Boonen planeia a sua última temporada, Anunciada Strade Bianche 2017, Adriano Malori e o futuro


Tom Boonen planeia a sua última temporada

A última temporada de Tom Boonen já está a ser planeada. De recordar que Boonen anunciou que iria terminar a sua carreira após o Paris Roubaix de 2017, prova que sonha voltar a ganhar (conta com quatro vitórias no seu currículo). 
O ciclista da Etixx-Quick Step (que no próximo ano se chamará Quick-Step Floors) optou por voltar a uma planificação mais tradicional. Sendo assim, Boonen iniciará a sua temporada no Tour do Qatar e depois fará o Tour do Oman. Bastante diferente do início de temporada em 2016, no qual Boonen participou na Volta à Comunidade Valenciana e depois na nossa Volta ao Algarve. 

Anunciada Strade Bianche 2017

A empresa organizadora da Strade Bianche deu a conhecer o traçado para a edição 2017.
Caracterizada pelas belas paisagens da Toscana e os sectores em sterrato, a prova italiana assume um papel cada vez com maior relevo, ascendendo mesmo à categoria World Tour em 2017. 
Para 2017 a prova reserva-nos 11 sectores de sterrato com um total de 61,9 quilómetros, divididos pelos 175 quilómetros que os ciclistas terão de percorrer. 
O ano passado Fabian Cancellara foi o vencedor tendo completado 3 vitórias na prova. Como forma de homenagem, Cancellara pode escolher um sector de sterrato para ser baptizado com o seu nome. Cancellara escolheu o Monte Sante Marie, um dos maiores sectores da prova com 11,5 quilómetros.


Sectores de sterrato:
Sector 1: Vidritta – 2,1 km
Sector 2: Bagnaia – 4,7 km
Sector 3: Radi – 4,4 km
Sector 4: Str. Com di Murlo – 5,5 km
Sector 5: Lucignano d’Asso – 11,9 km
Sector 6: Pieve a Salti – 8,0 km
Sector 7: 9,5 km
Sector 8: Monte Sante Marie – 11,5 km -- Sector Fabian Cancellara
Sector 9: Monteaperti – 0,8 km
Sector 10: Colle Pinzuto – 2,4 km
Sector 11: Le Tolfe – 1,1 km

Adriano Malori e o futuro

Adriano Malori que sofreu uma queda gravíssima em Janeiro passado, falou agora sobre o futuro.
Malori passou por uma longa recuperação e venceu as previsões dos médicos que lhe diziam ser praticamente impossível voltar a praticar ciclismo de estrada de forma profissional. "Disseram-me que eu não ia conseguir sequer lavar os dentes. No entanto.... os comentários dos médicos podem contradizer-se e eu sou a prova disso mesmo", disse o ciclista italiano à Gazzetta dello Sport.
Apesar da recuperação, as dúvidas sobre o futuro continuam. "Há muitas dúvidas, perguntas que surgem. Eu não sei se vou encontrar os papéis principais, não sei como o meu corpo vai reagir a corridas como o Tirreno-Adriático e o Giro d'Itália. Sei que vou voltar à competição, mas também sei que já não serei uma referência mundial no contra-relógio. Quero ser testemunha de algo importante: a minha mensagem é para dar esperança a todos os que têm problemas neurológicos. Tomem de exemplo a minha história para manter um pouco a esperança".


Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário