Gent-Wevelgem (1.WT) - Antevisão


A Gent-Wevelgem é uma das clássicas mais importantes do calendário, sendo que muitos consideram-na o 6º monumento.
A  edição 2018 será a 80ª, desde de 2004 que a prova não parte da cidade que é considerada o coração espiritual do ciclismo da Flandres e que dá nome à prova, Gent, em vez disso parte numa cidade nos arredores, Deinze.
É conhecida por ser a clássica do pavé mais propícia aos sprinters e a sua história demonstra-o, Cipollini venceu-a por três vezes, Tom Steels ganhou-a duas vezes, Oscar Freire também a conquistou. Porém nem sempre um sprinter puro a venceu, aliás a coisa equilibra-se.
Tom Boonen, Rick Van Looy, Eddy Merckx, Mario Cipollini e Robert Van Eenaeme são os recordistas com três vitórias.

História

últimos 10 vencedores
2008 Oscar Freire (Esp) Rabobank
2009 Edvald Boasson Hagen (Nor) Columbia-Highroad
2010 Bernhard Eisel (Aut) Team HTC - Columbia
2011 Tom Boonen (Bel) Quickstep Cycling Team
2012 Tom Boonen (Bel) Omega Pharma - Quickstep
2013 Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling
2014 John Degenkolb (Ger) Team Giant-Shimano
2013 Peter Sagan (Svk) Cannondale Pro Cycling
2014 John Degenkolb (Ger) Team Giant-Shimano
2015 Luca Paolini (Ita) Team Katusha
2016 Peter Sagan (Svk) Tinkoff
2017 Greg van Avermaet (Bel) BMC

Edição 2017 (Top-10)
1    Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team    5:39:05   
2    Jens Keukeleire (Bel) Orica-Scott        
3    Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe    0:00:06   
4    Niki Terpstra (Ned) Quick-Step Floors        
5    John Degenkolb (Ger) Trek-Segafredo        
6    Tom Boonen (Bel) Quick-Step Floors        
7    Jens Debusschere (Bel) Lotto Soudal        
8    Michael Matthews (Aus) Team Sunweb        
9    Fernando Gaviria (Col) Quick-Step Floors        
10    Sacha Modolo (Ita) Team UAE Emirates

Percurso

Deinze › Wevelgem (250 Km)

O percurso este ano tem uma grande novidade, a inclusão de sectores não asfaltados nem empedrados, em Itália conhecidos por sectores de sterrato, na Bélgica dá-se o nome de Plugstreets. São apenas 3 sectores pequenos praticamente seguidos a pouco mais de 50 quilómetros da meta.
Esta é das clássicas que mais se adequa aos sprinters, no entanto, desde 2014 com a alteração do percurso, a prova não tem sido decidia num grupo compacto com diversos velocistas. O circuito que contém o Baneberg e Kemmelberg, deverá fazer uma seleção, a dúvida será se o grupo será muito restrito, ou as equipas dos sprinters conseguirão estar bem representadas, de forma a controlar a corrida.
O Kemmelberg é a subida onde tudo pode acontecer, um muro típico da Flandres, onde homens como Sagan, Van Avermaet, Gilbert, Terpstra ou Naesen atacarão. A parte final, dependendo da constituição das equipas dos sprinters, deverá ser uma luta entre o pelotão e quem estiver na frente.
Esta prova é longa, são 250 Kms, é outro dos fatores que influencia a prova.



Subidas: 
- Catsberg (159 m, 2.6 Km a 4.4%, Km 136.3), 
- Kokerelberg (97 m, 0.6 Km a 6.1%, Km 139.7), 
- Vert Mont (98 m, 0.8 Km a 4.8%, Km 142.3), 
- Zwarteberg / Ravel Put (127 m, 0.4 Km a 8.4%, Km 144.7), 
- Zwarteberg / Bianchisserie (81 m, 1.0 Km a 4.5%, Km 149.4), 
- Le Ravensberg (66 m, 0.6 Km a 5.4%, Km 155.8), 
- Kemmelberg (Belvedere) (159 m, 0.8 Km a 8.3%, Km 175.8), PAVÉ,
- Monteberg (89 m, 0.8 Km a 5.2%, Km 179.6), 
- Baneberg (132 m, 1.4 Km a 5.4%, Km 211.5), 
- Kemmelberg (Ossaire) (157 m, 0.5 Km a 14.4%, Km 216.1), PAVÉ.

Zonas de abastecimentos:  
- Watou (15 m, Km 122.1), 
- Baneberg (132 m, Km 167.6).

Sectores de pavé: 
1. Beauvoordestraat (+, 500 m, Km 98.0), 
2. Kemmelberg (Belvedere) (+, 600 m, Km 175.8), 
3. Plugstreet 1 (+, 2200 m, Km 192.5), 
4. Plugstreet 2 (+, 1300 m, Km 194.6), 
5. Plugstreet 3 (+, 600 m, Km 196.1), 
6. Kemmelberg (Ossaire) (+, 200 m, Km 216.1).

Perfil dos setores de sterrato belga (Plugstreet):

Startlist 


Condições meteorológicas

A probabilidade de chover é baixa, a temperatura rondará os 10ºC. Como qualquer clássica flamenga, o vento é um fator importante a ter em conta, porém, soprará fraco de norte. 



Favoritos

***** Arnaud Demare, Peter Sagan
**** Alexander Kristoff, Greg Van Avermaet, Philippe Gilbert
***  Matteo Trentin, Dylan Groenewegen, Jasper Stuyven, Sep Vanmarcke,
** Niki Terpstra, Zdenek Stybar Magnus Cort, John Degenkolb, Jurgen Roelandts, Sacha Modolo, Oliver Naesen, Gianni Moscon, Sonny Colbrelli, Michael Matthews, Elia Viviani
* Bryan Coquard, Danny Van Poppel, Wout Van Aert, Edvald Boasson Hagen, Timothy Dupont, Jens Debusschere, Christophe Laporte, Dylan Van Baarle, Jens Keukeleire

A nossa aposta: Philippe Gilbert/Quick-Step Floors
Philippe Gilbert mostrou já estar bem perto da melhor forma na E3, onde foi 2º. A Quick-Step Floors é a melhor equipa do mundo neste tipo de provas, com várias opções e Gilbert é uma das mais fiáveis. A armada da Quick-Step Floors irá querer endurecer a corrida, para que Gilbert, Terpstra, Stybar e Lampaert tenham as suas opções. 
Viviani é a aposta da equipa belga caso chegue um grupo compacto com sprinters.

Outsider: Arnaud Demare
A Gent-Wevelgem é uma prova onde a principal dúvida é saber quem ganha a luta entre o pelotão e os classicómanos. O francês não esteve bem na E3, mas esta prova adequa-se muito mais às suas características.

Seguir em directo:  @GentWevelgem, #GWE,

(a partir das 13:30, hora Portugal Continental)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário