Paris-Roubaix - Declarações dos intervenientes

Pódio do Paris-Roubaix 2017
A temporada das clássicas do pavé terminou ontem com o Paris-Roubaix e a vitória de Greg Van Avermaet. Fiquem agora com as declarações de alguns dos intervenientes do dia.

Greg Van Avermaet: "Sofri muito mas a vitória faz esquecer tudo"

Greg Van Avermaet venceu ontem o primeiro Monumento da sua carreira, num dia em que até sofreu problemas mecânicos e viu-se atrasado em relação a outros favoritos.
"Estou muito feliz. Sofri muito mas a vitória faz esquecer tudo. Stybar não trabalhou muito durante a fuga e tive medo do que ele poderia estar a tramar. Apesar disso, sentia que chegava forte ao final da prova e estou muito feliz por ter ganho o Paris-Roubaix ao sprint.

Num pequeno resumo do dia, o ciclista da BMC disse:
"Foi perfeito. É verdade que no início tive azar, mas com o grande trabalho do Daniel Oss e restante equipa, conseguimos terminar bem."

Quando lhe perguntaram o porquê de não ter lançado um ataque, Van Avermaet respondeu:
"A equipa disse-me para manter a calma. Sempre demonstrei que podia sprintar muito bem e por isso não quis ficar obcecado em deixar os outros para trás."
"Foi sem dúvida uma primavera de sonho. A Volta a Flandres foi muito bonita, estou muito contente com o segundo lugar que consegui mas isto supera tudo."

Zdenek Stybar: "Pensei parar e tentar trazer o Tom para a frente da corrida"

Ontem a Quick-Step correu com Tom Boonen no pensamento. O ciclista belga fazia a sua despedida da estrada e tentava fechar com chave de ouro uma carreira de inúmeros sucessos. Mas quem mais se destacou foi Zdenek Stybar, que disputou o sprint final tendo ficado em segundo lugar, já Boonen não conseguiu ir além da 13ª posição.

No final Stybar era um homem divido, queria ganhar e lutou para isso mas não se esqueceu do colega de equipa.
"Fizemos tudo o que pudemos pelo Tom. Toda a equipa apoiou, de coração queríamos que ganhasse. De repente encontrei-me em posição de disputar a vitória e não sabia o que fazer. Foi um momento muito difícil."
 
Stybar teve de se contentar com o segundo lugar mas demonstrou estar desapontado.
"É decepcionante acabar em segundo. Tive de trabalhar muito durante a etapa. Apesar de no final da prova ter conseguido pôr-me na roda, tem que se dizer que o Paris-Roubaix não é como estar sentado no sofá. Fiz o que podia fazer, talvez deve-se ter sprintado 50 metros mais tarde, mas é o que há."
"Quando estava na fuga pensei em parar e tentar trazer Tom para a frente da corrida. Nunca pensei em disputar a vitória do Paris-Roubaix de hoje, o meu grande sonho era entrar no velódromo junto com Boonen. Isso não aconteceu e por isso estou muito decepcionado, apesar de ter dado tudo o que podia. Tommeke é um ciclista fora de série, excelente pessoa e um grande amigo."

Sebastian Langeveld: "Estou muito orgulhoso deste terceiro lugar"

É a primeira vez que Langeveld fez pódio no Paris-Roubaix. Até agora, os seus melhores resultados tinham sido 7º e 8º lugar.
"Estou muito orgulhoso e feliz por este terceiro lugar. Acabar terceiro num Monumento como este é algo fantástico. Não sei se podia ambicionar algo mais, é uma suposição muito difícil de fazer. Tinha boas pernas e encontrava-me muito bem, mas quando vais ao lado de Van Avermaet nada é fácil."


Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário