Milão-Turim (1.HC) - Antevisão



Foi em 1876, que um estudante de engenharia de seu nome Paolo Magretti e mais 7 colegas pelas 4 da manhã partiam de Milão em direcção a Torino, chegariam ao final da tarde desse dia, com o aspirante a engenheiro, Magretti a vencer a prova. Foram percorridos cerca de 150 Km em 11 horas e 15 minutos, o que dá uma média de 13,3 Km/h. Apenas metade dos concorrentes terminaram a prova.
Este ano disputa-se a 100ª edição da prova, que hoje em dia é mais vista como uma preparação para o último monumento da temporada, o Giro da Lombardia. No entanto, a tradição e história desta clássica não pode ser ignorada e muitos dos melhores corredores do pelotão internacional comparecem. Nos últimos anos a prova ganhou uma nova vida e está a voltar a ter a relevância de outros tempos.

História

últimos 10 vencedores
2005 Fabio Sacchi (ITA) Fassa Bortolo
2006 Igor Astarloa (ESP) Barloworld
2007 Danilo Di Luca (ITA) Liquigas
2012 Alberto Contador (ESP) Saxo Bank-Tinkoff Bank
2013 Diego Ulissi (ITA) Lampre-Merida
2014 Giampaolo Caruso (ITA) Team Katusha
2015 Diego Rosa (ITA) Astana Pro Team
2016 Miguel Angel Lopez (COL) Astana Pro Team
2017 Rigoberto Uran (COL) Cannondale-Drapa
2018 Thibaut Pinot (FRA) Groupama-FDJ



Percurso

Magenta-Turim, 179 Km

A prova não sai exatamente de Milão, assim como a edição do ano passado sai de Magenta, uma pequena localidade situada a Oeste da capital lombarda. Os primeiros 155 quilómetros são planos, mas os últimos 24 compensam bem a espera, com a espetacular subida a Superga a ser a estrela. São duas passagens pela Basílica de Superga, que tornam esta clássica italiana muito seletiva.  
Não desprezar a descida depois da primeira passagem pela meta.

Superga
Superga
A subida à Basílica de Superga, apresenta uma pendente média de 9,1%, numa extensão de 4,9 quilómetros. A ascensão é bastante constante, com pouca variação na pendente, a rampa mais difícil está bem a meio da subida, são 14%.

Mapa da ascensão a Superga

- Basilica di Superga (últimos 4.10 km, 9.27 %, 380 m) -

2012 | 11:52 Alberto Contador (62 Kg)
VAM: 1921 Vm/h ⚡️ 416,9W - 6,72 W/Kg

2013 | 12:30 Diego Ulissi (61 Kg)
VAM: 1824 Vm/h ⚡️ 391,1W - 6,41 W/Kg

2014 | 12:19 Giampaolo Caruso (70 Kg)
VAM: 1851 Vm/h ⚡️ 445,2W - 6,36 W/Kg

2015 | 11:49 Diego Rosa (65 Kg)
VAM: 1929 Vm/h ⚡️ 440,5W - 6,78 W/Kg

2016 | 12:03 Rigoberto Uran (62 Kg)
VAM: 1892 Vm/h ⚡️ 414,1W - 6,68 W/Kg

2017 | 11:58 Rigoberto Uran (62 Kg)
VAM: 1905 Vm/h ⚡️ 417,6W - 6,74 W/Kg

2018 | 11:47 Thibaut Pinot (63 Kg)
VAM: 1935 Vm/h ⚡️ 426,5W - 6,77 W/Kg

atus/1049687528238968832
tempos retirados de:https://twitter.com/ammattipyoraily/status/1181630721489805312
cálculos realizados por nós, Etapa Rainha https://twitter.com/ammattipyoraily/status/104968752823896883

Thibaut Pinot terminou o ano de 2018 a voar e bateu o record de Superga, foi 2 segundos melhor que o anterior registo que pertencia a Diego Rosa.

Startlist


Condições meteorológicas


Dia muito cinzento na região e com probabilidade baixa de chuva.
A temperatura rondará os 12ºC e o vento soprará fraco.

Favoritos

⭐⭐⭐⭐⭐ Alejandro Valverde
⭐⭐⭐⭐ Michael Woods, Sergio Higuita
⭐⭐⭐ Adam Yates, Egan Bernal, Jakob Fuglsang
⭐⭐ David Gaudu, Bauke Mollema, Rafal Majka
⭐ Warren Barguil, Giulio Ciccone, Rui Costa, Jack Haig, Tim Wellens, Tiesj Benoot, Enric Mas

A nossa aposta: Alejandro Valverde
Foi 5º no Giro Dell'Emilia e 2º no GP Bruno Beghelli, o que indica que a preparação para o último monumento do ano está bem encaminhada. A ascensão de Superga enquadram-se nas características do espenhol, que não terá Roglic como adversário, o esloveno abdicou de estar aqui.
No ano passado foi 3º.

Outsider: Adam Yates
Realizou uma excelente inicio de ano, mas o verão foi muito fraco, um pesadelo. Venceu a Volta à Croácia e tem aqui uma oportunidade de voltar a estar entre os melhores contra concorrência superior. O Giro da Lombardia é o último objectivo do ano e pode salvar a temporada.


Seguir em directo: #MilanoTorino, @MiTo1876
 (a partir das 13:45, hora de Portugal Continental)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário