Volta à França 2018 - Antevisão 6ª Etapa


Chegou a etapa ideal para os puncheurs, para isso terão de domar o Mûr de Bretagne, em mais um dia pelas estradas sinuosas e ondulantes da Bretanha.

Rescaldo 5ª etapa:

Etapa que prometia muito, mas que acabou por ser uma mini desilusão. Apenas os últimos 10 quilómetros valeram a pena e não foram nada do outro mundo.
A fuga do dia tinha qualidade com, Sylvain Chavanel e Lilian Calmejane (Direct Energie), Jasper De Buyst (Lotto Soudal), Julien Vermote (Dimension Data), Toms Skujins (Trek-Segafredo), Elie Gesbert (Fortuneo-Samsic) e Nicolas Edet (Cofidis. No entanto a BMC desde cedo quis defender a liderança de Greg Van Avermaet e não deixou a fuga ter muita vantagem.
Os últimos 100 quilómetros eram duros para alguns sprinters e desde cedo a maioria mostrou que não ia disputar a etapa, Kittel, Groenewegen, Greipel, Démare e Cavendish ficaram para trás. Conforme se aproximava a meta, os elementos da fuga foram sendo absorvidos pelo pelotão. O letão Tom Skujins é o novo lider da montanha.
Gaviria já perto do final, também ficou para trás e já no último quilómetro o colega de equipa, Philippe Gilbert atacou conforme o esperado, mas sem grande sucesso. Peter Sagan e Sonny Colbrelli disputaram a vitória, com o campeão do mundo a ser o mais forte. 
Ninguém da geral perdeu tempo hoje.

Classificação da 5ª etapa:
1 Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe 4:48:06    
2 Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain-Merida         
3 Philippe Gilbert (Bel) Quick-Step Floors         
4 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team         
5 Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors         
6 Daniel Martin (Irl) UAE Team Emirates         
7 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team         
8 Søren Kragh Andersen (Den) Team Sunweb         
9 Andrea Pasqualon (Ita) Wanty-Groupe Gobert         
10 Vincenzo Nibali (Ita) Bahrain-Merida

Geral individual (Top-10):
1 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team 18:22:00    
2 Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team 0:00:02    
3 Philippe Gilbert (Bel) Quick-Step Floors    0:00:03    
4 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 0:00:05    
5 Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors 0:00:06    
6 Bob Jungels (Lux) Quick-Step Floors 0:00:09    
7 Tom Dumoulin (Ned) Team Sunweb 0:00:13    
8 Søren Kragh Andersen (Den) Team Sunweb         
9 Rigoberto Uran (Col) EF Education First-Drapac p/b Cannondale 0:00:37    
10 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe 0:00:52

Diferenças entre os líderes:
4. Geraint Thomas (Team Sky)
6. Bob Jungels (Quick-Step Floors) a 4″
7. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 8″
9. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 32″
10. Rafal Majka (Bora-Hansgrohe) a 47″
11. Jakob Fuglsang (Astana) a 48″
12. Richie Porte (BMC) a 48″
13. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 50″
14. Mikel Landa (Movistar Team) a 50″
15. Chris Froome (Team Sky) a 52″
16. Adam Yates (Mitchelton-Scott) a 57″
17. Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida) a 1’03”
18. Romain Bardet (AG2R La Mondiale) a 1’12”
19. Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo) a 1’12”
20. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1’12”
22. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) a 1’13”
24. Dan Martin (UAE Team Emirates) a 1’35”
29. Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin) a 1’48”
33. Nairo Quintana (Movistar Team) a 2’05”

Etapa6






Segundo dia seguido para homens com um final bem mais duro que a etapa passada. A etapa parte da cidade de Brest, a capital da Finistère, e os ciclistas irão percorrer 181 quilómetros pelas estradas sinuosas e irregulares da Bretanha. 
Os 21 quilómetros finais, são feitos num circuito, onde passam duas vez pelo Mûr de Bretagne, onde se situa a meta.  A subida do Mûr de Bretagne é subida curta, de apenas 2 quilómetros, mas muito explosiva. A grande dificuldade está no 1º quilómetros, com a % média a rondar os 10%, depois torna-se mais suave, com os últimos 500 metros a serem a 2,4%.

A subida final nos últimos esteve presente em duas edições, 2015 e 2011. Em 2015, Alexis Vuillermoz ganhou, com um ataque demolidor na fase mais complicada. Em 2011 a vitória foi mais disputada, Cadel Evans bateu Alberto Contador por uma unha negra.

Sprints intermédios:  
- Plouguernével (212 m, Km 135)

Subidas categorizadas:
- Côte de Ploudiry (3ª Cat., 128 m, 1.5 Km a 7%, Km 44),
- Côte de Roc'h Trévézel (4ª Cat., 340 m, 2.5 Km a 3.5%, Km 68.5),
- Mûr de Bretagne - Primeira passagem (3ª Cat., 293 m, 2 Km a 6.9%, Km 165),
- Mûr de Bretagne (3ª Cat., 293 m, 2 Km a 6.9%, Km 181),

Bónus
Este ano a organização decidiu colocar nas primeiras 9 etapas um sprint especial relativamente perto da meta, com bónus de 3, 2 e 1 segundos para o 1º, 2º e 3º a passarem nele. Está assinalado no perfil desta forma:

- Saint-Mayeux (290m, Km 168)

Cidade de partida: Brest


A etapa parte de Brest, cidade localizada na região da Bretanha, sede do departamento de Finistère. O porto de Brest alberga um extenso conjunto de infra-estruturas, entre as quais o arsenal da marinha francesa. O arsenal é utilizado desde há vários séculos como a principal base da marinha para a costa Atlântica.
A cidade compartilha algumas semelhanças com Lorient em termos de tradição e cultura marítima.
Falando mais espeficicamente do mar, a cultura marítima de Brest é exemplificada pelo Festival Marítimo Internacional de Brest, que ocorre a cada quatro anos (última edição de 2016, próxima em 2020), onde mais de 1.000 embarcações são exibidas e admiradas pelas centenas de milhares de visitantes.

Local de chegada: Mûr de Bretagne


Mûr-de-Bretagne é um antigo município do departamento de Côtes-d'Armor, na região da Bretanha.
Este município fundiu-se no dia 1 de janeiro de 2017 com Saint-Guen, dando origem a Guerlédan. Esta é uma das subidas mais icónicas da região, conhecida por "Alpe D'Huez da Bretanha", mas ao contrário da original, os seus 2 quilómetros são praticamente em linha reta.

Condições meteorológicas

Mais um dia com muito sol, a temperatura rondará os 23ºC. O vento vai soprar moderadamente de Nordeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Julian Alaphilippe, Alejandro Valverde
⭐⭐  Philippe Gilbert, Greg Van Avermaet, Adam Yates, Daniel Martin
⭐ Chris Froome, Vincenzo Nibali, Jelle Vanendert, Alexis Vuillermoz, Romain Bardet

A nossa aposta: Alejandro Valverde
Na nossa opinião esta subida é uma disputa entre os dois grandes protagonistas da Flèche Wallone dos últimos anos: Valverde Alaphilippe.
Como este ano o francês venceu a Flèche, o espanhol vai devolver e vai bater o francês num final muito apertado entre os dois.

Outsider: Daniel Martin
Mais um homem das Ardenas, que adora este tipo de chegadas. Mostrou sinais positivos em Quimper, ao estar envolvido nos primeiros lugares.
Para ele o ideal é tentar sair no 1º quilómetro da subida, porque no sprint contra Valverde e Alaphilippe, o irlandês tem poucas hipóteses.

Seguir em directo: #tdf2018, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 12:00, hora de Portugal Continental)
 (a partir das 13:10, hora de Portugal Continental, passa para a RTP1 às 14:00)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário