David Walsh criticado pela defesa ao Team Sky; Stybar regressa ao ciclocross, Van den Broeck "Houve apenas uma condição para vir para a LottoNL, ser gregário"


David Walsh

David Walsh criticado pela defesa ao Team Sky

O jornalista David Walsh, que desempenhou um importante papel na exposição do programa de doping de Lance Armstrong, está neste momento a ser criticado pela sua defesa da Sky, especial após a informação sobre as TUE de Bradley Wiggins e Chris Froome.
Walsh disse há muito tempo que acreditava que o Team Sky corria limpo, apesar de outros questionarem as performances da equipa.
O seu colega e ex-amigo Paul Kimmage criticou Walsh após a divulgação dos TUE's, posteriormente Walsh respondeu às críticas: "Toda esta história deixou uma mancha no Team Sky que eu não vejo desaparecer em breve. Eles fizeram coisas que, na minha opinião, não deveriam ter feito".

Stybar regressa ao ciclocross

Stybar vai regressar ao seu primeiro amor - o ciclocross - para participar em duas provas na Bélgica. Loenhout que decorre a 29 de dezembro e Bredene no dia seguinte. 
Zdenek Stybar foi um dos melhores ciclistas da história do ciclocross, triplo Campeão do Mundo (2010, 2011, 2014), vencedor da Taça do Mundo e do Superprestige.
"Estou muito contente por regressar ao ciclocross após um ano. Vai ser óptimo para sentir o gosto da corrida e ter os velhos sentimentos de volta. Claro que, depois de nos últimos anos a minha prioridade ser a estrada, eu não posso prometer que irei disputar a vitória, especialmente porque há muito bons ciclistas totalmente focados no ciclocross. Quero desfrutar das corridas e fazer o meu melhor".

Van den Broeck "Houve apenas uma condição para vir para a LottoNL, ser gregário"

Van den Broeck assinou recentemente pela LottoNL e mostra-se feliz com a opção, "Eu não quero ser líder, venho para ajudar Kruijswijk no Giro e quero vê-lo a vestir de rosa".
Relembramos que Van den Broeck já conseguiu um 3º e 4º lugar da classificação geral do Tour de França (2010 e 2012 respectivamente) bem como um 7º lugar no Giro em 2008 e 8º lugar na Vuelta em 2011. Mas neste momento as aspirações do ciclista belga são outras.
Van den Broeck foi durante vários anos o líder da Lotto Soudal em grandes voltas mas nos últimos anos os resultados não foram os melhores e inevitavelmente acabou por sair da equipa. Ingressou em 2016 na Katusha mas a vida também não lhe correu pelo melhor.

Neste momento Van den Broeck está esperançoso com o futuro e com o seu papel na ajuda a Kruijswijk: "Na verdade, este era também o plano quando assinei pela Katusha, mas uma lesão no Tour arruinou tudo. Acabei perdido num mar de nacionalidades, quase isolado. Aqui, na LottoNL falamos quase todos a mesmo língua e isso faz uma grande diferença, sinto-me em casa. Do lado de fora parece outra coisa, mas acabei por levar com uma imagem agradável. Este é uma equipa magnífica e profissional", confessa Van den Broeck em entrevista ao Sporza.  

"Houve apenas uma condição para vir, colocada por mim, ser gregário. Já não preciso mais de ser líder. Fiz isso durante anos, umas vezes correu bem, outras não. Mas a pressão e as críticas sobre mim foram tremendas. A minha satisfação será ajudar o Steven Kruijswijk".

 

Também pode interessar:

Lola Cycling Team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário