Marco Pantani não foi assassinado, diz o seu biógrafo

Marco Pantani (na imagem).
Matt Rendell, biógrafo de Marco Pantani, afirma que são cómicas as notícias e a reabertura do processo sobre a morte do Il Pirata.
"Não haverá outra final, porque Pantani claramente não foi assassinado." disse Rendell
 E acrescentou:
"La Gazzetta dello Sport inventou uma história cómica, para mostrar a história de Rimini. Isso é realmente o que é, uma história cómica."

Sobre a morte de Pantani, Rendell, reafirma a teoria de overdose, defendendo-a. Segundo o biógrafo, Pantani tive 4 overdoses em 2004.
O que é certo é que com a reabertura do processo e com as notícias que saíram relacionando o episódio do afastamento do Giro de 1999 com a máfia. Nessa etapa em Madonna di Campoglio, foi retirado da corrida por ter o hematócrito acima do valor legal, no entanto vários relatos referem que o episódio foi bastante estranho, os procedimentos não foram os habituais.
Como nesse dia, a vida e morte de Marco Pantani foram estranhas, ainda hoje se discute e é alvo de enorme interesse em Itália, o que demonstra a paixão que este ciclista criou nos Transalpinos.

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário