Revelações do ano 2014

Estamos nos últimos dias de 2014, um ano cheio de boas revelações no ciclismo, iremos analisar aqueles que para nós foram as 5 revelações do ano.

5- Michael Valgren (Tinkoff-Saxo)
Valgren no pódio dos campeonatos Dinamarqueses
Já se sabia que o jovem Dinamarquês de 22 anos, tinha grande qualidade e a Tinkoff-Saxo, não facilitou e foi buscá-lo ao Team Cult Energy.
O ano de 2014 para Valgren, foi o da coinfirmação quie estamos perante um ciclista de grande qualidade, o Dinamarquês triunfou na Volta à Dinamarca e foi campeão da Dinamarca. Foi 4º na Japan Cup e no Tour dos Fjords e 3º nos 4 dias de Dunquerque. Participou pela primeira vez numa grande volta, na Vuelta, onde ajudou Alberto Contador a triunfar.
Um dos pontos altos de Valgren aconteceu nos Mundiais de Ponferrada, onde na prova de estrada, andou fugido até aos últimos quilómetros, sendo o único a tentar acompanhar Kwiatkowski no final, não conseguindo, acabou em 20º.

4- Julián Arredondo (Trek)
Arredondo a vencer no Giro
2013 já havia dado sinais que estaríamos face a um ciclista bastante interessante, principalmente para a montanha, a Trek também viu nele alguém com potencial. 2014 confirmou que Arredondo, que já tem 26 anos, é um ciclista com qualidade.
É dos mais baixos e leves do pelotão (1,64 m e 58 Kg) o que ajuda na alta montanha mas o penaliza e muito a rolar. 
A época de 2014, começou muito bem para o Colombiano, vence duas etapa em San Luis, derrotando Quintana, sendo 4º da geral e 2º na classificação da montanha, classificações vencidas pelo compatriota Nairo Quintana.
No Tirreno-Adriático consegue terminar no 5º lugar da geral, numa prova cheio de corredores de grande qualidade. Mas o melhor momento da época aconteceria no Giro, onde venceu a 18ª etapa e a camisola da montanha. A 2ª metade da temporada foi bem mais discreta para o Colombiano, no entanto, foi um ano excelente e a confirmação que o pequeno  Colombiano tem qualidade para estar no World Tour.

3- Tim Wellens (Lotto-Belisol)
Tim Wellens no pódio do Eneco Tour
Tim Wellens é um ciclista fantástico, desde 2012 na estrutura da Lotto, mas foi em 2014 que explodiu. A temporada do Belga de 23 anos, fica marcada pela grande vitória no Eneco Tour, onde venceu uma etapa. Foi 2º da geral do GP Jan van Heeswijk e 4º no Giro da Lombardia, onde fez uma bela exibição, 6º no GP Ouest France-Plouay, 8º no Tour d Wallonie e 10º na geral do Tour of Beijing.
Participou no Giro, onde obteve dois 2º lugares em etapas e foi 4º classificado na montanha.
Um temporada com resultados muito interessantes e que confirma que temos corredor para o futuro.

2- Wilco Kelderman  (Belkin)
Wilco Kelderman a atacar no Critérium du Dauphiné
Kelderman de 23 anos, já era conhecido, vem desde do tempo da Rabobank, porém 2014 foi o ano da confirmação que estamos perante um ciclista que será a grande esperança para as grandes volta da Holanda nos próximos anos.
O ano do jovem Holandês começou no Algarve com um 5º lugar da geral. Depois de actuações discretas no Paris-Nice e na Catalunha, chegou o Giro e aí Kelderman demonstrou que é alguém com quem se deve contar no futuro, foi 7º da geral e 4º na juventude, apenas batido por Quintana, Majka e Aru, os dois primeiros já não são surpresa, o último é o próximo nesta lista. O melhor momento de Kelderman no Giro, foi na polémica etapa do Stelvio, onde foi o melhor do grupo do maglia rosa, no entanto longe do extra-terrestre Quintana.
Imediatamente depois do Giro, foi ao Critérium du Dauphiné, onde mais uma vez se exibiu em grande, acabou em 4º da geral e venceu a juventude. 
A segunda metade da época foi mais discreta, participou no Tour of Utah de forma a preparar a Vuelta, onde foi 5º. Na Vuelta, acabou por não brilhar como no Giro, acabou no 14º lugar da geral. Terminou a época na Lombardia com um 17º lugar.

1- Fabio Aru (Astana)
Fabio Aru a vencer a 15ª etapa do Giro
O que dizer de Fabio Aru em 2014? Simplesmente fantástica a temporada do jovem Italiano.
Começou o ano discretamente na Catalunha, depois apresentou-se no Giro del Trentino, onde foi 7º da geral.
Chegou o Giro, e foi na maior prova do seu país que Aru explodiu em definitivo. Venceu uma etapa de alta montanha e esteve  junto com os melhores em praticamente todos os principais momentos da prova. Quem não se lembra da luta com Quintana na crono-escalada do Cima-Grappa? Acabou em 3º lugar da geral, batido por um ET, Quintana e por Uran que já tinha sido 2º classificado em 2013.
Na segunda parte da temporada, o objectivo era a Vuelta e o jovem Italiano usou a Volta à Polónia para rodar, na terceira grande volta da temporada, Aru vence duas etapa e acaba no 5º lugar da geral, atrás de dois gigantes da modalidade, Contador e Froome e de Valverde e Purito.
No final da temporada destaque para o 4º lugar na clássica Milão-Turim e o 9º na Lombardia.

Menções honrosas: Davide Formolo, Bryan Coquard e Simon Yates

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário