Vuelta 2015 - Antevisão 10ª etapa

Mais um dia a percorrer a Costa espanhola. Desta vez a etapa sai de Valência a terceira maior cidade espanhola e acaba em Castellón.
Depois de um dia, onde existiram algumas diferenças, mas nada de decisivo, a 10ª etapa promete ser bem mais calma, antes do dia de descanso e do terror que vai ser a 11ª etapa em Andorra.

Local de partida: Valência

Cidade de Valência
A cidade de Valência é a capital da Comunidade Valenciana e é a terceira cidade com população da Espanha. 
Valência é uma cidade muito antiga, datada do século II a.C., fundada no ano de 138 a.C. 
É uma das cidades mais visitadas de Espanha. A sua localização na costa do Mediterrâneo, faz com que seja um dos destinos mais populares para férias, com estâncias balneares bastante conhecidas. 
Mas não é só a costa que vale a pena visitar, a cidade tem vários pontos de interesse com bairros históricos, tradições populares e muitos museus. 

Local de chegada: Castellón

Castelló de la Plana, capital da província de Castellón
Castellón é uma província espanhola localizada na Comunidade Valenciana. A sua capital é Castelló de la Plana. 
Originalmente a cidade Castelló de la Plana foi fundada no interior, em terras altas. Mas por volta do século XIII foi deslocada para a costa.
No centro da cidade podemos encontrar o mercado, a câmara municipal, a catedral e El Fadri, uma torre sineira octogonal de 58 metros, que foi construída entre 1590 e 1604.
É um território bilíngue, onde tanto de fala o castelhano como o valenciano (catalão). 

Percurso
Valência-Castellón, 146,6 Km

vuelta10
A etapa irá percorrer a costa, ou seja, o vento será um factor importante a ter em conta. A etapa é curta e logo aos 29 quilómetros, aparece uma subida de 3ª categoria, Puerto del Oronet, 5,4 quilómetros de extensão a uma pendente média de 4,6%.
100 quilómetros mais tarde, aparece a segunda subida categorizada do dia, ao Alto del Desierto de las Palmas, são 7,1 quilómetros a 5,4% de inclinação média, com pontos a 10%.

Favoritos
Um dia para uma fuga vingar, mas se as equipas dos homens mais rápidos decidirem querer aproveitar o dia para tentar a vitória de etapa, então uma chegada ao sprint é provável que aconteça. No entanto a contagem de 2ª categoria a cerca de 17 quilómetros do final pode fazer estragos. Degenkolb é um dos homens rápidos que são capazes de passar a subida, porém a equipa neste momento está mais concentrada em defender o líder da prova, Tom Dumoulin.
Depois do alemão temos homens como Sbaragli e Ewan, homens rápidos e também eles capazes de se aguentarem na subida. Drucker, Rojas, Richeze, Simon, Bilbao, Visconti e o 'nosso' José Gonçalves, entre outros, podem conseguir a surpresa. 

***** Fuga
****  John Degenkolb, 
*** Kristian Sbaragli, Caleb Ewan
** Jempy Drucker, José Joaquim Rojas
* Maximiliano Richeze, Julien Simon, Pello Bilbao, José Gonçalves, Giovanni Visconti

A nossa aposta: Fuga
Surpresa: José Gonçalves

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário