Análise Lotto-Belisol 2014

A Lotto é uma das equipas mais antigas do pelotão internacional, já faz parte da mobília. Em 2014, a equipa teve mais uma época modesta, obteve em toda a temporada, 31 vitórias, sendo que 16 foram obtidas por André Greipel, o ciclista Alemão foi o mais vitorioso de todo o pelotão.

A temporada como já começa a ser tradição, na Austrália e Greipel abriu o ano com duas vitórias de etapas, 4ª e 6ª. Greipel continuou a somar vitórias, em Fevereiro ganhou a 5ª etapa no Tour of Qatar e as 1ª, 3ª e 6ª do Tour of Oman. Ou seja, as primeiras 6 vitórias da equipa em 2014 foram dele.
Só em Março é que a Lotto viu um outro corredor da equipa a vencer, foi Kenny Dehaes, que venceu as clássicas, Albert Achterhes Pet Ronde van Drenthe na Holanda e Nokere Koerse - Danilith Classic na Bélgica.
Em Abril a equipa não obteve qualquer vitória, sendo um falhanço importante para a equipa que não se saiu nada bem nas clássicas da Primavera, o que para uma equipa Belga é um ponto bastante negativo.
Maio marca o regresso às vitórias de...André Greipel, para variar. O sprinter Alemão vence a 1ª etapa do World Ports Classic e a 4ª na Volta à Bélgica. A equipa passou completamente ao lado da primeira grande volta do ano, o Giro.

André Greipel, o mais vitorioso do ano no pelotão
Greipel continua a somar vitórias em Junho, foram mais quatro. Duas na Volta ao Luxemburgo, 1ª e 4ª, uma no GP Jan van Heeswijk, 4ª etapa e sagrou-se campeão Alemão de estrada. Pelo meio, Greg Henderson vence a 2ª etapa do GP Jan van Heeswijk e Jens Debusschere surpreende nos campeonatos da Bélgica ao sagrar-se campeão Belga de estrada, um resultado muito importante para a equipa.

Julho é mês de Tour e Greipel arrecada mais uma vitória, ao vencer a 6ª etapa (6ª na carreira), mas é Tony Gallopin que é a grande figura da equipa, ao entrar numa fuga na 9ª etapa, não vence a etapa, porque Tony Martin esteve imparável, mas o tempo que ganha ao pelotão permite vestir a camisola amarela, liderança que dura apenas 1 dia. Mas o Francês não ficou por aqui, vence a 11ª etapa. 
O melhor da equipa na geral, acabou por ser Jurgen Van Den Broeck, que acabou no 14º lugar, o que não deixa de ser uma desilusão para o corredor Belga.
Julho não acaba sem que Jens Debusschere ganhe a 1ª etapa do Tour de Wallonie.

Tony Gallopin de amarelo no Tour
Agosto começa com a vitória de Jonas Van Genechten na 4ª etapa da Volta à Polónia. O mês acaba por ser bastante positivo para a equipa Belga, Tim Wellens vence o Eneco Tour, incluindo a 6ª etapa da prova.
Jonas Van Genechten volta a vencer, desta vez na clássica, Druivenkoers - Overijse e Oliver Naesen vence a Top Compétition.
No Tour de L'Avenir, Louis Vervaeke arrecada a 7ª etapa, acabando na 5ª posição da geral.

Em Setembro, o suspeito do costume volta a atacar, Greipel vence a Brussels Cycling Classic e o GP Jef Scherens. Adam Hansen vence a 19ª etapa da Vuelta e Jonas Van Genechten vence o GP Fourmies em França.
Em Outubro, Greipel fecha a época com a sua 16ª vitória, no Munsterland Giro e Jens Debusschere obtém a última vitória do ano da equipa no Nationale Sluitingprijs.

2014 não foi um ano particularmente bom para a equipa, que teve em André Greipel o abono de família, obteve mais de metade das vitórias da equipa. Para 2015, a equipa terá um novo nome com novo patrocinador, será a Lotto-Soudal.

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário