Giro 2017 - Antevisão 11ª Etapa

Após um contra-relógio bastante exigente, que criou várias mudanças na classificação geral, incluindo um novo camisola rosa (Tom Dumoulin), o Giro d'Itália entre na segunda metade com uma etapa de altos e baixos.

Perfil da 11ª etapa
Mapa da 11ª etapa
Na nossa opinião é uma das etapas mais bem desenhadas de todo o percurso, com o bónus de termos como pano de fundo, as paisagens da Toscânia.
Começa em Florença e termina em Bagno di Romagna, com muitas dificuldades pelo meio. Apesar de não terminar em alto, é um dia difícil com quatro contagens de montanha.
A primeira subida tem o seu topo aos 31,8 quilómetros de prova, é o Passo della Consuma (GPM2 15.9 km a 6.1%). A segunda é o Passo della Calla (GPM3, 16 km a 5.3%), com o topo aos 64,2 quilómetros.
O Passo del Carnaio (GPM3, 11.4 km a 4.5%) é a terceira subida categorizada, o topo está 102,4 quilómetros. Mas é a subida final e a descida até à meta que podem marcar algumas diferenças. 
A subida ao Monte Fumaiolo (GPM2, 23.1 km a 3.7%) termina a 25,2 quilómetros da linha de chegada. A descida até Bagno di Romagna, pode ser dividida por dois sectores. O primeiro tem 9 quilómetros de extensão, é muito técnico, com muitas curvas e estrada estreita. Depois há uma pequena rampa e aparece a segunda parte da descida, menos técnico. Os últimos 3 quilómetros são em ligeira subida, mas nada de complicado.

Cidade de partida: Florença

Florença vista da Piazzale Michelangelo
Florença é a capital e a maior cidade da região da Toscana.
É considerada o berço do Renascimento italiano, e uma das cidades mais belas do mundo. Florença é um verdadeiro museu ao ar livre, com um património riquíssimo e conhecida mundialmente pelos seus palácios, igrejas e pontes. A Catedral de Santa Maria del Fiore, o Batistério de São João, a Galeria Uffizi, as igrejas de Santa Maria Novella e Santa Croce, o Palácio Pitti e o Palácio Strozzi estão entre os locais de arte e de culto mais conhecidos da cidade.
Florença é uma cidade linda. Caminhar pelas suas ruas históricas, passar a Ponte Vecchio, subir até à Piazzale Michelangelo e ter uma vista incrível sobre a cidade.

Cidade de chegada: Bagno di Romagna

Termas em Bagno di Romagna
Bagno di Romagna é uma cidade italiana da região da Emilia Romagna, província de Forlì-Cesena, com cerca de 6.090 habitantes.
É uma cidade termal que nos faz recuar até à época do Império Romano. Dentro da sua pequena vila medieval encontramos quatro centros termais, sendo por isso um destino ideal para o turismo de saúde.
Nos arredores uma vasta rede de trilhas imersas nas florestas do Parque Nacional Casentino, perfeitas para aqueles que gostam de caminhadas. A nível gastronómico, Bagno di Romagna é considerada uma das dez "Cidade de Gastronomia" de Emilia Romagna. Dos pratos mais típico destacamos o basotti (uma espécie de tortilha mas com massa em vez de batata), Focaccia dolce di Bagno (doce da Páscoa) e o Formaggio Raviggiolo (queijo da região).

Condições meteorológicas

Mais um dia com muito sol e temperaturas agradáveis (a rondar os 20ºC). O vento irá soprar moderado de nordeste, o que significa que em grande parte do percurso os ciclistas terão vento cruzado.

Favoritos

**** Fuga (Rui Costa, Ben Hermans, Mikel Landa, Luis Léon Sanchez, Valerio Conti, Omar Fraille, Michael Woods, Mateo Montaguti, Pierre Rolland, Tejay Van Garderen)
*** Vincenzo Nibali
** Bob Jungels, Bauke Mollema, Geraint Thomas, Adam Yates
* Ilnur Zakarin, Thibaut Pinot, Andrey Amador, Tom Dumoulin

A nossa aposta: Fuga
A primeira subida deverá criar uma fuga forte, com nomes importantes, mas que já estejam longe na classificação geral, não pondo em causa os primeiros lugares.
Esta situação agradará à Sunweb, se ninguém ameaçar a liderança de Dumoulin.

Outsider: Vincenzo Nibali
O tubarão pode fazer a diferença na última descida, que é técnica e complicada. Se a corrida ainda estiver aberta para o grupo principal, o italiano tentará algo numa das suas grandes especialidades.
O rivais terão de estar bem atentos, porque se o tubarão sentir o cheiro de sangue, não perdoará.

Seguir em direto: #giro100, @giroditalia
(a partir das 12:15, hora de Portugal Continental)






Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário