Giro d'Italia 2015

No passado dia 3 de Outubro, foi apresentado o percurso do Giro d'Italia 2015. Serão percorridos 3481,8 Kms, desde San Remo, até Milão, passando pela Itália Central, Dolomitas e Alpes.
Mapa do Percurso do Giro 2015
Serão 21 etapas, 5 de alta montanha, 7 de média montanha, 7 para sprinters, 7 chegadas em alto, 2 contra-relógios (1 por equipas outro individual) e pelo meio haverão 2 dias de descanso.


Esta edição terá cerca de 43000 metros de subida acumulada e no total serão 76,8 Kms de contra-relógio.

Etapas

9 de Maio, 1ª Etapa: San Lorenzo Al Mare - Sanremo (Team TT), 17.6km

1ª Etapa
Pelo segundo ano consecutivo, o Giro começa com um Contra-relógio por equipas. Desta vez, a prova parte de uma das zonas mais belas de Itália, a Ligúria. O percurso é completamente plano ao longo da bela costa da Riviera Italiana, com o vento a poder ter uma papel importante.

10 de Maio, 2ª Etapa: Albenga - Genoa, 173km

2ª Etapa
Etapa para roladores e propícia a uma chegada ao sprint. Com duas dificuldades menores, sendo que a última é o primeiro prémio de montanha da prova. A parte final é um circuito na cidade de Génova, serão 2 voltas.

11 de Maio, 3ª Etapa: Rapallo - Sestri Levante, 136km

3ª Etapa
Primeiro cheirinho de montanha no Giro. Uma etapa ideal para uma fuga, com 2 contagens de montanha e ascensão acima dos 1000 metros em 2 pontos, um deles é a última contagem do dia, em Barbagelata. Após esta contagem de montanha segue-se uma longa e vertiginosa descida.

12 de Maio, 4ª Etapa: Chiavari - La Spezia, 150km

4ª Etapa
Etapa com sobe e desce constante, serão 3 contagens de montanha. A última subida, Biassa, encontra-se a 10 Kms e poderá fazer a diferença.
Uma etapa ideal para uma fuga vingar ou então uma chegada ao sprint, com um grupo mais selecto.
Uma curiosidade, La Spezia, onde termina a etapa é a cidade-natal de Alessandro Pettachi.

13 de Maio, 5ª Etapa: La Spezia - Abetone, 152km

5ª Etapa
Uma etapa, com um final montanha. A subida final, Abetone, tem uma extensão de 17,3 Kms a 5,4% de média de inclinação. Não é uma subida que possa fazer muitos estragos entre os favoritos . No entanto, será feita uma selecção, não se espera que muita gente consiga chegar no grupo dos principais favoritos.
É uma etapa ideal para uma fuga vingar, que acaba a 1386 metros de altura.
Abetone pertence à Toscania, faz parte dos Apeninos, já recebeu etapas do Giro, 4 vezes, a última em 2000, Francesco Casagrande venceu essa etapa.

14 de Maio, 6ª Etapa: Montecatini Terme - Castiglione Della Pescaia, 181km

6ª Etapa

Etapa sem grande história, onde em principio as equipas dos sprinters tentarão que a chegada se decida em grupo.

Uma curiosidades, a cidade de partida, Montecatini Terme, foi um uma das localidades por onde o percurso dos mundiais de Florença em 2013, passou. Estradas de boa memória para...Rui Costa.

15 de Maio, 7ª Etapa: Grosseto - Fiuggi, 263km

7ª Etapa
Esta etapa vale sobretudo pelos últimos 20 Kms, ideais para surgirem ataques. No entanto, uma chegada ao sprint, também não poderá ser posta fora de hipótese.

May 16, Stage 8: Fiuggi - Campitello Matese, 188km

8ª Etapa
Da última vez que o Giro chegou a Campitello Matese, em 2002, Gilberto Simoni, foi o vencedor e era o líder da prova. No entanto no dia seguinte, Simoni, a pedido da sua equipa (Saeco) não partiria para a etapa, por ter sido acusado de tomar cocaína, acusações que mais tarde seriam confirmadas, como falsas.


Detalhes da subida de Campitello Matese
Subida de 13 Kms, com uma média respeitável de 6,9%. Será um teste importante para os favoritos, as diferenças já poderão ser significativas.

17 de Maio, 9ª Etapa: Benevento - San Giorgio Del Sannio, 212km

9ª Etapa
Etapa bastante acidentada, com sobe e desce constante. O final em San Giorgio Del Sanino, é numa ligeira subida, muito ao jeito de um ciclista com um características de puncheur.

18 de Maio, Dia de descanço

19 de Maio, 10ª Etapa: Civitanova Marche - Forlì, 195km

10ª Etapa
Após o dia de descanso, realiza-se uma etapa sem dificuldades, propícia para uma chegada ao sprint ou para fuga de roladores.

20 de Maio, 11ª Etapa: Forlì - Imola (Autodromo Ferrari), 147km

11ª Etapa
Se não soubesse que isto se tratava do Giro de Itália, olharia para este percurso e afirmaria que era uma clássica das Ardenas. Acaba no Circuito Enzo e Dino Ferrari, em Imola, com um circuito final de 3 voltas.
Este dia será ideal para fugas com os especialistas das clássicas das Ardenas de olho na vitória de etapa.

21 de Maio, 12ª Etapa: Imola - Vicenza (Monte Berico), 190km

12ª Etapa
Uma etapa sem história até aos último 60 Kms, quando realmente começa a diversão. O final em Vicenza será animado, os últimos metros com uma pendente máxima de 16,3%, prometem dar muito espectáculo.

22 de Maio, 13ª Etapa: Montecchio Maggiore - Jesolo, 153km

13ª Etapa
Etapa completamente plana, sem qualquer história, se a normalidade imperar, um sprinter vai vencer em Jesolo.

23 de Maio, 14ª Etapa: Treviso - Valdobbiadene (CRI), 59.2km

14ª Etapa
59,2 Kms de Contra-relógio individual, já à algum tempo que não se via um contra-relógio tão longo.
A parte inicial é plana, no entanto apartir do meio do percurso, existem duas subidas, com a última a situar-se perto do fim.
Será um dos momentos mais importantes do Giro de 2015, as diferenças nesta etapa podem ser grandes, é um dos dias chave.

24 de Maio, 15ª Etapa: Marostica - Madonna Di Campiglio, 165km

15ª Etapa
Madonna de Campiglio é uma chegada famosa do Giro, foi neste local que Il Pirata, Marco Pantani, venceu a etapa no dia 4 de Junho de 1999, que depois o desqualificaria, apanhado com um hemócrito de 52% acima dos 50%, o permitido.
Antes da subida final, teremos uma primeira, a La Fricca e uma segunda, que é a mais dura das três, a Passo Daone, 8,7 kms a 9,2% de pendente média.


Passo Daone
Madonna di Campiglio, é mais longa que a sua antecessora, 15,5 Kms, mas é mais suave, 5,9% de pendente média.


Madonna di Campiglio

25 de Maio, Dia de descanso 

26 de Maio, 16ª Etapa: Pinzolo - Aprica, 175km

16ª Etapa
Uma das etapas raínhas deste Giro, com cinco subidas de alta montanha.
Mal os corredores partem, começam logo a subir para Campo Carlo Magno, seguido de uma descida vertiginosa, nova subida duríssima para o Passo del Tonale, onde fica o ponto mais alto da etapa, 1882. Nova descida, longa e logo de seguida a primeira subida para Aprica, onde acabará a etapa e depois seguem para o gigante, Passo del Mortirolo, uma das subidas mais míticas e duras de Itália.


Passo del Mortirolo

Depois do Mortirolo, descida do mesmo até à subida final, até Aprica. Espera-se que esta etapa faça diferenças.

27 de Maio, 17ª Etapa: Tirano - Lugano, 136km

17ª Etapa
Chegada a Lugano na Suiça, cidade onde vivem os 'ilustres desconhecidos', Alberto Contador e Vincenzo Nibali. Uma etapa sem grande história, ideal para chegada ao sprint ou então uma fuga.

28 de Maio, 18ª Etapa: Melide - Verbania, 172km


18ª Etapa
Apenas uma grande dificuldade neste dia, o Monte Ologno, sendo que ainda se sobe um pouco até Piancavallo. Apartir daí desce-se até se iniciar uma pequena subida até Premeno e segue-se depois para a meta, em Verbania, sempre a descer.

29 de Maio, 19ª Etapa: Gravellona Toce - Cervinia, 236km

19ª Etapa

São 236 Kms, sendo que os últimos 90 são avassaladores, 3 subidas duríssimas. A primeira é a subida a Saint-Barthelémy (20,1 Kms@5,6%).
A segunda é a mais dura das 3, Col de Saint-Pantaléon (16,5 Kms@7,2%).


Col de Saint-Pantaléon
A subida final até Cervinia, é longa, mas a pendente média não é nada de especial, 19 Kms@5%.


Cervinia

30 de Maio, 20ª Etapa: Saint-Vincent - Sestriere, 196km

20ª Etapa
Etapa plana até ao inicio da subida do Colle Delle Finestre. Será a última oportunidade no Giro, para que se faça a diferença.


Colle Delle Finestre
Colle Delle Finestre, que será a Cima Coppi desta edição, é uma subida de loucos, são 18,5 Kms a 9,2% de pendente média.
Depois da descida do Colle Delle Finestre, aparece a última grande dificuldade deste Giro, chegada a Séstriere (9,2 Kms@5%)


Séstriere

31 de Maio, 21ª Etapa: Turim - Milão, 185km

21ª Etapa
Etapa de consagração e provavelmente, será finalizada com um sprint em Milão.


21 Etapas

  

Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário