Tinkoff Saxo gasta 1,9 milhões de calorias no Kilimanjaro


A subida ao Kilimanjaro (na imagem)

Seis dias de expedição, 10 horas por dia, um tempo terrível, e 51 dos 72 membros da equipa da Tinkoff-Saxo  alcançou o alto do Kilimanjaro, o "telhado" de África, com cerca de 6.000 metros de altura, e Alberto Contador chegou à frente. Para alcançar o seu objetivo, os atletas consumiram 800 barras energéticas.
No total, o conjunto russo de Oleg Tinkov estima que os 51 que alcançaram o ponto mais alto do Kilimanjaro gastaram 1,9 milhões de calorias consumidas, uma vez que cada corredor deve consumir 7.000 calorias por cada etapa. 

"Eu tinha o meu próprio esconderijo na minha mochila. Todos comeram barras no caminho para o topo. Todos dias era como uma longa etapa de montanha no Kilimanjaro. É importante comer alimentos que fornecem energia de forma lenta, mas constante tal como numa etapa. Antes disso, eu comia sanduíches preparadas pelos técnicos, frutas e barras ", disse Rafal Majka.
Cada barra de energia, neste caso, contém cereais integrais, passas, nozes, mel, aveia, sementes e frutos. Esse foi o principal fornecimento de "combustível" para a subida ao Kilimanjaro.

Também pode interessar:

jdragon cycling team

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário