Análise da Katusha 2015


A equipa russa em 2015, foi das mais vitoriosas e muito se deve a Alexander Kristoff, que obteve metade do total das vitórias da equipa. Curiosamente, não foi o melhor colocado no ranking UCI, Joaquim Rodriguez acabou o ano em 2º atrás de Alejandro Valverde, enquanto Kristoff acabou em 4º.

A quatro primeiras vitórias foram todas conquistadas por Kristoff, a 2ª, 4ª e 5ª etapas do Tour of Qatar e a 3ª etapa do Tour of Oman, todas estas vitórias foram em fevereiro. Em março, Anton Vorobyev venceu o prólogo dos 3 dias no Oeste da Flandres, Kristoff venceu a 1ª etapa do Paris-Nice, Sergei Chernetskii ganhou a 6ª etapa da Volta à Catalunha e Luca Paolini arrecadou a Gent-Wevelgem. No último dia do mês, Kristoff venceu a 1ª etapa dos 3 dias de Panne.
A prova foi completamente dominada pelo noruegês, que venceu todas as etapas, excepto a 3b e também levou para casa a geral.
No inicio de abril, Angel Vicioso ganhou o GP Miguel Indurain. Kristoff estava imparável e ganhou a Volta à Flandres e a Scheldeprijs, num inicio de ano de sonho para o noruegês.
Ainda em abril, Joaquim Rodriguez ganhava a Vuelta ao País Basco, para isso venceu a 3ª e 4ª etapas da prova.

Já em maio, Ilnur Zakarin venceu a a Volta à Romandia, o russo foi uma das revelações do ano. Kristoff venceu as 1ª e 2ª etapas do Volta à Noruega. Enquanto que no Giro, Ilnur Zakarin venceu a 11ª etapa, numa prova, onde o melhor da equipa russa foi, Yuri Trofimov no 10º lugar da geral.
No Tour des Fjords, a equipa russa dominou por completo, com Kristoff mais uma vez a coleccionar vitórias, foram 3 etapas (1ª, 2ª e 3ª) e Marco Haller venceu a geral.
Em junho, Kristoff continuou a vencer, neste caso o GP du canton d'Argovie e a 7ª etapa da Volta à Suiça, que foi ganha por Simon Spilak.
Antes do Tour, Gatis Smukulis sagrou-se campeão de contrarelógio da Letónia, Yuri Trofimov campeão de estrada da Rússia e Marco Haller da Áustria.

No Tour a equipa apostou em obter o maior número de vitórias de etapas. Porém Kristoff foi uma desilusão, esteve longe da melhor forma, a equipa russa conseguiu duas etapas, ambas por Joaquim Rodriguez em duas chegadas ao seu estilo, no Mur de Huy e em Plateau de Beille.
Depois do Tour a equipa só voltaria às vitórias na Vuelta a Burgos, na 3ª etapa por Vladimir Isaychev e na 5ª por Daniel Moreno.
Kristoff voltaria às vitórias na Artic Race, ao vencer no primeiro dia e também conquistaria o GP Ouest France - Plouay

Na Vuelta, o grande objcetivo da equipa era apoiar Joaquim Rodriguez, o catalão acabaria por liderar a prova, mas perderia a liderança no contrarelógio individual. Venceu uma etapa, a 15ª e ficou mais uma vez às portas da vitória a menos de 1 minuto do vencedor, acabou em 2º da geral atrás de Fabio Aru.

Curiosidades e dados estatísticos 
País: Rússia
Classificação UCI 2015: 2º
Número de vitórias em 2015: 40 (4ª equipa com mais vitórias em 2015)
Melhor ciclista no ranking UCI 2015: Joaquim Rodriguez (2º)
Corredor com mais Kms em 2015: Tiago Machado (14 600 kms, 15º entre todos os ciclistas em 2015)
Corredor com mais dias de competição: Tiago Machado (92 dias, 15º entre todos os ciclistas em 2015)
Corredor com maior número de vitórias: Alexander Kristoff (20 vitórias, 1º entre todos os ciclistas em 2015)
Orçamento: 14,5 milhões de Euros
Fornecedor de bicicletas: Canyon
Outros componentes: Shimano

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário