Os 10 nomes a seguir na Liège-Bastogne-Liège

Simon Gerrans a bater Alejandro Valverde em 2014 (na imagem)
O fecho da temporada das clássicas da primavera é feito na 'mais velha', a mítica Liège-Bastogne-Liège, o quarto monumento da temporada. Aqui ficam os 10 corredores que para nós valerá a pena segui-los atentamente.

Rui Costa
Das três clássicas das Ardenas, será aquela que se adapta melhor às suas características. A temporada tem sido regular, mas ainda sem uma vitória. Foi 4º no Paris-Nice e Amstel Gold e 7º no País Basco. O português em 2013 foi 9º na 'La doyenne' e juntando as características da prova à sua inteligência táctica, é um dos ciclistas a acompanhar.

Alejandro Valverde
O que dizer de Valverde? As Ardenas são a sua cara e os resultados de 2015 mostram-no, 2º na AmstelGold e venceu a Flèche Wallone. Está num momento de forma fenomenal.
Já venceu por duas vezes a 'La Doyenne', em 2006 e 2008. No entanto o seu palmarés além dessas vitórias no 4º monumento diz tudo, 2º em 2007 e 2014 e 3º em 2010 e 2013. Ao todo são 6 pódio na prova, impressionante. Será todos contra Valverde, é o grande favorito.

Joaquim Rodriguez
Purito chegou às Ardenas embalado com a vitória no País Basco. No entanto os resultados não têm sido o esperado, 4º na Flèche Wallone e um 32º na Amstel Gold.
O catalão tem alguns resultados importantes na Liège-Bastogne-Liège, com dois 2º lugares em 2009 e 2013. O percurso adequa-se às suas características e será naturalmente um dos favoritos.
Um dos pontos que terá em seu favor é a equipa fortíssima que estará por detrás dele, Daniel Moreno, Giampaolo Caruso e Tiago Machado serão fundamentais para colocar o catalão na rota da vitória.

Tim Wellens
O jovem belga é uma das novas estrelas do ciclismo. Extremamente lutador e com uma queda para dar espectáculo e tornar as corridas interessadas, tem sido dos poucos que tem animado as clássicas das Ardenas.
A evolução também tem sido excelente, com Vanendert maltratado e o percurso não ser adequado a Gallopin, Tim Wellens é o homem a segui da equipa Lotto Soudal.

Jakob Fuglsang
Fuglsang ou Nibali? Essa é a questão sobre o que se deve esperar da Astana para a 'La Doyenne'. A nossa aposta está no austríaco, os resultados recentes demonstra que Fuglsang encontra-se num momento de forma melhor, foi 17º na Amstel Gold e 8º na Flèche Wallone. Outro factor para a escolha, é que Nibali contínua a sua preparação para a Volta à França, apesar de melhorias nas últimas provas, a evolução ainda não permitiu nenhum resultado importante, o que pode querer dizer que o italiano ainda está longe do melhor.
Apesar de não ter resultados muito relevantes na prova, Fuglsang é um homem a seguir em 2015.

Michal Kwiatkowski
O campeão do mundo venceu a Amstel Gold e esteve muito apagado na Flèche Wallone, o Mur de Huy não se adequa às suas características. Porém, a Liège-Bastogne-Liège é mais ao seu gosto, como demonstra o 3º lugar em 2014.
É obviamente um dos favoritos a vencer, a seguir a Valverde será o segundo grande favorito a levantar os braços na linha de meta.

Roman Kreuziger
Kreuziger tem-se mostrado regular nas Ardenas, 14º e 11º provam-no e já tem historial nesta prova, foi 7º em 2014 e 4º em 2011.
Será a grande aposta da Tinkoff-Saxo, uma das equipas que mais tem desiludido em 2015, porém a 'La Doyenne' poderá ser um ponto de inversão. Rafal Majka é outro dos que estará no alinhamento, mas pelos resultados recentes, acreditamos que o polaco estará a ajudar o checo.

Wilco Kelderman
O jovem holandês foi 10º na Flèche Wallone e a Liège-Bastogne-Liège é uma prova que lhe assenta bem.
É a principal aposta da equipa LottoNL e irá se estrear na 'La Doyenne' com grandes ambições. Um top-10 seria um excelente resultado para o holandês, uma das grandes promessas do ciclismo actual, que quererá confirmar a boa temporada de 2014 e nada melhor que o mostrar num dos monumentos.

Bauke Mollema
A Trek tem líder para 'La Doyenne' e esse é Bauke Mollema, numa equipa que ainda conta com Frank Schleck, Arredondo, Jungels e Felline. O holandês portanto terá uma equipa muito forte para o apoiar.
Os resultados nas Ardenas não estão a ser aqueles que muitos esperavam, talvez porque ainda esteja a sofrer da queda no País Basco, mas Mollema será um dos homens a seguir. 
Em 2012 foi 6º na prova, lugar que este ano tentará melhorar.

Michael Albasini
Com Gerrans ainda a recuperar das duas cirurgias que já foi obrigado a fazer em 2015 e Matthews ausente da prova, Albasini e Simon Yates são as opções mais fiáveis para a 'La Doyenne' da equipa australiana.
Gerrans irá participar na prova, mas ainda não se encontra em condições, longe da forma que lhe permitiu ganhar a prova em 2014, por essa razão e pela boa actuação do suiço na Flèche Wallone, pensamos que Albasini será a aposta da Orica, com Simon Yates como plano B.

Menções honrosas: Domenico Pozzovivo, Romain Bardet, Giampaolo Caruso, Philippe Gilbert*, Dan Martin*, Simon Gerrans, Simon Yates, Enrico Gasparotto, Tom-Jelte Slagter, Sérgio Henao, Giampaolo Caruso


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário