Giro 2018 - Antevisão 1ª Etapa

3, 2, 1... que comece a festa do 101º Giro d'Itália.

Perfil da 1ª etapa
Mapa da 1ª etapa
Pela primeira vez na história, uma Grande Volta começa fora da Europa. Israel acolhe três etapas, a primeira é um contrarrelógio na cidade santa.
É um contrarrelógio ondulado, mas pouco duro, de quase 10 quilómetros, bastante técnico.
Últimos 3 Km
 O último quilómetro tem uma zona a 9%, já bem perto da linha da meta.

Cidade de partida e chegada: Jerusalém

Jerusalém
A cidade de Jerusalém localiza-se a leste de Tel Aviv, entre o mar Mediterrâneo e o mar Morto.
É uma das cidades mais antigas do mundo e considerada sagrada pelas três principais religiões abraâmicas — judaísmo, cristianismo e islamismo.
É impossível falar de Jerusalém sem lembrar a instabilidade política que por lá se vive. A cidade é disputada há anos por Israel e pelo Estado da Palestina, sendo uma das maiores questões no conflito israelo-palestiniano. 

Condições meteorológicas

Dia de muito calor em Jerusalém, acima dos 30ºC. O vento vai soprar fraco e a probabilidade de chuva é baixa.

Favoritos

*** Rohan Dennis, Tom Dumoulin
** Chris Froome, Victor Campenaerts, Jos Van Emden
* Tony Martin, Ryan Mullen, Mads Pedersen, José Gonçalves

A nossa aposta: Rohan Dennis
Percurso e distância ideal para Dennis. Em 2015 na Volta a França num percurso similar conquistou a camisola amarela, batendo Dumoulin e Froome, dois dos adversários presentes neste Giro.

Outsider: Mads Pedersen
Esta é uma aposta arriscada, mas acreditamos que depois de uma excelente primavera para o jovem dinamarquês, irá querer entrar em grande na sua segunda Grande Volta da carreira, curiosamente a primeira foi a última edição do Giro.

O barcelense José Gonçalves é um ciclista que costuma sair-se bem em contrarrelógios curtos. Pode ser uma boa surpresa.

Ordem de saída:

horário -2 horas em Portugal Continental

Seguir em directo: , @giroditalia
(a partir das 11:30, hora de Portugal Continental)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário