Dwars door Vlaanderen (1.WT) - Antevisão


Oficialmente já estamos na primavera e as clássicas flamengas entram no seu período mais intenso e importante do ano. A Dwars door Vlaanderen (Através da Flandres) é o aquecimento perfeito para a festa do ciclismo flamengo, a Volta à Flandres.
Será a 74ª edição com os homens da casa a dominarem a lista de vencedores, com 53 triunfos, a Holanda surge como a segunda nação, com 12 vitórias. 
Alguns dos principais candidatos a ganhar o Volta à Flandres estarão presentes.

História

últimos 10 vencedores
2009 Kevin Van Impe (BEL) Quick-Step
2010 Matti Breschel (DEN) Team Saxo Bank
2011 Nick Nuyens (BEL) Saxo Bank–SunGard
2012 Niki Terpstra (NED) Omega Pharma–Quick-Step
2013 Oscar Gatto (ITA) Vini Fantini–Selle Italia
2014 Niki Terpstra (NED) Omega Pharma–Quick-Step
2015 Jelle Wallays (BEL) Topsport Vlaanderen–Baloise
2016 Jens Debusschere (Bel) Lotto Soudal
2017 Yves Lampaert (Bel) Quick-Step Foors
2018 Yves Lampaert (Bel) Quick-Step Foors 

Edição 2018 (Top-10)
1    Yves Lampaert (Bel) Quick-Step Floors    4:09:40    
2    Mike Teunissen (Ned) Team Sunweb    0:00:02    
3    Sep Vanmarcke (Bel) EF Education First-Drapac p/b Cannondale         
4    Edvald Boasson Hagen (Nor) Dimension Data         
5    Mads Pedersen (Den) Trek-Segafredo         
6    Zdenek Stybar (Cze) Quick-Step Floors    0:00:29    
7    Tiesj Benoot (Bel) Lotto Soudal    0:00:30    
8    Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing Team    0:00:59    
9    Niki Terpstra (Ned) Quick-Step Floors         
10    Jasper Stuyven (Bel) Trek-Segafredo

Percurso

Roeselare › Waregem (182 Km)

O percurso é muito parecido com o da edição anterior, com 11 'muros' ou Hellingen's:
Como é tradição a primeira parte é completamente plana, até que por volta dos 81 quilómetros de prova, começam as dificuldades com o aparecimento dos 'muros' e as secções de pavé, que serão cinco. Algumas delas estão nas subidas, mais conhecidas por Hellingen's, tão características das provas na Flandres.
A seleção será feita a partir do Taaienberg, a partir daí a dureza poderá eliminar grande parte dos velocistas. É uma prova que raramente tem sido decidida por um grupo muito grande.
O último muro é o Nokereberg, a 9 quilómetros da meta.


Subidas:  
- Nieuwe Kwaremont (104 m, 1.4 Km at 5.6%, Km 81.7),
- Kluisberg (87 m, 1.0 Km at 6.4%, Km 110.5),
- Knokteberg-Trieu (110 m, 1.9 Km at 4.7%, Km 117.8),
- Kortekeer (84 m, 0.9 Km at 6.8%, Km 125.6),
- Steenbeekdries (55 m, 0.6 Km at 3.2%, Km 128.8),
- Taaienberg (75 m, 0.6 Km at 6.4%, Km 131.2),
- Berg Ten Houte (111 m, 1.1 Km at 5.4%, Km 134.6),
- Knokteberg-Trieu (110 m, 1.9 Km at 4.1%, Km 149.2),
- Vossenhol (74 m, 0.8 Km at 4.6%, Km 161.4),
- Holstraat (75 m, 1.0 Km at 4.2%, Km 165.7),
- Nokereberg (55 m, 0.3 Km at 4.7%, Km 173.3).

Setores de pavé:
1. Neringestraat (+, 1800 m, Km 21.4),
2. Mariaborrestraat (+, 2000 m, Km 129.6),
3. Taaienberg (+, 600 m, Km 131.3),
4. Varentstraat (+, 2000 m, Km 158.5),
5. Nokereberg (+, 300 m, Km 173.3),
6. Herlegemstraat (+, 1000 m, Km 176.9).

Startlist

Aqui

Condições meteorológicas

As condições são complicadas, temperatura que não passará dos 9ºC, chuva e vento moderado a forte de sul. Com estas condições a corrida promete ser ainda mais seletiva e caótica.

Favoritos

⭐⭐⭐⭐⭐ Oliver Naesen, Yves Lampaert
⭐⭐⭐⭐ Tiesj Benoot, Mathieu van der Poel, Niki Terpstra
⭐⭐⭐  Philippe Gilbert, Alexander Kristoff, Jasper Stuyven
⭐⭐ Bob Jungels, Alberto Bettiol, Alejandro Valverde, Jens Keukeleire, Mike Teunissen
⭐ Jens Debusschere, Nils Politt, Mads Pedersen, Sebastian Langeveld, Luke Rowe, Matej Mohoric Arnaud Demare, Fernando Gaviria

A nossa aposta: Yves Lampaert
A Deceuninck-QuickStep borrou a pintura na Gent-Wevelgem, correu declaradamente para Elia Viviani e acabaram por se dar mal. Aqui a estratégia voltará a ser a mesma de sempre, tirar vantagem da superioridade numérica que a equipa belga consegue ter normalmente. Com Jungels, Gilbert e Lampaert, a equipa tem três cartas para jogar.

Outsider: Mathieu van der Poel
Depois do amasso na Le Samyn perante uma concorrência menos cotada, na Gent-Wevelgem ficou bem claro que o campeão do mundo de ciclocross não está clássicas para fazer número, está para ganhar. O céu é o limite para este ciclista.


Seguir em directo: @DwarsdrVlaander, #DDV

(a partir das 13:30, hora de Portugal continental)

Bruno Dias

Adora ciclismo e tudo o que se relaciona com bicicletas. O mês de maio e julho são sagrados e tem um carinho pelas clássicas da primavera e pela Volta a Portugal. Ao longo dos anos aprendeu a apreciar a Vuelta.

Sem comentários:

Enviar um comentário