Os melhores sub-23 do ano de 2014

Muitos candidatos, muitas vitórias e performances notáveis, que são destacados numa lista que representa grande parte do futuro.

1º. Adam Yates (Orica - GreenEDGE, 1992) (na imagem)

Que irmão é o melhor? Uma pergunta que se repetiu ao longo do inverno e no início da temporada. Embora seja muito cedo para dar uma resposta conclusiva, Adam provou estar um passo à frente. O inglês, um ciclista com um bom desempenho em provas de um dia, logo mostrou em St. Louis (11º) o seu potencial. Teve um mês de Maio e Junho espectaculares, com a vitória na classificação geral do Tour of Turkey, fez quinto na Califórnia, e sexto no Dauphiné. Marcou a sua terceira vitória do ano em Montecatini Terme, foi ainda quinto em Toscana e  lutou pela vitória na grande clássica de San Sebastian. Com tudo isto pode ser considerado como o melhor sub-23 em 2014.

2º. Davide Formolo (Cannondale 1992)

Alcançou um lugar no World Tour, mas ofuscado por dois companheiros, Davide Villella e Matej Mohoric que inicialmente o deixaram em segundo plano. Não demorou muito para subir de patamar. O trepador italiano da Cannnondale começou a obter posições de destaque, em Lugano (9º), Taiwan (7º) e Turkey (4º). O Tour de Suisse (7) colocou-o no mapa, um facto confirmado com o segundo lugar a nível nacional atrás apenas de Nibali, antes do Tour de France. Terminou o ano sendo sexto no Giro dell'Emilia e sétimo no Japão. Apesar de não vencer, as suas provas mostram um futuro promissor para o ciclista da agora Garmin-Cannondale.

3º. Michael Valgren (Team Saxo Bank-SunGard, 1992)

A pérola do ciclismo dinamarquês fez o seu primeiro ano na elite do ciclismo mundial. Começou a dar nas vistas ao ter um duelo excepcional com Sylvain Chavanel e Arnaud Demare no 4 Jours de Dunkerque, onde terminou no terceiro lugar. Seguiram-se bons resultados no Tour des Fjords, um quarto lugar, e depois atingiu o seu auge, em casa, no Tour of Denmark, venceu a geral. Ganhou também um lugar de destaque com o trabalho feito durante a Vuelta na vitória do seu chefe de fila, Alberto Contador. Mas não foi só. No campeonato mundial de Ponferrada foi ele que liderou o último movimento antes do ataque final Michael Kwiatkowski, que viria a sagrar-se o vencedor. Terminou uma temporada notável como quarto classificado nas terras do sol nascente, o Japão.

4º. Bryan Coquard (Europcar, 1992)

Após a sua estreia em 2013, onde ele teve seis vitórias, a temporada de 2014 serviu como a consolidação do sprinter da Europcar. Teve uma estreia notável no Tour de France, que de certa forma diminuiu o impacto do mau desempenho de Thomas Voeckler e Pierre Rolland, tornou-se o melhor da equipa, obtendo sete lugares no Top10 de etapas, todas elas ao sprint na sempre complicada Grande Boucle.

5º. Niccolo Bonifazio (Lampre - Merida, 1993)

Tem sido um sucesso completo da Lampre. O sprinter que surgiu como o substituto de Roberto Ferrari atrás da liderança de Sacha Modolo, obteve cinco vitórias que fazem brilhar o seu palmares nesta temporada. O suficiente para ter um lugar de destaque no seu primeiro ano como profissional, onde conseguiu o que poucos conseguem atingir, deixando desta forma a sua "marca".

Os jovens vêm surgindo em bom nível e são vários os nomes que conseguiram destacar-se no pelotão profissional, sendo ainda de salientar os seguintes nomes: Alexey Lutsenko, Sebastian Henao, Dylan Van Baarle, Julian Alaphilippe e Jasper Stuyven.

Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário