Giro 2017 - Antevisão 12ª Etapa

Depois de uma etapa muito animada, a 12ª promete ser mais calma, já que a dificuldade diminui significativamente.

Perfil da 12º etapa
Mapa da 12ª etapa
É a etapa mais longa desta edição, com 229 quilómetros de extensão. É relativamente fácil, com um percurso mais 'simpático' que o do dia anterior, com duas subidas categorizadas, mas ainda longe da meta.
A primeira começa aos 55 quilómetros, é o Colla di Casaglia (GPM2, 7.7km a 4.9%), ideal para a criação de uma fuga. A segunda tem o seu topo a quase 119 quilómetros da meta, Valico Appenninico (GPM3, 10.1 km a 3.3%). Depois os ciclistas apanham uma longa descida e os últimos 50 quilómetros são planos.

Cidade de partida: Forlì

Palazzo Comunale di Forli
Forlì é uma cidade italiana da região de Emilia-Romagna, província de Forlì-Cesena.
A cidade está situada ao longo da Via Emilia, à direita do rio Montone e é um centro agrícola importante.
Forlì foi fundada pelos romanos no século II a.C. mas, para além de manter os seus traços românicos, tem também uma forte presença da era renascentista.
A cidade abriga muitos dos marcos culturalmente e artisticamente significativos de Itália e é também conhecida como o berço do pintor Melozzo de Forlì, o historiador Flavio Biondo e os médicos Geronimo Mercuriali e Giovanni Battista Morgagni.

Cidade de chegada: Reggio Emilia

Reggio Emilia
A cidade é também conhecida por Reggio nell'Emilia. Os habitantes de Reggio nell'Emilia (são os Reggiani, enquanto os habitantes de Reggio di Calabria são chamados de Reggini) costumam referir-se à sua cidade pelo simples nome de Reggio. Em alguns mapas antigos a cidade também é chamada de Reggio di Lombardia.
A parte velha da cidade tem uma forma hexagonal, que deriva das antigas muralhas e os edifícios principais datam dos séculos XVI-XVII.
Reggio Emilia é uma cidade aberta, que inova, cria laços, explora o futuro com uma base sólida no presente e na sua história.
A nível gastronómico, não podemos falar desta zona de Itália sem pensar imediatamente no famoso queijo Parmigiano Reggiano e no Vinagre Balsâmico de Reggio Emilia. Os pratos mais típicos da região são: Gnocco fritto (pastéis de massa fritos, servidos com queijo, salame e presunto), Erbazzone (uma tarte salgada com um recheio à base de folhas de beterraba, mas também pode ser feita com folhas de acelga, de espinafre), Tortelli verdi (um prato de pasta recheado com espinafres e queijo ricotta) e Ciccioli (é a versão italiana da rillette de porco).

Condições meteorológicas

Mais um dia com muito sol e desta vez, também com calor. A temperatura rondará os 29ºC e o vento soprará fraco de Este, o que significa que grande parte do percurso soprará pelas costas dos corredores.

Favoritos

**** Fuga (Luis Léon Sanchez, Manuel Quinziato, Jasper Stuyven, Silvan Dilier, Lukas Postlberger, Filippo Pozzato, Giulio Ciccone, Cesar Benedetti)
*** Fernando Gavíria, Caleb Ewan, André Greipel
** Kristian Sbaragli, Ryan Gibbons, Sam Bennett
* Sacha Modolo, Roberto Ferrari, Jakub Marezcko, Enrico Bataglin

A nossa aposta: Fuga
Apesar das dificuldades serem muito longe da meta, arriscamos no sucesso da fuga. A razão para acreditarmos na fuga, são as poucas forças que já há no pelotão. As equipas dos sprinters terão dificuldade em controlar devido a isso.

Outsider: Fernando Gavíria
Se a etapa for decidida ao sprint a nossa aposta vai para o líder da camisola dos pontos. O colombiano é um corredor fiável neste tipo de distâncias e a sua endurance é um fator importante nesta altura da prova. Além disso, tem uma camisola a defender.

Seguir em direto: #giro100, @giroditalia
(a partir das 12:15, hora de Portugal Continental)







Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário