Volta à França 2018 - Antevisão 5ª Etapa

Depois de dias onde os sprinters reinaram, chega um dia com mais de 3000 metros de subida acumulada, ideal para os homens das clássicas e os puncheurs.

Rescaldo 4ª etapa:
Mais um dia sem grande dificuldades no percurso, mas onde o nervosismo no pelotão imperou e as quedas foram a consequência. Tem sido uma semana com uma quantidade elevada de quedas, não é surpresa, praticamente todos os anos a 1ª semana é assim.
Desta vez, o grande prejudicado do dia foi Zakarin, que perdeu 59 segundos devido a uma queda fora da segurança dos 3 quilómetros finais, Rigoberto Uran também ficou nessa queda, mas conseguiu regressar ao pelotão.
O dia foi marcado por uma fuga com: Dimitri Claeys e Anthony Perez da Cofidis, Jerome Cousin da Direct Energie e Guillaume Van Keirsbulck daWanty-Group Gobert. Apenas a Quick-Step assumiu a perseguição no pelotão, só a 20 quilómetros da meta é que outras equipas começaram a ajudar e a diferença começou a baixar até serem apanhados mesmo em cima do último quilómetro.
No sprint, Gaviria bateu Sagan e Greipel por menos de uma roda.

Classificação da 4ª etapa:
1 Fernando Gaviria (Col) Quick-Step Floors 4:25:01    
2 Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe         
3 André Greipel (Ger) Lotto Soudal         
4 Dylan Groenewegen (Ned) LottoNL-Jumbo         
5 Marcel Kittel (Ger) Katusha-Alpecin         
6 Andrea Pasqualon (Ita) Wanty-Groupe Gobert         
7 Alexander Kristoff (Nor) UAE Team Emirates         
8 John Degenkolb (Ger) Trek-Segafredo         
9 Dion Smith (NZl) Wanty-Groupe Gobert         
10 Timothy Dupont (Bel) Wanty-Groupe Gobert

Geral individual (Top-10):
1 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team 13:33:56    
2 Tejay van Garderen (USA) BMC Racing Team         
3 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 0:00:03    
4 Philippe Gilbert (Bel) Quick-Step Floors    0:00:05    
5 Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors 0:00:07    
6 Bob Jungels (Lux) Quick-Step Floors         
7 Tom Dumoulin (Ned) Team Sunweb 0:00:11    
8 Søren Kragh Andersen (Den) Team Sunweb         
9 Michael Matthews (Aus) Team Sunweb         
10 Rigoberto Uran (Col) EF Education First-Drapac p/b Cannondale 0:00:35

Diferenças entre os líderes:
3. Geraint Thomas (Team Sky)
5. Bob Jungels (Quick-Step Floors) a 4″
7. Tom Dumoulin (Team Sunweb) a 8″
10. Rigoberto Urán (EF-Drapac) a 32″
11. Rafal Majka (Bora-Hansgrohe) a 47″
13. Jakob Fuglsang (Astana) a 48″
14. Richie Porte (BMC) a 48″
15. Alejandro Valverde (Movistar Team) a 50″
16. Mikel Landa (Movistar Team) a 50″
17. Chris Froome (Team Sky) a 52″
18. Adam Yates (Mitchelton-Scott) a 57″
19. Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida) a 1’03”
20. Romain Bardet (AG2R La Mondiale) a 1’12”
21. Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo) a 1’12”
22. Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) a 1’12”
25. Bauke Mollema (Trek-Segafredo) a 1’13”
33. Dan Martin (UAE Team Emirates) a 1’35”
42. Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin) a 1’48”
48. Nairo Quintana (Movistar Team) a 2’05”

Etapa 5




A segunda etapa na Bretanha e desta vez está longe de ser fácil. Os primeiros 100 quilómetros são relativamente tranquilos, a partir daí até final, é constante sobe e desce, com alguns muros no cardápio.
Dia ideal para os puncheurs e os classicómanos, a sequência de muros deve afastar a maioria dos sprinters. Em 100 quilómetros são cinco contagens categorizadas, mas há mais subidas que vão massacrar as pernas dos ciclistas e acumular fadiga.
O topo da última subida, situa-se a 6,5 quilómetros da meta em Quimper.

Sprints intermédios:  
- Roudouallec (169 m, Km 92.5)

Subidas categorizadas:
- Côte de Kaliforn (4ª Cat., 209 m, 1.7 Km a 7.1%, Km 106),
- Côte de Trimen (4ª Cat., 223 m, 1.6 Km a 5.6%, Km 113),
- Côte de la Roche du Feu (3ª Cat., 221 m, 1.9 Km a 6.6%, Km 140.5),
- Côte de Menez Quelerc'h (3ª Cat., 210 m, 3 Km a 6.2%, Km 159.5),
- Côte de la Montagne de Locronan (3ª Cat., 233 m, 2.2 Km a 5.9%, Km 181).

Bónus
Este ano a organização decidiu colocar nas primeiras 9 etapas um sprint especial relativamente perto da meta, com bónus de 3, 2 e 1 segundos para o 1º, 2º e 3º a passarem nele. Está assinalado no perfil desta forma:

- Côte de la Chapelle de la Lorette (100m, Km 192,5)

Cidade de partida: Lorient


Lorient é uma cidade na região da Bretanha. Apesar daquela região ser habitada há milhares de anos, a cidade é relativamente nova e teve um impulso quando a empresa Missisipi estabeleceu lá a sua sede.
Em 1769, a marinha francesa, La Royale, passou a ter base naval em Lorient e, durante a segunda guerra mundial e a ocupação alemã, foi o lar de uma base submarina, a Keroman. Nos dias de hoje esta infra-estrutura já não funciona, tendo sido transformada num museu aberto ao público.
Lorient continua a ser conhecida como 'a cidade dos cinco portos' devido às marinas, aos navios de passageiros, por ter o maior porto de carga na Bretanha (Kergroise) e um estaleiro onde são construídos navios de guerra.

Cidade de chegada: Quimper


Quimper é uma cidade francesa na região administrativa da Bretanha, no departamento Finistère.
Um dos principais pontos de interesse da cidade é a Catedral de São Corentin, em estilo gótico e com mais de 800 anos. Belíssima!
A cidade é também conhecida pela arte de produzir ceramica fina, mais conhecida como faiança. Desde 1708 que muitos artesãos da cidade se dedicam à sua produção e, ainda nos dias de hoje a faïence de Quimper é pintada à mão.

Condições meteorológicas

Mais um dia solarengo e com temperaturas agradáveis, a rondar os 24ºC. O vento irá soprar fraco e não deve ter influência no decorrer da etapa.

Favoritos

*** Peter Sagan, Greg Van Avermaet
** Arnaud Démare, Sonny Colbrelli, Michael Matthews, Philippe Gilbert
* Fernando Gaviria, Andrea Pasqualon, Michael Valgren,  Alejandro Valverde, Daryl Impey, Julian Alaphilippe

A nossa aposta: Peter Sagan
A sua versatilidade faz dele o grande favorito para esta etapa. Capaz de atacar e de finalizar com os melhores sprinters, Peter Sagan é uma besta competitiva.
A Bora-Hansgrohe também tem elementos para controlar a corrida para ele e por isso, é a aposta natural.

Outsider: Philippe Gilbert
O belga tem aqui um dia perfeito para as suas características e com o bónus de poder roubar a camisola amarela ao seu grande 'amigo' Greg Van Avermaet.
Mas qual será a estratégia da Quick-Step? Apostar em ciclistas como Gilbert e Alaphilippe ou tentar proteger ao máximo Gaviria e controlar a corrida, tendo em vista um sprint em pelotão compacto?
Na nossa opinião, o percurso é um pouco duro para Gaviria, a aposta lógica é Gilbert e guardar Alaphilippe para o dia seguinte no Mur de Bretagne.

Seguir em directo: #tdf2018, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 11:15, hora de Portugal Continental)
 (a partir das 13:10, hora de Portugal Continental, passa para a RTP1 às 14:00)



Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário