Giro dell'Emilia (1.HC) - Antevisão


A 1ª edição foi no longínquo ano de 1909, sendo que a prova apenas não se realizou em :1915, 1916, 1926, 1932, 1933, 1939, 1944, 1945 e 1964. Em 2015 irá para a estrada a 98ª edição da clássica italiana, que é uma das mais acarinhadas em Itália.
A lista de vencedores desta clássica é um autêntico luxo. Coppi, Bartali, Merckx, Vlaeminck, Moser, Rominger, Bartoli, Ullrich, Basso e Quintana, são alguns dos nomes. Entre os vencedores está, Acácio da Silva, que venceu a prova em 1985.
 
A clássica é marcada pelo seu final no Santuario de la Madonna di San Luca, com a sua subida final dura e que já pertence à história do ciclismo italiano.
 
História
últimas 10 edições
2005 Gilberto Simoni (ITA) Lampre-Caffita
2006 Davide Rebellin (ITA) Gerolsteiner
2007 Fränk Schleck (LUX) Team CSC
2008 Danilo Di Luca (ITA) LPR Brakes-Ballan
2009 Robert Gesink (NED) Rabobank
2010 Robert Gesink (NED) Rabobank
2011 Carlos Betancur (COL) Acqua & Sapone
2012 Nairo Quintana (COL) Movistar Team
2013 Diego Ulissi (ITA) Lampre-Merida
2014 Davide Rebellin (ITA) CCC-Polsat-Polkowice

Percurso
Bologna › San Luca, 200 Kms

A primeira parte da clássica passa-se a sul de Bolonha, com duas grandes dificuldades, o Croce delle Pradole (11.5km, 5-7%), perto dos 71,5 quilómetros e o Valico di Santa Lucia (3.4Km, 10-12%), aos 89,6 quilómetros, que levam os corredores aos 810 metros de altitude.
Depois da descida aparece a 65 quilómetros do final a subida do Badolo (6Km, 5-6%), que se prolonga até Bolonha.
A faltar cerca de 40 quilómetros os ciclistas chegam ao circuito de quatro voltas, que tem a mítica subida de San Luca (2.1km, 10%), a pendente máxima são de 18%.

Perfil da prova
Últimos 3 quilómetros

Startlist
 
Percurso
***** Jan Bakelants
**** Domenico Pozzovivo, Davide Rebellin
*** Damiano Cunego, Jose Goncalves, Edoardo Zardini, Sergey Firsanov, Louis Meintjes,  Pierre-Roger Latour
** Mauro Finetto, Franco Pellizotti, Manuel Bongiorno, Rodolfo Torres, Serge Pauwels, Hugh Carthy, Gianfranco Zilioli
* Stephen Cummings, Angel Madrazo, Hubert Dupont, Merhawi Kudus, Jan Polanc, Valerio Conti, Matteo Montaguti, Miguel Angel Rubiano

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário