Volta à França 2018 - Antevisão 14ª Etapa

A 13ª etapa foi para dormir, mas esta promete ser diferente, com um final bastante complicado em Mende.

Rescaldo 13ª etapa:

Etapa sem grande história, com uma fuga com pouca gente a ser controlada de perto pelo pleotão, que nunca deixou esticar a diferença.
A fuga formou-se nos primeiros 20 quilómetros com, Thomas de Gendt (Lotto Soudal) e Thomas Scully (EF Education First-Drapac), que pouco depois tiveram a companhia de Michael Schar (BMC) e Dimitri Claeys (Cofidis, Solutions Credits). O grupo era demasiado pequeno para tantos quilómetros pela frente e ainda por cima, a FDJ e Bora-Hansgrohe, principalmente estas duas equipas nunca deram mais de 4 minutos de vantagem.
Num dia, sem grande ação, o sprint também não revelou grandes surpresas, Peter Sagan ganhou perante Kristoff e Démare.

Combativo do dia: Michael Schar (BMC)

Classificação da 13ª etapa:
1 Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe 3:45:55    
2 Alexander Kristoff (Nor) UAE Team Emirates         
3 Arnaud Demare (Fra) Groupama-FDJ         
4 John Degenkolb (Ger) Trek-Segafredo         
5 Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team         
6 Yves Lampaert (Bel) Quick-Step Floors         
7 Magnus Cort (Den) Astana Pro Team         
8 Andrea Pasqualon (Ita) Wanty-Groupe Gobert         
9 Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain-Merida         
10 Taylor Phinney (USA) EF Education First-Drapac p/b Cannondale

Geral individual (Top-10):
1 Geraint Thomas (GBr) Team Sky 53:10:38    
2 Chris Froome (GBr) Team Sky    0:01:39    
3 Tom Dumoulin (Ned) Team Sunweb 0:01:50    
4 Primoz Roglic (Slo) LottoNL-Jumbo 0:02:46    
5 Romain Bardet (Fra) AG2R La Mondiale 0:03:07    
6 Mikel Landa (Spa) Movistar Team 0:03:13    
7 Steven Kruijswijk (Ned) LottoNL-Jumbo    0:03:43    
8 Nairo Quintana (Col) Movistar Team 0:04:13    
9 Daniel Martin (Irl) UAE Team Emirates 0:05:11    
10 Jakob Fuglsang (Den) Astana Pro Team 0:05:45

Etapa 14

Mapa da 14ª etapa

Perfil da 14ª etapa

Final da etapa

Esta etapa pode ser dividida em duas partes, a primeira até mais ou menos aos 96 quilómetros, em que não há praticamente dificuldades, apesar do terreno não ser plano.
A partir daí o terreno endurece com três contagens de montanha, a primeira de 2ª categoria, o Croix de Berthel, seguido de uma de 3ª categoria. 
A chegada a Mende, tem no menu uma subida de 2ª categoria, o Croix Neuve. A ascensão é muito dura, são 3 quilómetros acima dos 10%, haverão diferenças entre os favoritos. A meta fica 1500 metros depois, que são planos.

Sprint intermédio:
- Bessèges (167 m, Km 90).

Subidas categorizadas: 
- Côte du Grand Châtaignier (4ª Cat., 321 m, 1 Km a 7.4%, Km 81),
- Col de la Croix de Berthel (2ª Cat., 1088 m, 9.1 Km a 5.3%, Km 129),
- Col du Pont Sans Eau (3ª Cat., 1084 m, 3.3 Km a 6.3%, Km 142),
- Côte de la Croix Neuve (2ª Cat., 1055 m, 3 Km a 10.2%, Km 186.5).

Cidade de partida: Saint-Paul-Trois-Châteaux


Saint-Paul-Trois-Châteaux é uma cidade francesa na região administrativa de Auvérnia-Ródano-Alpes, no departamento de Drôme.
Era chamada de Augusta dos Tricastinos (Augusta Tricastinorum) durante o período romano.
Proveniente desse mesmo período, um dos pontos principais de visita é a muralha romana. Para além disso, merece ainda uma visita a Catedral de Notre-Dame de Saint-Paul-Trois-Châteaux (datada do século XII), a Capela
de Saint-Juste e o Museu de Arqueologia Tricastin.
A nível gastronómico, Saint-Paul-Trois-Châteaux é terra de um dos ingredientes que mais apaixona chefs de todo o mundo, as trufas negras Tricastin. É também uma zona de muitas azeitonas e bom azeite. Um dos pratos mais tradicional da região é a omelete com trufas, o picodon (queijo de leite de cabra típico da localidade) e o vinho Grignan-les-Adhémar.

Cidade de chegada: Mende

Vista aérea da Catedral de Mende
A cidade de Mende tem um rico património arquitectónico devido à sua ligação a Roma. Em 1981 foi considerada "Cidade de Arte" e desde o ano 2000 que tem o rótulo de "Cidade e Terra de Arte e História". 
Dos vários monumentos possíveis de serem visitados em Mende, destacamos a sua catedral. De uma beleza inconfundível, foi classificada monumento histórico em 1906. Foi mandada construir pelo Papa Urbano V em 1368.

Condições meteorológicas

Mais um dia solarengo e de calor, a temperatura rondará os 30ºC. O vento soprará fraco de Norte.

Favoritos

⭐⭐⭐ Fuga (Julian Alaphilippe, Adam Yates, Thomas de Gendt, David Gaudu, Marc Soler, Daniel Martinez, Omar Fraile, Rafal Majka, Mikel Nieve, Serge Pauwels, Jelle Vanendert, Greg Van Avermaet, Warren Barguil)
⭐⭐ Daniel Martin, Primoz Roglic, Alejandro Valverde
⭐ Tom Dumoulin, Geraint Thomas, Chris Froome, Romain Bardet, Mikel Landa

A nossa aposta: Julian Alaphilippe
Tem estado endiabrado, já ganhou uma etapa e tem defendido a camisola da montanha com unhas e dentes. A subida final não é bem ao seu estilo, 3 quilómetros a 10%, já um bocado puxado para ele.
Para ganhar a etapa terá de se colocar em fuga, que lhe permita lutar pela etapa e defender a classificação que lidera.

Outsider: Primoz Roglic
É um final que lhe assenta bem. O esloveno está a mostrar que é um sério candidato ao top-5 já este ano.
Este ano ganhou no País Basco, que tem finais parecidos com os de hoje e estando em boa forma é menino para voar em Mende.

Seguir em directo: #tdf2018, #letour, #tourdefrance, #tdf

(a partir das 12:00, hora de Portugal Continental)
 (a partir das 13:10, hora de Portugal Continental, passa para a RTP1 às 14:15)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário