Guia Volta à França 2018 - Favoritos

Geral individual (camisola amarela)

***** 5 estrelas

Chris Froome
Fez uma preparação especifica para o Giro e Tour. O primeiro objetivo foi conseguido venceu o Giro, apesar de ter estado em dificuldades em diversas ocasiões ao longo da prova.
Tem a equipa mais coesa e forte em prova e por essa razão é o grande favorito. Mas a grande questão é se ele não irá sucumbir perante o esforço já despendido em Itália.
O último a vencer Giro e Tour no mesmo ano foi Marco Pantani em 1998.

**** 4 estrelas

Nairo Quintana
Preparou o ano meticulosamente apenas a pensar no Tour, depois da desilusão que foi 2017. Na Suiça deu sinais extremamente positivos, com uma vitória de etapa.
No papel a equipa da Movistar é extraordinária, mas na estrada a luta pela liderança pode criar um ambiente dificil de gerir e pode ser um problema para Quintana.
O percurso não é o ideal, irá perder tempo nos contrarrelógios e terá de lidar com a etapa de pavé. Na montanha ele e a sua equipa terão de ser ofensivos e não podem esperar que a sorte lhes caia no colo.

Vincenzo Nibali
A vitória na Milão-São Remo é um dos grandes momentos do ano. Preparou o Tour da melhor forma possivel e tem uma grande equipa para o ajudar.
O contrarrelógio coletivo é uma das fraquezas da equipa, mas no pavé o italiano irá tentar de certeza recuperar.
Não se deve menosprezar o tubarão.

*** 3 estrelas

Romain Bardet
A principal esperança francesa, que nas duas últimas edições fez pódio. O contrarrelógio continua a ser um grande problema e o que fará no pavé também é uma incógnita.
A montanha continua a ser o seu terreno e é aí que tem de ganhar tempo.

Richie Porte
O australiano tem um grande problema para lidar neste Tour, que é o pavé. A sua pouca destreza em cima da bicicleta, faz dele um dos piores ciclistas a manusear a bicicleta e isso é um grande problema no pavé.
Se sobreviver à 9ª etapa, então temos candidato ao pódio. No contrarrelógio coletivo deverá ganhar tempo a praticamente todos os rivais.

** 2 estrelas

Mikel Landa
Foi para a Movistar para ter liberdade e vai ter a oportunidade de a ter. No entanto se as coisas não correrem bem, é bem possivel que tenha de trabalhar para outros.
A sua natureza ofensiva faz dele um dos trepadores mais perigosos de todo o pelotão. É tão difícil de controlar pelos adversários como é pela sua equipa!

Jakob Fuglsang
Está a realizar um ano muito bom e chega ao Tour com legitimas hipóteses de fazer um resultado de grande nivel, isso implica estar entre os 5 primeiros.
No ano passado já mostrou um grande nível no Tour até o azar bater à porta do dinamarquês. Tem uma equipa forte para a montanha, o contrarrelógio coletivo é um problema, mas pode recuperar tempo no pavé, é um dos melhores da geral nesse terreno.

Adam Yates
O britânico no último teste antes do Tour, no Dauphiné venceu uma etapa num ataque demolidor na parte final da última etapa de montanha.
É um ciclista que gere melhor o esforço que o seu irmão, Simon, que lhe permitiu já um 4º lugar no Tour.
A Mitchelton-Scott deve-se defender bem no contrarrelógio coletivo. No pavé é uma incógnita.

* 1 estrela

Tom Dumoulin
Está com o Giro nas pernas e a sua recuperação é uma enorme dúvida. Tem uma equipa forte para o contrarrelógio coletivo e no pavé é um dos ciclistas da geral que melhor lida com esse terreno.

Ilnur Zakarin
Tem passado ao lado este ano, coloca todas as fichas neste Tour e veremos se o russo vai conseguir andar pelos primeiros.
No pavé é uma incógnita como muitos e no contrarrelógio coletivo deve  perder algum tempo para os rivais. No entanto, o russo é um ciclista ofensivo, acreditamos que na montanha tentará atacar cada vez que possa.

Rigoberto Uran
Depois do brilhante 2º lugar na edição do ano passado, o colombiano este ano tem mais responsabilidades.
Este ano a prova deverá ser mais atacada e por essa razão, não o colocamos com mais estrelas. No ano passado foi sobrevivendo, numa edição muito monótona na montanha.
O percurso não é o ideal para ele, no contrarrelógio coletivo vai perder bastante tempo e no pavé, é dos que tentarão sobreviver.

Outsiders: Primoz Roglic, Rafal Majka, Steven Kruijswijk, Bob Jungels, Alejandro Valverde, Daniel Martin, Geraint Thomas

Top 10 Edição 2017:
1    Christopher Froome (GBr) Team Sky    86:20:55   
2    Rigoberto Uran (Col) Cannondale-Drapac    0:00:54   
3    Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    0:02:20   
4    Mikel Landa (Spa) Team Sky    0:02:21   
5    Fabio Aru (Ita) Astana Pro Team    0:03:05   
6    Daniel Martin (Irl) Quick-Step Floors    0:04:42   
7    Simon Yates (GBr) Orica-Scott    0:06:14   
8    Louis Meintjes (RSA) UAE Team Emirates    0:08:20   
9    Alberto Contador (Spa) Trek-Segafredo    0:08:49   
10    Warren Barguil (Fra) Team Sunweb    0:09:25

Classificação dos pontos

Explicação

Os pontos variam conforme o tipo de etapa, que estão categorizadas da seguinte forma: Plana, Transição (média montanha), Montanha e Contrarrelógio.

 Etapas planas: 1, 2, 4, 7, 8, 13, 18, 21
  Etapas de Transição: 5, 6, 9, 14, 15, 16
  Etapas de Montanha: 10, 11, 12, 17, 19
 CRI: 20
 CRI: 3

Os 15 primeiros ganham os seguintes pontos:

cat.    1º    2º     3º    4º     5º     6º    7º     8º    9º   10º... 17º
 Plana   50      30      20      18      16      14      12      10      8      7    ...   2
 Transição   30      25      22      19      17      15      13      11      9      7    ...   2
 Montanha   20      17      15      13      11      10      9      8      7      6    ...   1
 CRI   20      17      15      13      11      10      9      8      7      6    ...   1

Os sprints intermédios também são pontuados, mas neste caso a pontuação é a mesma para todas as etapas.

                 10º11º  12º  13º  14º  15º  
201715131110987654321


*** 3 estrelas

Peter Sagan
Esta é das classificações mais previsíveis. Venceu esta classificação em 5 das últimas 6 edições e só não ganhou no passado, porque foi expulso de forma incompreensível.
É um ciclista completo, que é capaz de lutar nos sprints com os melhores velocistas e também é homem de se colocar em fugas, papando os pontos intermédios.

** 2 estrelas

Michael Matthews
Aproveitou a expulsão de Peter Sagan para ganhar a camisola verde na edição do ano passado. Tem perdido velocidade de ponta para se tornar um ciclista mais parecido a Sagan, ou seja, aguenta bem a montanha para arrecadar pontos nos sprints intermédios.
Fernando Gavíria
Tem o melhor comboio da prova e isso pode ser decisivo. No entanto estreia-se no Tour e a falta de experiência pode fazer a diferença.
Não é tão completo quanto Sagan e Matthews.

* 1 estrela

Marcel Kittel
O velocistas puros terão oito etapas, o que significa que Marcel Kittel pode arrecadar muitos pontos. No entanto, o desgaste ao longo dos dias não joga a favor do alemão e acreditamos que ciclistas mais versáteis acabem por se impor na luta pela verde.

Alexander Kristoff
É um ciclista que consegue recuperar melhor que outros sprinters. No entanto, nos últimos tempos não tem demonstrado a velocidade necessária para bater consistentemente os melhores.

Dylan Groenewegen
Juntamente com Elia Viviani tem sido o sprinter dominante da temporada. No ano passado venceu a última etapa em Paris e a sua evolução tem sido notável.
Mas como Kittel, a sua capacidade de recuperar é uma incógnita e não tem a versatilidade de Sagan e Matthews.

Outsiders: Arnaud Démare, Mark Cavendish, Sonny Colbrelli, André Greipel

Top 10 Edição 2017:
1    Michael Matthews (Aus) Team Sunweb    370     pts
2    André Greipel (Ger) Lotto Soudal    234    
3    Edvald Boasson Hagen (Nor) Dimension Data    220    
4    Alexander Kristoff (Nor) Katusha-Alpecin    174    
5    Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain-Merida    168    
6    Thomas De Gendt (Bel) Lotto Soudal    149    
7    Dylan Groenewegen (Ned) Team LottoNl-Jumbo    144    
8    Christopher Froome (GBr) Team Sky    133    
9    Rigoberto Uran (Col) Cannondale-Drapac    106    
10    Daniel Martin (Irl) Quick-Step Floors    106

Classificação da montanha

Explicação

As subidas estão categorizadas em 5 categorias. Habitualmente se a meta coincidisse com uma subida de categoria Hors (máxima), os pontos eram a dobrar, no entanto, este ano isso foi alterado, sendo a pontuação a mesma para todas as subida HC. Aqui fica a tabela da pontuação:

                  
Hors categoria201512108642
1ª categoria1086421
2ª categoria5321
3ª categoria21
4ª categoria1


*** 3 estrelas

Warren Barguil
Já disse que não irá correr para a geral e objetivo passa por ganhar etapas. Com liberdade e com a sua capacidade natural para subir, Braguil é novamente o grande candidato a ganhar a classificação da montanha.

** 2 estrelas

Rafal Majka
Já sabe o que é vencer esta classificação. Terá mais dificuldades em disputar esta camisola se estiver bem colocado na geral.

Thomas de Gendt
O rei das fugas e é um bom trepador, o que faz dele um ciclista que pode arrecadar muitos pontos enquanto está em fuga.

Pierre Rolland
Um trepador puro, que deve ter liberdade para tentar ganhar esta classificação. É um ciclista carismático e bastante acarinhado pelo público francês apesar da sua carreira não ser aquilo que todos esperavam.

* 1 estrela

Serge Pauwels
Mais um ciclista clássico em fugas e como De Gendt, sobre muito bem e pode ir arrecadando muitos pontos nas fugas.

Os homens da Geral
São sempre candidatos a esta classificação, devido às chegadas em alto, que este ano até não são muitas.

Outsiders: Omar Fraile, Lilian Calmejane, David Gaudu

Top 10 Edição 2017:
1    Warren Barguil (Fra) Team Sunweb    169     pts
2    Primoz Roglic (Slo) Team LottoNl-Jumbo    80   
3    Thomas De Gendt (Bel) Lotto Soudal    64   
4    Darwin Atapuma (Col) UAE Team Emirates    55   
5    Christopher Froome (GBr) Team Sky    51   
6    Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    47   
7    Mikel Landa (Spa) Team Sky    45   
8    Bauke Mollema (Ned) Trek-Segafredo    37   
9    Alberto Contador (Spa) Trek-Segafredo    36   
10    Serge Pauwels (Bel) Dimension Data    32

Classificação da juventude

Explicação

Classificação geral, mas destinada apenas para os ciclistas nascidos a partir de 1 de janeiro de 1993.

*** 3 estrelas

Egan Bernal
A grande sensação do ciclismo mundial na atualidade. Tem um talento brutal e no seu primeiro ano com a Sky já o mostrou.
Não será surpreendente que na sua primeira grande volta, demonstre já um nível muito bom e lute por um lugar de destaque.

David Gaudu
Sem Pinot, a FDJ aposta em Gaudu. O jovem francês é um trepador puro e na montanha pode surpreender. 
O principal objetivo deve passar por vencer esta classificação e quem sabe um lugar entre os 10 primeiros.

** 2 estrelas

Pierre Latour
Ciclista completo, que anda bem também no contrarrelógio. Na montanha pode ser uma ajuda importante para Romain Bardet.

Marc Soler
Na hierarquia, é a quarta figura da Movistar. Deve trabalhar para os líderes, mas acreditamos se tiver alguma oportunidade, é um ciclista capaz de a agarrar.
Tem sido o ano da confirmação, com a vitória no Paris-Nice, a ser o grande resultado.

* 1 estrela

Daniel Martinez 
Mais um jovem colombiano a dar cartas. Será um homem importante para Rigoberto Uran na montanha e pode aproveitar para entrar nas contas desta classificação.

Tiesj Benoot 
Um dos maiores talentos belgas. Homem das clássicas, mas que também sobe relativamente bem e tem uma recuperação física interessante.
Não é um dos principais favoritos a ganhar a camisola branca, mas nunca se sabe.

Outsiders: Gianni Moscon, Guillaume Martin, Pierre Latour

Top 10 Edição 2017:
1    Simon Yates (GBr) Orica-Scott    86:27:09   
2    Louis Meintjes (RSA) UAE Team Emirates    0:02:06   
3    Emanuel Buchmann (Ger) Bora-Hansgrohe    0:27:07   
4    Tiesj Benoot (Bel) Lotto Soudal    0:35:50   
5    Guillaume Martin (Fra) Wanty - Groupe Gobert    0:47:38   
6    Lilian Calmejane (Fra) Direct Energie    1:29:02   
7    Michael Valgren Andersen (Den) Astana Pro Team    2:19:22   
8    Dylan Van Baarle (Ned) Cannondale-Drapac    2:40:57   
9    Stefan Küng (Swi) BMC Racing Team    2:43:03   
10    Elie Gesbert (Fra) Team Fortuneo - Oscaro    2:48:59

Classificação por equipas

Explicação

A classificação coletiva é dada pela soma dos tempos dos três melhores ciclistas de cada equipa em cada etapa. 
Se houver um empate na classificação final, o desempate é feito pela posição do melhor ciclista de cada equipa. 
As equipas que tiverem menos de 3 ciclistas em prova, não contam para esta classificação.

*** 3 estrelas

Sky
Equipa com uma qualidade impressionante. Uma das favoritas para o contrarrelógio coletivo e na montanha irá colocar o seu comboio a funcionar.
Kwiatkovski, Poels, Moscon, Bernal, Thomas e Froome para a montanha, com Thomas e quem sabe Bernal como planos B, caso Froome pague o esforço do Giro.

** 2 estrelas

Movistar
Em termos individuais, é a equipa mais forte com quatro homens que podem lutar pelos 10 primeiros: Quintana, Landa, Valverde e Soler. Ainda há Amador, um ciclista que já tem lugares de destaque no Giro.
O grande problema é coletivo, será que funciona tanto poder de fogo e tantos líderes numa equipa só?

* 1 estrela

Astana
A equipa cazaque tem realizado um ano muito bom e apresenta-se no Tour com uma equipa interessante para a montanha para apoiar Fuglsang.
No entanto, está longe da qualidade coletiva da Sky e individual da Movistar.

BMC
A equipa norte-americana concentra-se toda em Richie Porte. O objetivo principal é levar o australiano a ganhar a geral individual. Tejay Van Garderen este ano deverá ser apenas um gregário de Porte.
São os principais favoritos no contrarrelógio coletivo.

Ag2R-La Mondiale
A equipa francesa este ano tentou rodear Bardet com homens para todos os terrenos. Dillier e Naesen para o pavé. Vuillermoz, Latour e Frank para a montanha.
Gallopin poderá ter um pouco de liberdade, com o objetivo de vencer uma etapa.

Mitchelton-Scott
Devem-se defender bem no contrarrelógio coletivo e sem Caleb Ewan, que foi ignorado na seleção, a equipa tem uma composição estranha.
Adam Yates para a montanha só tem Mikel Nieve, o que é manifestamente curto.

Top 10 Edição 2017:
1    Team Sky    259:21:06   
2    AG2R La Mondiale    0:07:14   
3    Trek-Segafredo    1:44:46   
4    BMC Racing Team    1:49:49   
5    Orica-Scott    1:52:21   
6    Movistar Team    1:55:52   
7    Cannondale-Drapac    2:15:25   
8    Team Fortuneo - Oscaro    2:18:18   
9    Lotto Soudal    2:28:18   
10    Astana Pro Team    2:28:39   
11    UAE Team Emirates    2:42:43   
12    Team Sunweb    3:23:38   
13    Direct Energie    3:32:35   
14    Wanty - Groupe Gobert    3:54:30   
15    Quick-Step Floors    4:02:19   
16    Cofidis, Solutions Credits    4:06:05   
17    Team LottoNl-Jumbo    4:49:48   
18    Bora-Hansgrohe    5:22:07   
19    Katusha-Alpecin    5:29:11   
20    Bahrain-Merida    5:49:48   
21    Dimension Data    5:51:41   
22    FDJ    6:41:25


Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário