Vuelta 206 - Antevisão 6ª Etapa

Esta primeira semana, podia-se chamar Vuelta a Galicia. Mais um dia pela Galiza, onde regressam à província de Ourense.


O perfil da etapa é o ideal para que uma fuga tenha sucesso, com o interior galego a ser o protagozista desta vez. Apenas uma contagem de montanha, situada a cerca de 50 Kms da meta, sendo de 2ª categoria. No entanto o perfil da etapa engana, ainda antes, há uma subida não categorizada, perto dos 95 Kms de corrida.
Os primeiros 86 Kms são mais calmos, no entanto o restante da etapa, é sobe e desce, até é um pouco incompreensível, que não sejam categorizadas algumas cotas.
No final, os corredores terão feito mais de 3000 metros de subida acumulada, num dia que parece tranquilo, mas que na prática tem tudo para ser um rompe pernas.
A única subida categorizada:
- Km 115.9 - Alto Alenza: 10.9 km subida a 5.1% - categoria
Perfil da 6ª etapa


Cidade de partida: Monforte de Lemos

Castelo de Monforte de Lemos
Monforte de Lemos é uma cidade e município de Espanha, na Comunidade Autónoma da Galiza. É a capital da região da Terra de Lemos e da Ribeira Sacra.
Vivia a sua maior glória durante os séculos XVI e XVII como capital do Condado de Lemos. A chegada do comboio em 1883 converteu-a na via ferroviária mais importante da Galiza e contribuiu a o seu crescimento como cidade. Entre os seus monumentos mais importantes destaca-se o Mosteiro de São Vicente del Pino, no monte que da nome à cidade.

Cidade de chegada: Luintra Ribeira Sacra

Vinhas de Ribeira Sacra
Ribeira Sacra é a designação dada a uma área no sudeste da comunidade autónoma da Galiza, delimitada pelos rios Sil e Minho, que se estende pelo norte da província de Ourense e sul da província de Lugo. 
O nome "Ribeira Sacra" poderá ter tido origem na Idade Média e durante muito tempo pensou-se que o termo derivasse do latim Rivoira Sacrata, em referência à grande quantidade de mosteiros e igrejas que se encontram nas encostas escarpadas dos monumentais vales profundos da área. 

Condições atmosféricas
Algumas nuvens, mas nada como a etapa anterior, onde a chuva marcou presença em força. As temperaturas na parte da tarde vão ser elevadas, acima dos 30ºC. O vento vai soprar fraco de oeste.

Favoritos:
Dia ideal para que uma fuga se forme e tenha sucesso. A BMC tentará controlar da melhor forma possível o pelotão de forma a manter Atapuma de vermelho.
Se for em pelotão compacto, o final é complicado e adapta-se não só aos sprinters, como a punheurs.

*** FUGA (Adam Hansen, Philippe Gilbert, Ben Hermans, Enrico Battaglin, Luis Léon Sanchez, Odd Christian Eiking, Christophe Riblon, Thomas De Gendt, Zdenek Stybar, Omar Fraile, Pello Bilbao, Lilian Calmenaje, Tiago Machado...
** José Gonçalves, Alejandro Valverde, Fabio Felline, Michal Kwiatkowski, Simon Gerrans
* Gianni Meersman, Jempy Drucker, Kristian Saragli, Niccolo Bonifazio

A nossa aposta: Zdenek Stybar (Fuga)
É sempre muito complicado adivinhar quem estará na fuga. A aposta é em Stybar, apenas porque temos de nomear alguém que possa estar em fuga e que o perfil se adeque a ele.

Outsider:
José Gonçalves
Este é o tipo de final que o corredor de Barcelos gosta. Tem-se mostrado em boa forma nesta Vuelta e esta etapa é uma das melhores oportunidades para ganhar algo. Tanto pode estar em fuga (vai ser complicado, já que ainda não está muito longe na geral e a BMC não vai querer dar espaço), como também o pode fazer numa chegada em grupo compacto, principalmente em dias com este tipo de perfil

Seguir em directo: Eurosport 1, TVI24, @lavuelta, #LV2016

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário