Strade Bianche (1.HC) - Antevisão

A Strade Bianche, traduzindo do Italiano significa, Estradas Brancas e são estas famosas secções em terra batida e gravilha ou como os Italianos dizem, sterrato, que marcam e tornam esta prova única.
A prova apenas teve a sua primeira edição em 2007, com o nome de Monte Paschi Eroica, no entanto, apesar de ser uma prova muito recente, tem ao longo dos anos, encantado todos os aficionados da modalidade.
As razões são várias, desde das famosas secções em sterrato, passando pelas paisagens deslumbrantes da Toscânia, até às subidas íngremes e explosivas que fazem a delícia de quem vê a prova.
Juntamente com a prova Francesa Tro-Bro Léon são provas completamente distintas de tudo o que há no calendário, porém desde da primeira edição que a prova Italiana consegue atrair alguns dos melhores corredores do pelotão internacional. 

Em 2009, 2010 e 2011, a prova passou a designar-se Montepaschi Strade Bianche, até que em em 2012 já não teve o patrocínio da Montepaschi, ficando apenas e só com o nome, Strade Bianche. 
Em nove edições, alguns nomes notáveis conquistaram o triunfo, entre eles: Fabian Cancellara, Philippe Gilbert e Michal Kwiatkowski.
Este ano, a prova promete voltar a ser um regalo para os seguidores da modalidade, como foram todas as nove anteriores edições, o Strade Bianche nunca desilude.

História:
2007 Alexandr Kolobnev (RUS) Team CSC
2008 Fabian Cancellara (SUI) Team CSC
2009 Thomas Lövkvist (SWE) Team Columbia-High Road
2010 Maxim Iglinsky (KAZ) Astana
2011 Philippe Gilbert (BEL) Omega Pharma-Lotto
2012 Fabian Cancellara (SUI) RadioShack-Nissan
2013 Moreno Moser (ITA) Cannondale
2014 Michał Kwiatkowski (POL) Omega Pharma-Quick Step

Percurso:
San Gimignano - Siena (200 Km)
Perfil da prova
Strade Bianche é sempre marcada pelas secções em terra batida e gravilha (Sterrato), serão um dos atractivos da prova. Serão 50 Kms neste piso, divididos por 10 secções, niveladas em 5 níveis de dificuldades (de 1 estrela a 5 estrelas).

Aqui ficam as secções de Sterrato:
1. San Leonardo - km 32.6 > km 34.9 (2.2 km) **
2. Vidritta - km 48,5 > km 50.6 (2.1 km) *
3. Bagnaia - km 55.6 > km 61.6 (5.9 km) ****
4. Radi - km 67.8 > km 72.2 (4.4 km) **
5. Murlo / Buonconvento - km 78.3 > km 84.0 (5.5 km) *
6. Lucignano d'Asso - km 120,5 > km 129.7 (9.5 km) ***
7. Monte San Marie - km 147.0 > km 158.5 (11.5 km) *****
8. Monteaperti - km 167.0 > km 167.8 (0.8 km) 
9. Colle Pinzuto - km 177.7 > km 181.4 (2.4 km) ****
10. Le Tolfe - km 183.8 > km 184,9 (1.1 km) ***

Mapa da edição 2015
Será uma edição onde as subidas voltam a ser em grande quantidade, apesar de serem curtas, o número generoso delas durante a prova é um ponto que a torna numa clássica dura, além claro das famosas secções em terra batida e gravilha.
A subida mais longa será enfrentada por volta dos Km 90, serão 4 kms a 5% até ao cimo do Montalcino. 
Mas os quilómetros finais serão como habitualmente dos mais espectaculares, com zonas de 16% de inclinação, na cidade de Siena. Local onde em 2014 Michal Kwiatkowski deixou para trás Peter Sagan num dos grandes momentos de 2014.

Startlist:
Aqui

Favoritos:
***** Peter Sagan, Alejandro Valverde, Fabian Cancellara
**** Simon Gerrans, Damiano Cunego
*** Greg Van Avermaet, Niki Terpstra, Zdenek Stybar
** Rinaldo Nocentini, Sep Vanmarcke, Fabio Felline, Giovanni Visconti
* Moreno Moser, Vincenzo Nibali, Ian Stannard, Giampaolo Caruso, Roman Kreuziger


Também pode interessar:

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário