Análise da Team Katusha 2014



A equipa Katusha é uma equipa russa.
Não foi um ano nada de extraordinário da equipa mediante uma análise feita aos ciclistas que tem à disposição e aos resultados obtidos.
Não fosse a excelente forma apresentada por Alexander Kristoff ao longo da temporada e teria sido uma temporada ainda mais decepcionante para a equipa.
Alexander Kristoff obteve 8 vitórias na temporada de 2014, tendo dado inicio a sua saga no Tour of Oman, vencendo a segunda etapa. 
Chega depois aquela que é considerada a rainha das clássicas de Primavera, a Milan-Sanremo, e Kristoff obtém nova vitória, a maior vitória da carreira deste ciclista norueguês.

Kristoff a vencer a rainha das clássicas

O líder da equipa, Joaquim Rodriguez, iniciou a temporada no Tour de San Luis, onde terminou em 71, sem fazer nada de relevante, nem nas montanhas. Pela primeira vez em quatro anos, Rodríguez ignorou o Tirreno-Adriatico, escolhendo em vez disso preparar-se para as clássicas das Ardenas. É então que o chefe de fila da equipa, vence a classificação geral da Volta a Catalunya e a terceira etapa, feito que alcançou pela segunda vez na sua carreira. Não obtém bons resultados nas Ardenas e nota ainda mais negativa para Purito que foi forçado a abandonar o Giro d'Italia após um acidente na sexta etapa. 
Enquanto as coisas não iam correndo bem a Purito, Alexander Kristoff venceu a Eschborn-Frankfurt City Loop, e as etapas número um e cinco do Tour of Norway
No Tour de Romandie, Simon Špilak deu nova vitória á equipa, vencendo a terceira etapa da prova.

Seria na sua terra natal que Alexander Kristoff viria a triunfar novamente, ao arrecadar três etapas e a classificação geral do Tour des Fjords, que decorre na Noruega. Desta forma a prova a vitória da prova manteve-se na equipa Katusha, visto que a edição anterior tinha sido vencida por Sergey Chernetskiy.

No mês de Junho, no Critérium du Dauphiné a Katusha amealhou mais duas vitórias, uma por Yuri Trofimov na quarta etapa, e uma pelo ciclista esloveno Simon Špilak na etapa seguinte.



Simon Špilak a vencer a 5º etapa do Dauphiné

Ao que diz respeito aos campeonatos nacionais a equipa triunfou no seu principal território, a Rússia, tanto na corrida de estrada como no contrarrelógio, por Anton Vorobyev e por Alexander Porsev respectivamente.
Na Letónia Gatis Smukulis venceu a prova do contrarrelógio e tornou-se dessa forma campeão nacional do seu país.
Na prova raínha do ciclismo, o Tour de France, a equipa “andou” com a camisola às bolinhas por intermédio de Rodriguez durante várias etapas, mas acabou por não a conquistar. Ainda assim a equipa venceu duas etapas, por intermédio de Alexander Kristoff, ao vencer em Saint-Étienne e em Nîmes, etapas número doze e quinze.

Alexander Kristoff a vencer a 15ª etapa do Tour

A equipa tem mais uma vitória em Julho ao vencer mais uma etapa , no Tour of Austria, por Marco Haller que venceu ao oitavo dia de competição.
Nos quatro dias da Arctic Race of Norway, Alexander Kristoff venceu mais duas etapas, a segunda e a quarta e Simon Špilak venceu a terceira, numa prova que correu bem à equipa vencendo três das quatro etapas, mas faltou a vitória na geral. 
Antes do final da época a Katusha obtém ainda mais duas vitórias, na Vattenfall Cyclassics, por intermédio de Alexander Kristoff que fez uma época absolutamente espectacular, e vence a Milano-Torino, por intermédio do experiente Giampaolo Caruso.


Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário