Tour 2015 - Antevisão 6ª Etapa

A sexta etapa apresenta-nos um perfil com constantes subidas e descidas, mas é último quilómetro que se espera muita acção. A parte final da etapa é em subida e promete tornar a corrida muito interessante.
Perfil 6ª etapa
Cidade de partida: Abbeville



Igreja de St. Wulfran - Abbeville
Abbeville é uma cidade francesa fundada no século IX. 
No seu centro histórico encontram-se vários edifícios medievais, como é o caso da Igreja de St. Wulfran (na imagem). 
Abbeville sofreu ocupação inglesa no século XIV e XV e alemã em 1940. As portas da cidade abriram-se pela primeira vez para o Tour em 2012. Na altura, a etapa também saiu de Abbeville mas terminou na cidade de Rouen. Nessa etapa, André Greipel saiu vitorioso. 

Cidade de chegada: Le Havre

Vista sobre a cidade Le Havre
A cidade portuária Le Havre foi imensamente fustigada pela Segunda Grande Guerra. Foi ocupada pelos alemães na década de 1940 e sofreu vários danos. 
Com o final da guerra foi tempo de arregaçar mangas e reconstruir a cidade. O arquitecto Auguste Perret foi o responsável pela reconstrução centro histórico da cidade. Em 2005 a UNESCO declarou o centro histórico como Património Mundial da Humanidade. 
A primeira vez que o Tour  teve como palco a cidade Le Havre foi no ano de 1911, numa etapa com 361 quilómetros!

Últimos 5km da etapa
A etapa é um constate sobe e desce, conta com três contagens de montanha de quarta categoria. O estado do tempo também pode influenciar a corrida, porque a etapa se passará junta à costa, com o vento a poder fazer estragos.
A parte final da etapa é complicada, com a entrada em Le Havre a brindar os corredores com uma subida de 850 metros a 7% de pendente média. O posicionamento nesta parte será essencial, depois de passado o mais complicado, os metros finais continuarão a ser em subida, mas menos inclinada.

Os favoritos:

Peter Sagan é o grande favorito, já leva dois segundos lugares atrás de Greipel, mas desta vez o alemão não deve conseguir estar com os da frente na subida final. O eslovaco apesar de derrotado nos dois sprints mostrou estar numa forma espantosa.
Greg Van Avermaet tem nesta etapa uma boa oportunidade de vencer uma etapa do Tour, a parte final deve agradar ao belga.
Tony Gallopin, neste tipo de etapas é sempre um homem a ter em conta, será um dos homens que estará nos primeiros postos.
John Degenkolb é uma das dúvidas, será que passa com os da frente aqueles 850 metros? Se sim, será um forte candidato a vencer.
Alejandro Valverde, não esteve tão bem no Mur de Huy quanto esperávamos, esta última subida não é o Mur de Huy, mas pode dar para Valverde fazer a diferença.
Zdenek Stybar, não se dá mal com este tipo de perfil, claro que se tivesse pavé ou sterrato à mistura era melhor, mas Stybar, tem aqui um final interessante para as suas características. 

***** Peter Sagan
**** Tony Gallopin, Greg Van Avermaet
*** John Degenkolb, Zdenek Stybar, Alejandro Valverde
** Ramunas Navardauskas, Edvald Boasson Hagen
* fuga

A nossa aposta: Peter Sagan
Surpresa: Alejandro Valverde

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário