Thibaut Pinot - A melhor promessa de França

Thibaut Pinot é um ainda jovem ciclista francês, e pertence aos quadros da UCI ProTeam FDJ.fr. É nele que os franceses depositam muitas esperanças para o ciclismo francês, especialmente desde que ganhou uma etapa de montanha no Tour de France de 2012, quando competia como o mais jovem ciclista em prova.

Pinot a festejar a vitória na etapa 8 do Tour 2012

No ano seguinte, na edição centenária, o Tour de France 2013, Pinot abandonou a prova na etapa 16. Ainda assim terminou bem a temporada em GT’s ao terminar em sétimo lugar na Vuelta a España.

No último Tour de France, Pinot ganhou a camisola branca num excelente terceiro lugar na classificação geral. Ele e o seu compatriota Jean-Christophe Péraud(2º) foram os primeiros franceses a fazer o pódio no Tour desde 1997.
Não se pense que só se tem mostrado em GT’s, Pinot tem-se sobressaído em mais provas como um ótimo corredor. Entre elas destaca-se o 4 lugar no Tour de Suisse 2013, em 2011 foi primeiro na Settimana Ciclistica Lombarda,  foi 10 na geral no Tour de Romandie, foi ainda terceiro no GC Presidential Cycling Tour of Turkey, entre outras provas nas quais também apresenta bons resultados.
Após Bernard Hinault, último francês a vencer o Tour de France em 1985, todos amantes do ciclismo franceses estão a espera do seu sucessor. Depois de Sandy Casar e Sylvain Chavanel agora os holofotes focam-se no jovem Pinot. Será ele capaz de alcançar as espectativas?
Umas curiosidades sobre Pinot: quando era criança, ele adorava assistir Richard Virenque, devido aos seus ataques sozinho e longos nas montanhas.  Atualmente ele admira o estilo de  Alberto Contador e admite que tenta imitá-lo. É um ciclista que tinha, agora já melhorou um pouco, medo de descer.

Na sua ainda curta carreira só representou uma equipa, a Française des Jeux , desde 2010.

Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

2 comentários:

  1. Esqueci-me do Barguill, outro que já começa a dar cartas!
    De trio passa a quarteto...:)

    ResponderEliminar
  2. O Barguil para mim é futuro da França, embora Pinot e Bardet também são excelentes, mas Barguil tem um potencial extraordinário.

    ResponderEliminar