Tour 2015 - Antevisão 13ª Etapa

Depois de três etapas de alta montanha, o pelotão deixa os Pirenéus e aguarda-os uma etapa teoricamente mais tranquila, com o perfil indicado para a fuga do dia vingar. Será que, pela terceira vez consecutiva, iremos ver um homem da fuga a arrebatar a vitória na etapa?

Perfil 13ª etapa

Cidade de partida: Muret

Centro da cidade de Muret
É a primeira vez que o Tour visita esta cidade localizada no arredores de Toulouse. Muret é conhecida como o berço de Clément Ader, um inventor e pioneiro no ramo da aviação. 
Localizada a 22km a sul de Toulouse. Muret conta com 23 297 habitantes.


Cidade de chegada: Rodez

Vista aérea da cidade de Rodez

Rodez é uma cidade que agrada aos amantes de arquitectura. Para os que preferem arquitectura antiga, a sua catedral de estilo gótico é de uma beleza inquestionável - a Catedral de Notre-Dame de Rodez. Mas para aqueles que preferem o estilo moderno, não podem perder o novo Musée Soulages , inaugurado em 2014 e que expõem quadros e vitrais de artistas naturais da cidade.


Após três etapas com um alto nível de exigência, ou não estivéssemos a falar dos Pirenéus, hoje os ciclistas têm (teoricamente) um dia mais calmo. Trata-se de uma etapa de transição entre os Pirenéus e os Alpes, com um perfil muito propício a fugas
A etapa conta com três contagens de montanha, uma de 3 categoria e duas de 4, e todas se localizam nos últimos 70 quilómetros. Os últimos 600 metros até à meta, tem a pendente média de 6,9% (Côte Saint-Pierre).

Aqui ficam as subidas:
Km 131.0 – Côte de Saint-Cirgue 3.8 km al 5.8% – 3ª categoria
Km 156.5 – Côte de la Pomparie 2.8 km al 5% – 4ª categoria
Km 167.0 – Côte de la Selve 3.9 km al 3.7% – 4ª categoria
Últimos 5km

Favoritos:

O perfil é indicado a uma fuga. Com uma parte do pelotão a querer descansar dos Pirenéus, sendo esta uma etapa de transição, as probabilidades de uma fuga vir a ter sucesso, são elevadas.
Se o pelotão chegar todo junto, então teremos cinco candidatos óbvios que ainda estão em prova:
- Peter Sagan, será o maior candidato, a etapa não é plana o que o beneficia;
- John degenkolb, tal como Sagan é um dos sprinters que passa melhor a média montanha;
- Alexander Kristoff, tem realizado um Tour para esquecer, amanhã poderá redimir-se. A etapa tem um perfil que não é de todo mau para ele, os últimos metros não o favorece totalmente;
- André Greipel está na luta da camisola verde. A etapa não é bem ao seu jeito, já que não é completamente plana e o final não ajuda nada.
- Mark Cavendish é o sprinter que é prejudicado com este perfil de etapa, os últimos 600 metros fazem com que o britânico tenha poucas hipóteses.

***** Fuga
**** Peter Sagan
*** Alexander Kristoff, John Degenkolb
** Tony Gallopin, Geraint Thomas, Tim Wellens, Wilco Kelderman
* Thomas Voeckler, Jan Bakelants, Simon Geschke, Greg Van Avermaet, Sep Vanmarcke, André Greipel, Mark Cavendish, Zdenek Stybar

A nossa aposta: Peter Sagan
Surpresa: Tim Wellens


Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário