Tour 2015 - Análise 20ª Etapa

Thibaut Pinot conquistou a etapa na mítica subida do Alpe d'Huez. Nairo Quintana deu espectáculo, mas não conseguiu destronar Chris Froome da liderança da prova.
O britânico irá conquistar o segundo Tour da sua carreira, depois de o já ter conquistado em 2013.

Thibaut Pinot vencedor 20ª etapa
Mal começou a etapa, um grupo de fugitivos formou-se rapidamente: Lars Bak (Lotto-Soudal), Nicolas Edet (Cofidis), Alexandre Geniez (FDJ) e Ramunas Navardauskas (Cannondale-Garmin). A diferença máxima cifrou-se nos 8 minutos.
Chegados ao Col de la Croix de Fer, mais corredores decidiram atacar, entre eles, Majka, Plaza e Anacona. A Ag2R sentindo-se ameaçada por causa da classificação da montanha de Romain Bardet decidiu controlar o ritmo no pelotão.
Geniez fica sozinho na frente, Valverde ataca, logo de seguida foi a vez de Quintana, os dois acabariam a subida juntos, mas sem grande vantagem sobre o grupo principal que já era controlado pela Sky.
Nibali já perto do final da subida ataca, deixando Porte para trás e Froome ficou isolado. Na descida, o duo da Movistar era apanhado e o grupo de Contador também conseguiria voltar ao grupo principal, onde também estavam Porte e Poels da Sky para o apoio no Alpe d'Huez que seriam essenciais.

Na frente Geniez aumentava a sua vantagem para um grupo que era constituído por: Bak, Edet, Pinot, Rolland, Plaza, Serpa, Hesjedal, Anacona e Navardauskas.
Já na subida do Alpe d'Huez, Nibali tem uma problema mecânico que o atrasa e retira-o definitivamente da luta pelo pódio e pela etapa. 
Quintana desde do inicio da subida não esteve com meias medidas, atacou várias vezes, sempre com Poels a fechar o espaço, no entanto, notava-se que Froome estava débil.
Até que Valverde ataca, a situação no Col de la Croix de Fer repetiria-se, logo de seguida Quintana lança-se e junta-se ao colega. Poels ainda tenta responder, mas o colombiano estava intratável e Froome mandou abrandar e subiram ao ritmo de Froome. Neste momento Contador fica para trás e Porte e Poels ajudam Froome.

Valverde não aguenta o ritmo de Quintana, mas a Movistar joga outra carta. Anacona que estava no grupo adiantado, ajuda Quintana até aos últimos quilómetros, o colombiano ganha tempo a Froome mas não ameaça a liderança do britânico da Sky.
Na frente Hesjedal e Pinot, alcançam Geniez. O canadiano tenta ir embora de Pinot mas sem sucesso. O francês da FDJ livra-se de Hesjedal e a partir daqui, seria entre ele e Quintana.
O colombiano recupera tempo, mas não consegue alcançar Pinot que vence a etapa. Froome aguenta a amarela, com uma vantagem de 1:12 para Quintana.

Hoje a Movistar arriscou tudo, porém foi tarde demais, o colombiano da Movistar conseguiu um tempo entre os 25 mais rápidos de sempre no Alpe d'Huez. Para o ano há mais.

O mais do dia: Nairo Quintana, Thibaut Pinot
O menos do dia: Público

Classificação da 20ª etapa:
1 Thibaut Pinot (Fra) FDJ.fr 3:17:21
2 Nairo Quintana (Col) Movistar Team 0:00:18
3 Ryder Hesjedal (Can) Cannondale-Garmin Pro Cycling Team 0:00:41
4 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:01:38
5 Christopher Froome (GBr) Team Sky
6 Pierre Rolland (Fra) Team Europcar 0:01:41
7 Richie Porte (Aus) Team Sky 0:02:11
8 Winner Anacona (Col) Movistar Team 0:02:32
9 Wouter Poels (Ned) Team Sky 0:02:50
10 Ruben Plaza Molina (Spa) Lampre-Merida
...
43 Nelson Oliveira 0:08:04
57 Tiago Machado 0:11:27
68 José Mendes 0:14:40
151 Armindo Fonseca 0:23:57

Classificação Geral após 20ª etapa:
1 Christopher Froome (GBr) Team Sky 81:58:33
2 Nairo Quintana (Col) Movistar Team 0:01:12
3 Alejandro Valverde (Spa) Movistar Team 0:05:25
4 Vincenzo Nibali (Ita) Astana Pro Team 0:08:36
5 Alberto Contador (Spa) Tinkoff-Saxo 0:09:48
6 Robert Gesink (Ned) Team LottoNL-Jumbo 0:10:47
7 Bauke Mollema (Ned) Trek Factory Racing 0:15:14
8 Mathias Frank (Swi) IAM Cycling 0:15:39
9 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:16:00
10 Pierre Rolland (Fra) Team Europcar 0:17:30
...
47 Nelson Oliveira 2:15:32
72 Tiago Machado 2:54:31
119 Armindo Fonseca 3:53:13
140 José Mendes 4:07:47


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário