Análise da Team Europcar 2014

A Team Europcar é uma equipa de ciclismo francesa, que em 2014 subiu para o escalão principal do ciclismo, mas que em 2015 voltará a ser Pro-Continental já que a situação financeira não preenchia os critérios da UCI para ser World Tour.

O ano de 2014 foi um ano fraco para a Europcar, e como resultado disso a equipa terminou o ano em último lugar da classificação World Tour. Das vitórias que a equipa obteve a maioria foi obtida em solo francês. Mas praticamente todas foram obtidas em provas de menor dimensão.
Um dos melhores corredores da equipa teve um ano completamente para esquecer pois não obteve nenhuma vitória e só teve direito a subir pelo menos ao pódio por duas vezes. Digo que teve direito, pois na verdade ele não subiu ao pódio pelo seu segundo lugar obtido no Paris-Tours. Foi um dos episódios mais caricatos da temporada e pode ser recordado aqui.


Voeckler ausente do pódio - Paris-Tours

No ano de 2014 a equipa só venceu por 12 vezes, e não fosse o jovem Bryan Coquard ter uma mão cheia de triunfos a temporada tinha sido ainda pior.
Os triunfos da equipa até começaram logo em Janeiro na La Tropicale Amissa Bongo, prova na qual Natnael Berhane(que está de saída para a MTN - Qhubeka) terminou à frente de Luís Leon Sanchez.

Chega o mês de Fevereiro e é então que Coquard começa a dar o seu contributo com os seus triunfos, não fosse ele e a equipa teria um número menor de vitórias. Venceu duas etapas no Etoile de Bessèges o que lhe valeu também o segundo lugar da classificação dos pontos. Mesmo a camisola dos pontos não sendo a maior das camisolas que há nas competições, se este tivesse sido alcançada seria a única camisola conquistada pela equipa na temporada.

É já em Abril que a equipa volta às vitórias, por intermédio de Coquard novamente, que vence a prova Route Adélie de Vitré prova que integra os quadros da UCI Europe Tour. A vitória seguinte, novamente de Coquard, foi no Paris Camembert. Esta prova é como que uma semi-clássica que decorre na região de Normandia em França.
Depois disso a equipa vence a La Roue Tourangelle Région Centre - Classic Loire Touraine Vignobles & Chateaux, por Angelo Tulik, que ainda uma semana antes tinha ido até à Bélgica participar na La Flèche Wallonne, prova que nem terminou.

Em Maio a equipa alcança talvez a maior vitória da temporada por intermédio de Jimmy Engoulvent nos 4 Jours de Dunkerque ao vencer a etapa número cinco. E se isto é dos maiores resultados da temporada de uma equipa World Tour... Ainda nesse mesmo mês foi Coquard a vencer novamente no Tour de Picardie na primeira etapa ao ficar à frente de Démare da FDJ.FR.
Na primeira grande volta do ano, o destaque da equipa vai todo para Pierre Rolland, que esteve na luta pelo pódio, que não conseguiria obter, mas consegue um brilhante 4º posto da geral. O momento alto do Giro, para a equipa aconteceu na etapa do Stelviogate, onde Rolland apenas foi batido por Quintana e Hejesdal.


 Jimmy Engoulvent nos 4 Jours de Dunkerque


Em Junho Natnael Berhane vence os National Championships Eritrea, prova de contra-relógio do seu país natal que contou com a presença de dez ciclistas. Ainda nesse mês a equipa faz um bis numa prova, mais concretamente na Boucles de la Mayenne, ao vencer duas etapas, uma por Engoulvent e outra por Yohann Gene.
No Tour, a equipa passou um pouco ao lado, no entanto, foi mais uma vez Rolland a destacar-se, depois do 4º lugar da geral no Giro, o Francês ficou às portas do top-10 no Tour, foi 11º da geral, nada mal para quem vinha bastante desgastado da prova Italiana.

A última vitória da equipa na temporada foi de Cyril Gantier, que venceu uma etapa do Tour du Limousin.

Foi uma temporada realmente fraca da Europcar, poucas vitórias, das poucas que alcançou a maior parte delas foram em provas de pouca dimensão, senão fosse Pierre Rolland a presença da Europcar nas grandes voltas tinha sido desastrosa. Será uma das equipas que terá de trabalhar muito para 2015, com a 'despromoção' para a categoria Pro-Continental o moral na equipa não deve ser o melhor. A tarefa adivinha-se muito complicada.


Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário