Volta à França 2018 - Antevisão 15ª Etapa

Antes do último dia de descanso e de os ciclistas enfrentarem os Pirinéus, temos uma etapa que é considerada de montanha, mas que tem a última dificuldade colocada ainda longe da meta.

Rescaldo 14ª etapa:

Julian Alaphilippe atacou no preciso momento que a partida real foi dada, mas ninguém se quis juntar ao francês. Mas não demorou muito até uma fuga se formar e o pelotão partir em diversos grupos devido ao vento, que apesar de não soprar forte, era lateral.
Mikel Landa foi o mais afetado, ficou no grupo mais atrasado. Bardet, Fuglsang, Valverde, Roglic, e Kruijswijk ficaram também cortados do pelotão principal. Mas a situação iria normalizar e os grupos iriam colar.
A fuga tinha 31 elementos, entre eles o camisola verde, Peter Sagan e o camisola da montanha, Julian Alaphilippe. O grupo foi ganhando tempo ao pelotão, que não estava preocupado.
A 59 quilómetros da meta, Gorka Izagirre atacou no Croix de Berthel e teria companhia mais à frente, quando Tom-Jelte Slagter e Jasper Stuyven saíram do grupo e apanharam o basco. O grupo perseguidor conforme passavam as dificuldades, perdia unidades.
Jasper Stuyven ficaria isolado, os colegas de fuga estavam sem capacidade para seguir o belga e foram apanhados pelos perseguidores. O belga da Trek-Segafredo entrou na subida final com cerca de minuto e meio, mas o Croix de Neuve iria ser demasiado complicado para ele. Omar Fraile atacou no grupo perseguidor e depois foi Alaphilippe, o espanhol alcançou o belga e deixou-o para trás.
Fraile chegou à parte plana perseguido por Stuyven e Alaphilippe, a vantagem era suficiente e deu a primeira vitória no Tour deste ano à Astana.
Cerca de 18 minutos depois, o pelotão chegou à subida final. Landa foi o primeiro a tentar sair do grupo controlado pela Sky, mas foi absorvido rapidamente e ficaria para trás no ataque de Roglic. O esloveno eliminou todo o comboio da Sky, Kwiatkowski e Bernal tentaram fechar a diferença mas não conseguiram. Tom Dumoulin fez uma corrida de trás para a frente, quando encostou, decidiu atacar e as vitimas foram Bardet e Kruijswijk. Na parte final, Froome ainda acelerou, mas Thomas respondeu e Tom Dumoulin seguiu a roda do galês, Quintana ficou ligeiramente para trás. 
Roglic ganhou 8 segundos a Froome, Thomas e Dumoulin, Quintana chegou 10 segundos depois do trio.

Combativo do dia: Jasper Stuyven (Trek-Segafredo)

Classificação da 13ª etapa:
1    Omar Fraile (Spa) Astana Pro Team    4:41:57   
2    Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors    0:00:06   
3    Jasper Stuyven (Bel) Trek-Segafredo        
4    Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe    0:00:12   
5    Damiano Caruso (Ita) BMC Racing Team    0:00:17   
6    Simon Geschke (Ger) Team Sunweb    0:00:19   
7    Nicolas Edet (Fra) Cofidis, Solutions Credits        
8    Lilian Calmejane (Fra) Direct Energie    0:00:23   
9    Daryl Impey (RSA) Mitchelton-Scott    0:00:30   
10    Thomas De Gendt (Bel) Lotto Soudal    0:00:37

Geral individual (Top-10):
1    Geraint Thomas (GBr) Team Sky    58:10:44   
2    Chris Froome (GBr) Team Sky    0:01:39   
3    Tom Dumoulin (Ned) Team Sunweb    0:01:50   
4    Primoz Roglic (Slo) LottoNL-Jumbo    0:02:38   
5    Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale    0:03:21   
6    Mikel Landa (Spa) Movistar Team    0:03:42   
7    Steven Kruijswijk (Ned) LottoNL-Jumbo    0:03:57   
8    Nairo Quintana (Col) Movistar Team    0:04:23   
9    Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team    0:06:14   
10    Daniel Martin (Irl) UAE Team Emirates    0:06:54

Pontos:
1    Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe    437     pts
2    Alexander Kristoff (Nor) UAE Team Emirates    170   
3    Arnaud Demare (Fra) Groupama-FDJ    133   
4    John Degenkolb (Ger) Trek-Segafredo    128   
5    Andrea Pasqualon (Ita) Wanty-Groupe Gobert    100

Montanha:
1    Julian Alaphilippe (Fra) Quick-Step Floors    90     pts
2    Warren Barguil (Fra) Fortuneo-Samsic    70   
3    Serge Pauwels (Bel) Dimension Data    63   
4    Geraint Thomas (GBr) Team Sky    30   
5    David Gaudu (Fra) Groupama-FDJ    25

Juventude:
1    Pierre Latour (Fra) AG2R La Mondiale    58:28:12   
2    Guillaume Martin (Fra) Wanty-Groupe Gobert    00:02:27
3    Egan Bernal (Col) Team Sky    00:06:16

Etapa 15

Mapa da 15ª etapa

Perfil da 15ª etapa
Últimos 5 Km

Últimos Kms

Perfil do Pic de Nore
Etapa complicada, mas com um final um pouco decepcionante. Os primeiros 20 quilómetros são de constante sobe e desce, tem uma contagem de 3ª categoria e uma série de subidas não categorizadas, ideal para que a fuga seja criada.
Depois são cerca de 30 quilómetros de descida e plano até ao inicio do Col de Slé, subida de 2ª categoria. Segue-se uma descida curta e o Col de Bassine, uma subida não categorizada. Nova descida e outra subida não categorizada, Col de Caunan.
Depois de uma descida e uma zona de falso plano, aparece a grande dificuldade do dia, o Pic de Nore. É uma ascensão relativamente longa, 12 quilómetros, com 6,3% de inclinação média, sendo os primeiros 7 quilómetros os mais dificeis.
Desde o topo até ao final em Carcassone, é sempre a descer, são cerca de 41 quilómetros.

Sprint intermédio
- Mazamet (233 m, Km 121.0).

Subidas categorizadas: 
- Côte de Luzençon (3ª Cat., 541 m, 3.0 Km a 6.0%, Km 8.4),
- Col de Slé (2ª Cat., 917 m, 10.2 Km a 4.9%, Km 63.8),
- Pic de Nore (1ª Cat, 1201 m, 12.1 Km a 6.3%, Km 139.9).

Cidade de partida: Millau


Millau é uma cidade do sudoeste da França, pertence ao departamento de l'Aveyron e à região de Occitânia.
A cidade é voltada para o turismo, mas também é conhecida pela produção de vinhos e de queijo Roquefort.
A inauguração do Viaduto Millau, em 2004, trouxe uma nova fama à região.
A nível cultural, a região tem algumas boas surpresas como o local arqueológico La Graufesenque, a Igreja de Notre-Dame
de l'Espinasse (datada do século XII), o campanário do Palácio dos Reis de Aragão
(contruído entre os séculos XII e XVII) e muito mais.
Não deixe de experimentar algumas iguarias típicas como o Tripoux trenèls (tripa recheada com carne de porco), Farçous (um bolinho vegetariano frito), Fouasse (brioche) e claro os queijos azuis típicos da região (Roquefort, pérail, Causses blue).

Cidade de chegada:
Carcassonne




Cidadela de Carcassonne
Carcassonne é uma cidade francesa do departamento de Aude na região do Languedoc-Roussillon.
A cidade situa-se numa região povoada desde o Neolítico, na planície do Aude, entre dois importantes eixos de circulação usados desde a Pré-história, que ligam o Oceano Atlântico ao Mediterrâneo e o Maciço Central francês aos Pirenéus. Encontra-se 90 quilómetros a sudeste de Toulouse e cerca de 70 km a oeste da costa mediterrânica. É conhecida pela sua cidadela, construída entre 890 e 910. Foi considerada Património Mundial pela UNESCO desde 1997.

Condições meteorológicas

Mais um dia solarengo e de calor, a temperatura rondará os 23ºC. O vento soprará moderado/forte de Oeste/Noroeste.

Favoritos

⭐⭐⭐ Fuga (Julian Alaphilippe, Adam Yates, Thomas de Gendt, David Gaudu, Marc Soler, Daniel Martinez, Omar Fraile, Rafal Majka, Mikel Nieve, Serge Pauwels, Jelle Vanendert, Greg Van Avermaet, Warren Barguil, Peter Sagan, Arthur Vichot, Guillaume Martin, Greg Van Avermaet, Philippe Gilbert)
⭐⭐...
⭐...

A nossa aposta: Fuga
Amanhã é mais um dia para a fuga, não contemplamos outro cenário. Muitos dos que estiveram em fuga na etapa anterior são bem capazes de também estarem nesta.
Entre os homens da geral, não acreditamos que hajam diferenças.

Outsider: ...



Seguir em directo: #tdf2018, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 12:00, hora de Portugal Continental)
 (a partir das 13:10, hora de Portugal Continental, passa para a RTP1 às 14:00)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário