quintana
Tem de mostrar que é o principal candidato e por isso não vai poder ficar à espera dos outros. Tem uma equipa forte para este terreno, com Valverde e Carapaz como principais ajudas.
A subida final é à sua medida e em 2016 mostrou isso mesmo, tem-se mostrado atento e com boas pernas.
Tem de atacar.

Outsider: Fuga
Mais um dia que não será nada de anormal que uma fuga ganhe muito tempo. Tudo depende da vantagem de tempo que os fugitivos terão à entrada da La Camperona.
De entre as possibilidades para os fugitivos, destaque para quem está a lutar pela classificação da montanha. De todos os possíveis nomes, a nossa aposta recai em Bauke Mollema.

Diferenças entre os candidatos da geral:
2. Simon Yates (Mitchelton-Scott)
3. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 1″
4. Nairo Quintana (Movistar Team) a 14″
5. Ion Izagirre (Bahrain-Merida) a 17″
7. Emmanuel Buchmann (Bora-hansgrohe) a 24″
8. Miguel Ángel López (Astana) a 27″
9. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 32″
10. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 43″
11. George Bennett (LottoNL-Jumbo) a 47″
12. Enric Mas (Quick-Step Floors) a 1:15″
13. David de la Cruz (Team Sky) a 1:33″
14. Gianluca Brambilla (Trek-Segafredo) a 1:41″
15. Fabio Aru (UAE Team Emirates) a 1:49″
16. Wilco Kelderman (Sunweb) a 1:50″
17. Michal Kwiatkowski (Team Sky) a 2:10″
18. Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) a 2:20″

Seguir em directo: #LV2018 #laVuelta #Vuelta2018 #laVuelta2018
(a partir das 14:00, hora de Portugal Continental)
  (a partir das 15:00, hora de Portugal Continental)


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário